Farsa livra Orlando Rollo de expulsão no Santos. Mas corregedoria da Polícia pode complicar vida do conselheiro

orlando-rollo.jpg

Conforme adiantado em matéria de ontem, o Conselho Deliberativo do Santos se reuniu para assistir a uma farsa que resultou na absolvição do conselheiro Orlando Rollo, torcedor “organizado”, vice da FPF e candidato a presidente do clube, pela acusação, com farto material comprobatório, de participar do episódio que ficou conhecido como “falsificação das carteirinhas”.

Comissão de Inquérito do Santos “enrolla” para não punir Orlando Rollo no caso da falsificação de carteirinhas

Após a ratificação da inútil advertência, que proporcionou a Rollo continuar na disputa eleitoral do Peixe, muitos conselheiros, indignados, abandonaram a reunião, e os que sobraram, mesmo assim, inocentaram-no por pequena margem: 52 a 50.

Porém, os “rollos” do dirigente não param por ai.

Além da espera da conclusão do inquérito policial, sobre o mesmo assunto, que pode ainda resultar noutra solicitação de exclusão do candidato no clube, há duas investigações correntes na corregedoria da Polícia sendo acompanhadas pelos conselheiros.

Uma delas indica possível associação de Rollo com o crime organizado.

Currículo, digamos, adequado para os cargos que ocupou, tanto na FPF quanto nas facções formadas por “torcedores”, mas absolutamente imoral a quem deseja comandar uma agremiação com a história do Santos, e vive posando de “maçon” em mídias sociais.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.