Advertisements

Pastelão no Tribunal: dirigentes do Palmeiras brigam por R$ 3 mil

pescarmona

Não é de hoje que os bastidores do Palmeiras, vez por outra, são agitados por razões quase sempre irrisórias, fruto da insistente necessidade de um ou outro conselheiro em permanecer na mídia.

Entre um drink e outro com as “organizadas”, o ex-candidato a presidente palestrino, Wlademir Pescarmona, ao lado de mais quatro seguidores (Luiz Fernando Vallejo Peredo, Almir Gomes do Nascimento, Maurício Antonio Freite e Antonio José Joioso), decidiu processar o Palmeiras.

O motivo ?

Exige que o clube ponte três quadras de tênis, recém construídas pela WTorre (contrapartida pela construção da Arena), que estariam com piso em cimento puro.

Há, porém, um pedido a mais, que o clube rebateu.

Segundo Paulo Nobre, pintar a quadra custa em torno de R$ 3 mil (preço do material), com mão de obra sendo realizada pelos funcionários do clube, porém, pagar indenização por Danos Morais, como pretendem os processantes, ultrapassa os limites do razoável.

A Justiça também assim entendeu.

Impugnou a possibilidade de indenização de Pescarmona e sua turma, mantendo, porém, o pagamento das demais custas para quem perder a ação, que será julgada nos próximos dias.

Ainda bem que o Palmeiras não tem assuntos mais importantes para resolver, tirante este que poderia ser definido, com boa vontade, em menos de quinze minutos de conversações.

Advertisements

Facebook Comments

One Response to “Pastelão no Tribunal: dirigentes do Palmeiras brigam por R$ 3 mil”

  1. Palmeiras e as quadras da discórdia | Blog do Paulinho Says:

    […] Pastelão no Tribunal: dirigentes do Palmeiras brigam por R$ 3 mil […]

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: