Novo ato de corrupção revelado: o que falta para o Corinthians expulsar Mané da Carne ?

negão, tadeo e mané

Ontem, em matéria de Carlos A. Ferrari, Diego Ribeiro e Marcelo Braga, o site do Globo Esporte revelou (com provas) nova falcatrua nas categorias de base do Corinthians, em que, mais uma vez, está envolvido o nome do conselheiro alvinegro Manoel Ramos Evangelista, vulgo Mané da Carne.

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/corinthians/noticia/2016/08/base-do-corinthians-contratou-atleta-considerado-ruim-em-relatorio-tecnico.html

Em resumo, associado ao malandro Fabio Barrozo (que Andres Sanches escondeu, recentemente, no Tigres/RJ), Mané ordenou ao diretor do setor, Onofre Almeida (completando o trio absolvido, recentemente, pelo comitê de ética, por falta de provas) que contratasse um jogador de 17 anos, reprovado em avaliação técnica do clube (de 13 conceitos, recebeu “ruim” em dez, regular em três).

Não é de hoje que o conselheiro alvinegro sobrevive de negócios realizados no Parque São Jorge, um deles, fornecimento de carne (também com denuncia de superfaturamento), origem do apelido.

O leitor do Blog do Paulinho, há anos, é alertado, não apenas dos desvios de conduta do dirigente, mas também das razões que o tornam impune do Timão, mesmo sendo odiado por quase a totalidade de conselheiros alvinegros.

Nos últimos anos (mais de vinte), Mané da Carne esteve presente em quase todas as administrações, tendo sido chefe de Andres Sanches na base, além de responsável, até os dias atuais, pelo fornecimento de ingressos às “organizadas” (que se calam sobre ele), além do apadrinhamento de jovens atletas em conluio com empresários e treinadores do Timão.

É arquivo vivo de todos os envolvidos em criminalidade no Corinthians.

Não por acaso, ocupou o cargo de “assessor da presidência”, na gestão de Andres Sanches (PT), que, em sequência, ao eleger-se deputado federal, empossou-o, sem pestanejar, em seu gabinete político, garantindo-lhe salário às custas de dinheiro público.

Dificilmente seria “coincidência” o fato do relatório investigativo que tratou de, recentemente, absolvê-lo de graves acusações de estelionato e desvios de jogadores, dentro do clube, mesmo diante de tantas provas e evidências, ter sido assinado pelo advogado Sergio Alvarenga (que livrou Sanches de grave inquérito de espionagem em circunstâncias suspeitas, dentro do DHPP) e por outras pessoas de seu relacionamento (advogados pessoais e demais sabujos).

O que falta para os conselheiros do Corinthians expulsarem Mané da Carne do Parque São Jorge ?

Talvez boa parte daqueles que beneficiaram-se de associações com o dirigente se julgarem impedidos de votar, abrindo espaço aos que, há anos, lutam para expurgar essa gente do Timão.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.