Advertisements

Dez anos depois – a queda do Palestra em 2002

Por ROBERTO VIEIRA

Salvador.

Sem choro. Sem pizza. Sem vela.

17 de novembro de 2002.

O Palestra de Romeu e Ademir observa de longe.

O Palmeiras de Levir Culpi e Arce em campo diante do Vitória.

Foi um longo pesadelo.

Vinte e uma rodadas na zona de rebaixamento.

A esperança derradeira no Barradão.

Mustafá Contursi reza.

Duas rádios patrulhas acompanham o cortejo italiano.

O Vitória abre o marcador.

O Palmeiras diminui com Flávio.

Sebastião Lapola aperta a fitinha do Senhor do Bonfim.

O Vitória marca novamente.

O Figueirense vence o Paraná.

Será que dá?

Nenê Talismã empata.

Os poucos torcedores do Palmeiras ainda sonham.

Quando Zé Roberto e André golpeiam o Verdão.

Vitória 4×2.

O Brasil paralisado.

Arce diminui no apagar das luzes.

Virada de mesa?

Desta vez não irá acontecer.

O Palmeiras cai.

Mas não cai sozinho.

Junto do Verdão caem a Lusa e o Fogão.

Para tristeza de Romeu e Ademir.

Para alegria da segunda divisão e do Gigante do Agreste…

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: