Advertisements
Anúncios

Equívoco da volta da cerveja aos estádios é apoiado pelo advogado do Bom Senso FC

Cervejas corinthianas

Entre os itens inclusos na luta para evitar violência nos estádios de futebol está a correta proibição de comercialização e consumo de bebidas alcoólicas nas referidas praças.

Não é questão de puritanismo, mas de inteligência.

É obvio que a ingestão de álcool em eventos de grande presença de público é estimulante para confusão.

Há, evidentemente, pessoas controladas, mas não dá para correr o risco destas próprias tornarem-se vítimas das que não são.

Na última sexta-feira, anos após dura batalha para proibir a venda de cervejas nos estádios, uma lamentável decisão da 12ª Secretaria dos Juizados Especiais de Curitiba restabeleceu a comercialização, em todo o Brasil.

Mesmo se a CBF quiser recorrer (terá interesse ?), somente após o julgamento do mérito da ação, anos depois, a paralisação seria retomada.

Tempo suficiente para prejuízos humanos incalculáveis.

Lamenta-se, também, o posicionamento público à favor da liberação, divulgado em algumas mídias, do advogado João Henrique Chiminazzo, que trabalha, nos bastidores, para o Bom Senso FC, além de ser procurador de Paulo André.

Espera-se, apenas, que o grupo não encampe a ideia, apesar de que muitos possuem a dificuldade de entender que não se trata de uma batalha contra a cerveja, mas sim de evitar que ela seja utilizada como combustível para a realização de barbaridades.

Em tempo: este jornalista bebe cerveja e, mesmo assim, é contrário a que a bebida seja comercializada em estádios de futebol.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

31 comentários sobre “Equívoco da volta da cerveja aos estádios é apoiado pelo advogado do Bom Senso FC

  1. O Vampeta é um boçal mas disse uma boa frase sobre o Bom Senso: “O cara ganha 500 mil por mês e quer dois meses de férias?”

  2. Caro Paulino:

    Concordo com 99,99% dos seus comentários, mas neste caso da “Cerveja nos Estádios” vou discordar. Pune-se o bom bebedor, que toma 2 ou 3 cervejas durante um jogo e pune-se também os clubes, que deixam de arrecadar com a venda das cervejas, em nome da diminuição da violência dentro dos estádios. Os baderneiros e bandidos que provocam brigas nos estádios, como a que aconteceu em Joinville, bebem antes dos jogos, fora dos estádios e depois enchem a cara de maconha, cocaína e otras cositas mas dentro dos estádios e provocam pancadarias piores ainda. Faça uma pesquisa e verás que depois da proibição da cerveja aumentaram as brigas dentro e nos arredores dos estádios. Será que a coitadinha da cerveja é a grande vilã?

    Abraço…

  3. não consigo ver problema na cerveja nos estádios, como disseram logo acima, quem quer beber hoje, bebe antes e já chega pronto no estádio. não vender cerveja no estádio é tapar o sol com a peneira, o que se precisa é acabar com a bandidagem organizada fomentada pelos dirigentes dos clubes. Essa gente vai brigar e fazer tumulto mesmo tomando toddynho.

  4. Caro Paulinho, sou leitor do seu blog, contudoo nunca comentei nada. Primeiramente, gostaria de parabeniza-lo pelo blog. Tal qual o Cosme Rimoli, é mt dificil encontrar jornalistas isentos hoje em dia, que colocam sua opinião sem rabo preso. Entretanto, com relação a cerveja, discordo de sua posição. A proibição da venda de cerveja não diminuiu em 1% a violência nos estádios, haja vista a recente tragédia em Joinville. Os imbecis travestidos de torcedores irão brigar de qualquer jeito, com cerveja ou sem. Quantas vezes eu fui ao Maracanã após a proibição da cerveja e presenciei brigas, ambulantes com cerveja escondida dentro de seus isoportes, confusão na entrada devido a todo mundo querer entrar em cima da hora do jogo…enfim, não podemos transformar um problema que é de segurança pública e de falta de prestação jurisdicional do estado brasileiro e por isso na conta da cerveja. Levando em conta que os frequentadores do estádio sao em sua imensa maioria pessoas de bem que gostam de tomar sua cervejinha, estes estão sendo prejudicados e preferindo ficar em casa, deixando as arenas futebolísticas para esses imbecis.
    Continue com seu excelente trabalho.
    Grande abraço,
    Pedro

  5. Até concordo com vc Paulinho, mas por outro lado outros países não proibem o consumo de álcool nos estádios e não tem problemas por isso, cada vez mais penso que isso é um problema de educação das torcidas ou a falta dela, pq mesmo com a proibição de bebidas eles continuam brigando e estragando o nosso futebol, e tirando as famílias dos estádios!

  6. A cerveja é vendida no mundo todo e não vemos confusões nos estádios. No Brasil os caras que querem confusão já chegam ao estádio de tanque cheio e aspirado de montão. Volte santa cervejinha de todos nós.

  7. Se a bebida pode causar confusão em estádio de futebol, mais do que proibir a sua venda necessário seria proibir, também, que gente que a ingeriu entre no estádio. É um caso sério essa mania de se proibir tudo por causa de umas poucas pessoas. Não concordo com a frase de que “os justos pagam (devem pagar,na verdade) pelos pecadores.”. Parece, ou melhor, para os preguiçosos proibir é mais fácil que educar ou punir quem merece punição. E assim vamos… Prá frente Brasil!!!

  8. Paulinho, creio que o Elio disse tudo. No estádio não se vende cerveja, mas do lado de fora, minutos antes das partidas, o consumo é generalizado. Aqui mesmo em BH, onde moro, há um Supermercado a menos de 1km do Mineirão. Em dias de jogo esse mercado enche alguns tanques, parecidos com caixas d’água, de gelo, para armazenarem cervejas. Daí, boa parte dos torcedores param seus carros no supermercado (pois ninguém aceita pagar a facada que é o estacionamento do mineirão), compram as cervejas geladas, e ficam tomando até o momento de entrar no estádio, já às vésperas do jogo. E esses, em sua maioria, não criam confusão.
    Agora, há os organizados, que chegam muitas horas antes do jogo, igualmente bebem cervejas e destilados na rua, antes de entrar no estádio, e na própria arquibancada fumam e cheiram o que é proibido em todo o território nacional. Quando morava em SP, deixei de frequentar os estádios por não suportar o cheiro de maconha e o consumo de cocaína ao meu lado, principalmente quando aqueles bandeirões enormes cobrem a arquibancada toda. Aqui em MG, não costumo ir pelo mesmo motivo.
    Não vejo porque proibir cervejas nos estádios.
    Um detalhe: não bebo.

  9. O problema não é a venda ou não de bebidas nos estádios, e sim a falta de punições duras a quem arruma confusão. Mesmo sem a venda de bebidas cansamos de ver atos de selvageria durante os jogos. Educação, organização e punições severas aos baderneiros são a nelhor solução.

  10. Paulinho, concordo com 90% das tuas opiniões e tenho lido diariamente teus posts. Nem sempre comento por que prefiro me abster desses bate-bocas desnecessários que se tonaram as respostas nos blogs. Mas dessa vez vou me posicionar em outra ‘turma’, que não a sua. Acho que se houvesse punição para os baderneiros, se cada débil mental que fosse à estádios tivesse a certeza de punição em caso de exageros, não teríamos essas confusões em estádios, com ou sem cerveja. Tanto é que hoje, sem cerveja, as coisas estão como ontem: brigas, confusões, agressões, covardias. E já está mais do que na hora de se parar com a política de punir todos pelos defeitos de alguns. Puna-se esses, que são minoria.
    Abraços e parabéns pelo blog.

