São Paulo absoluto, Galo morto

Por JUCA KFOURI

http://blogdojuca.uol.com.br/

O São Paulo jogou em São Januário como se estivesse no Morumbi.

Muito mais interessado na Libertadores que o Vasco, pensando em dormir.

E depois de exigir boas defesas de Fernando Prass, abriu o placar , aos 20 minutos.

Já que Fred e Bruno Mineiro passaram a noite em branco, Luís Fabiano tratou de  deixar sua marca pela 14a.vez, empatando com os dois.

Logo depois, Jadson perdeu o segundo gol, ao chutar em cima de Prass.

Em todo o primeiro tempo, só uma vez Rogério Ceni precisou trabalhar.

E nem bem o segundo tempo começou e Osvaldo fez um golaço, pela esquerda por cobertura: 2 a 0.

Aí o Vasco acordou.

Era tarde.

Mas Rogério Ceni teve de brilhar, com três grandes defesas seguidas.

E, depois, mais duas, a ponto  de Juninho Pernambucano reclamar, como que dizendo ” você está de sacanagem”…

Nada indica que o Vasco vá resistir ao assédio são-paulino.

No Beira-Rio (3.372 pagantes), no jogo dos dez desfalques, cinco de cada lado, o reserva de Victor, Geovanni, fez um milagre em bola de Rafael Moura e outra boa defesa em bola de fora da área, evitando gols do Inter.

Foram as parcas emoções do primeiro tempo no  clássico estragado pelo STJD.

A maior delas, aos 20 do segundo tempo, quando Jackson deu um drible seco na entrada da área e fuzilou, em belo gol para alegria colorada e, principalmente, tricolor, do Flu e…do Grêmio.

Quinze minutos depois, Fred, o outro, em novo belo gol gaúcho, fez 2 a 0, deixando o Galo, definitivamente, a nove pontos do Flu.

Aos 41, em jogada de Dagoberto, que acabara de entrar, pela esquerda, Cassiano feriu o Galo de morte: 3 a 0.

Jô ainda desperdiçou um pênalti inexistente, defendido por Muriel, com o pé.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.