O mundo é do Corinthians pela segunda vez !

Numa partida duríssima, o Corinthians, guerreiro de Guerrero, venceu o Chelsea, por um a zero, e conquistou o segundo título mundial de sua história.

Jogando com a alma e o coração de seus jogadores, empurrados que foram por uma alucinada Fiel Torcida, que apresentou ao mundo o amor incondicional por um clube de futebol.

Emocionante ! Arrepiante ! Inesquecível !

Tivemos uma primeira etapa absolutamente equilibrada, digna de uma final de mundial, com destaque para goleiro Cassio que, com grandes defesas, conseguiu parar o ataque do Chelsea.

A primeira aconteceu aos 10 minutos, em batida de Cahill, na pequena área, após falha da defesa alvinegra.

O Corinthians, desde o início, buscava equilibrar as ações dentro de campo, e conseguia, embora alguns jogadores, como Sheik, demonstrassem claro nervosismo.

Sheik que aos 17 minutos foi fominha e não passou a bola para Guerrero, que estava sozinho na área, perdendo boa chance de abrir o marcador.

Aos 18 minutos, após algumas tentativas de infiltração na área, Jorge Henrique arriscou da intermediária, porém no meio do gol.

Um minuto depois foi à vez de Paulinho bater da entrada da área, desta vez por cima da meta.

O momento era bom para o Corinthians quando Guerrero, aos 28 minutos, deixou Shiek na cara do gol, mas ele, de primeira, bateu muito alto.

Paulo André salvou o Corinthians aos 32 minutos, após falha de Fabio Santos em bola que sobrou para Moses.

Por muito pouco, aos 34 minutos, o Timão não abriu o marcador, quando Guerrero fez grande jogada dentro da área, bateu cruzado, a bola passou na frente da meta e sobrou para Sheik, sem ângulo, chutar à direita do gol, rente a trave.

Três minutos depois Fernando Torres foi lançado na área, dominou na coxa e, de primeira, bateu para Cassio defender.

O goleiro corinthiano, inspirado, fez uma defesa espetacular, de mão trocada, aos 39 minutos, em chute muito bem colocado de Moses.

Chelsea que ainda teve a última oportunidade do primeiro tempo, aos 41 minutos, em chute de Mata, que Cassio novamente defendeu.

O equilíbrio permaneceu na segunda etapa, em que as equipes lutavam muito por cada palmo existente no gramado.

A primeira oportunidade foi do Chelsea, aos 8 minutos, mas Cassio impediu batida de Hazard, que entrava sozinho na área.

Aos 18 minutos, Guerrero ajeitou para Paulinho bater por cima da meta adversária.

Até que, no meio de tanto equilíbrio, aos 23 minutos, o estádio de Yokohama veio abaixo.

Paulinho fez grande jogada, fintou dois jogadores na entrada da área, deixou para Danilo que bateu, a bola prensou na defesa e sobrou para Guerrero, de cabeça, levar a Fiel à loucura !

Depois do gol, o Corinthians passou a se desdobrar ainda mais no gramado – como se fosse possível – e o Chelsea não acreditava no que via.

Houve tempo ainda para, aos 40 minutos, Cassio,  espetacular, no desespero do Chelsea, defender uma bola de Fernando Torres batida a queima roupa.

E para Cahill, aos 44 minutos, ser expulso por entrada violenta em Sheik.

Por sorte, aos 46 minutos, na única falha de Cassio na partida, Fernando Torres complementou para as redes, de cabeça, mas realmente estava impedido.

Os guerreiros de Tite, novamente, emocionavam boa parte do país.

No final, o Corinthians já era Bi-Campeão do mundo, inquestionável, numa sequencia invicta de jogos internacionais desde a Libertadores da América.

Um feito notável, histórico, emoldurado pelos milhares de fieis que atravessaram o mundo para testemunhar mais essa conquista alvinegra.

Agora, com a devida licença do leitor, este jornalista, de assumido coração alvinegro, vai agora comemorar.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.