  11. Já imaginaram se adotassem o BAFÔMETRO nas entradas dos estádios???? HAJA o dito aparelho…RSRSRSRS

  12. Os animais já se matam dentro do estádio sem beber cerveja e não acho que a mesma possa piorar a situação. Não tem coisa melhor que assistir uma boa partida de futebol em casa tomando uma cerva bem geladinha, imagina então no estádio sentado numa poltrona confortável, com várias famílias e torcidas misturadas. Eu sei que é um devaneio, mas seria ótimo.

  13. Cerveja sempre foi vendida na porta de todos os estádios.. não vai mudar absolutamente nada, se o estado gastar mais dinheiro para que não venda na porta, as pessoas vão buscar em outro lugar…

  14. Pedro Disse:
    janeiro 26, 2014 às 9:25 am

    Assim como vc e demais acima, concordo que não vender cerveja irá impedir brigas.
    Hoje é assim e brigas ocorrem sempre.

    S´discordo do amigo, referente Cosmo rímoli… ele é tendencioso e no dia que vc discordar dele e for colocar isso no comentário do blog dele, verás que foi censurado (bloqueado).
    Ele não permite discordar dele….
    Abs.

  15. Essa é boa. Em qualquer lugar do mundo a bebida e permitida em eventos esportivos. No Brasil também é permitido em outros eventos, como por exemplo shows de rock pesado onde pessoal que vai não é santinho. E agora alguém vai querer defender que a cerveja pode gerar mais violência? Tenha dó. Devido a poucos bandidos que deveriam estar presos ou proibidos de frequentar os estádios a grande maioria tem que ser privada de uma cervejinha.

  16. Permita me discordar!!

    O problema é que A POLÍCIA NÃO CONSEGUE COIBIR A VIOLÊNCIA NOS ESTÁDIOS, proibir a cerveja é apenas um detalhe!

    E quais seriam os outros passos….não ir uniformizado aos estádios, não gritar, não comemorar o gol de seu time, não zoar o colega de trabalho no dia seguinte??

    http://putariacarioca.wordpress.com/

  17. Eles querem que ocorram barbaridades nos estadios para que os advogados tenham mais clientes.

  18. Segundo dados a proibição da venda de bebida alcoólica em estádios fez diminuir 60% os casos de violência em estádios. Sou sócio torcedor e já presenciei várias discussões por motivos diversos (nego que sobe na cadeira, fica passando toda hora na frente, lances do jogo e etc) agora imagine esse povo bêbado. Não se mistura paixão com bebida e segundo o delegado responsável por eventos isso é uma irresponsabilidade. Quando pensar em algo pense como isso vai afetar a vida de muitas pessoas.

  19. Pqp, nessa você se ferrou…Apenas UM cara concordou com sua posição sobre cervejas nos estádios que, convenhamos, é muito inocente…
    Perdeu, playboy…..

  20. Este que comenta bebe cerveja e é a favor da cerveja nos estádios. Caso contrário não teríamos cerveja na October Fest, em Barretos, em Jaguariuna, na F1 entre tantos outros. Há não ser que vc acredita que só nos estádios tem malucos e manguaceiros. Não precisa ter cerveja nos estádios, o pessoal bebe antes de entrar, então pra que essa bobagem, todo mundo sabe que fora o pessoal bebe mesmo.

  21. Paulinho, muitos fumam maconha nas arquibancadas, cheiram cocaína nos estádios.. não será a cerveja que fará aumentar a violência,,,

  22. Discordo totalmente, pq quem quer brigar vai brigar bebendo ou não, quem quer roubar, fará o mesmo, com ou sem bebida, isso é tirar a liberdade de escolha do cidadão, eu bem como a maioria de meus amigos, gostávamos de ir ver um jogo de futebol no fim de semana e tomar umas cervejinhas e nunca teve uma confusão sequer conosco, muitos profissionais liberais, isso é do ser humano, o desgraçado que quer arrumar confusão, vai arrumar, ele já entra além de bêbado cheirado ou fumado, sem falar com que as cervejas são as maiores patrocinadoras do futebol mundial, isso é uma piada, se é pra se proibir que se proíba na Copa também. Quem é de bem sempre será de bem, agora ladrão, quadrilheiro ou bandoleiro deveria estar preso.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: