Advertisements

Os acertos e erros da população de São Paulo nas eleições 2012

Durante todo o período eleitoral, a cidade de São Paulo correu o risco de ter Celso Russomanno (IURD), teleguiado de Edir Macedo, recebendo ordens no poder.

A derrota dessa gente foi a maior demonstração de que as mídias sociais e a imprensa independente, que abriram os olhos da população, cada vez mais serão importantes para esclarecer as verdades que as campanhas eleitorais tentam esconder.

Pena que nas escolhas daqueles que nos representarão na Câmara Municipal, nem sempre a maioria tem vez, gerando oportunidade para que pequenos grupos bem articulados de acéfalos ou até maus feitores consigam, vez por outra, emplacar um desqualificado.

Caso específico, por exemplo, de dois candidatos eleitos pela bandidagem das “organizadas”, Goulart (PSD) e Antonio Carlos Rodrigues (PR), ajudados, respectivamente, pelas desprezíveis “Gaviões da Fiel” e “Mancha Verde”.

Infelizes são também os que colocaram o “comunista” Netinho (PCdoB) no poder, mesmo após histórico tão nocivo como ser humano.

Vicente Viscome, de tantas e tantas “confusões”, também nos dará a alegria de sua ausência na Câmara Municipal, assim como o tal Malek, que se dizia “candidato do Dr. Paulo Maluf”.

A não eleição de gente que se utiliza do esporte para enganar a população deve também ser comemorada.

Por exemplo, o candidato preferido da facção criminosa que comanda os presídios de São Paulo, Wadih Mutran (PP), abandonado pelo dirigente corinthiano, o empresário da Sorte, André Negão, a quem deu de comer, ficou pelo caminho.

Não teremos o bíblico Marcelinho Carioca (PSB), “nota de R$ 3”, que ficou de fora mesmo com o apoio arrependido de gente do Corinthians e também de jornalistas desqualificados.

O ex-ministro do Esporte, Orlando Silva Junior (PCdoB), que um dia sonhou em ser Prefeito de São Paulo, percebeu que nem para síndico do “treme-treme” se elegerá mais.

Aberrações intelectuais e morais, como Chico Lang (PTB) e Agnaldo Timoteo (PR) foram também defenestrados nas urnas, junto com o caricato Dinei, que além de “gritinho” ridículo que o acompanha há anos, fez campanha ao lado de desqualificados como Paulinho da Força e Joaquim Grava, outro derrotado que se utilizou do Corinthians nesse pleito.

Houve sim evolução no nível de escolha dos candidatos, mas há muito ainda o que melhorar.

Resta-nos agora a missão de fiscalizar a todos, exigindo conduta moral e ética ilibada, além de trabalho a favor da população, sempre denunciando e exigindo punição daqueles que assim não se comportarem.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: