Anúncios

Não há “santos” no STF

 

O Ministro Joaquim Barbosa, que durante a semana teve atitude admirável ao dizer tudo o que pensamos sobre Gilmar Mendes, em rede nacional, não é o “santo” que a imprensa e alguns setores políticos querem fabricar.

Seu desempenho no STF tem sido o mais fraco entre todos os Ministros.

É de longe o que menos trabalha.

Tem 17.207 processos parados em sua mesa.

Seus colegas de STF têm, em média, pouco mais de 5 mil.

Dois destes processos levantam suspeita sobre a conduta de Joaquim Barbosa.

O mais famoso deles é o do Mensalão.

Vale lembrar que o Ministro chegou ao STF pelas mãos de Lula.

Outro caso, com evidências enormes de favorecimento ao Governo, é o da Tribuna da Imprensa.

Publicação histórica, fundada por Carlos Lacerda, durante anos combateu os desmandos da ditadura brasileira.

A Tribuna move um processo de indenização contra o Governo, causa ganha em todas as instancias, mas que está parada na mesa de Joaquim Barbosa, esperando julgamento, há três anos.

O jornal tem R$ 10 milhões para receber do Governo, de indenização, pelas várias vezes em que teve sua liberdade afrontada, pelos diversos representantes das Ditaduras brasileiras.

Desde o início de dezembro, o jornal está fora de circulação, afundado em dívidas.

Hélio Fernandes, proprietário da publicação, classifica como “morosa, tendenciosa, descuidada, displicente, verdadeiramente injusta e ausente”, a participação de Joaquim Barbosa no julgamento do caso.

Em represália a está declaração, uma das últimas do jornal, o Ministro Joaquim Barbosa declarou-se suspeito para julgar o caso.

Três anos parado em sua mesa, sem motivo para tal, com sucessivas derrotas do Governo nas mais diversas instancias, levantaram ainda mais suspeitas sobra a atitude.

Por conseqüência o processo teve que ser redistribuído.

O jornal, neste período, parou de funcionar, com R$ 10 milhões a receber, mas sem um tostão no bolso para arcar com suas responsabilidades.

O Ministro Celso de Mello, duramente criticado pelo blog, em outra oportunidade, ficou com a incumbência de deliberar sobre o caso.

E o fez em pouco mais de 30 dias.

Ratificando as decisões judiciais anteriores.

Demonstrando ainda mais a falta de correção de Joaquim Barbosa ao tratar do caso.

Três anos de “estranha” morosidade foram resolvidos em 30 dias de trabalho, no mínimo, melhor qualificado.

Por este motivo temos que ter muito cuidado ao analisar o caso entre Joaquim Barbosa e Gilmar Mendes.

Temos que exaltar o gesto, sem dúvida, magnífico, de Joaquim, mas não podemos cair no erro de considerá-lo um homem acima de qualquer suspeita.

Está bem longe disso.

Anúncios

30 Respostas to “Não há “santos” no STF”

  1. ednaldo Says:

    Puta reaça vc hein cara? O Min. JOaquim apenas falou o que todo o brasileiro alfatetizado policitamente tem vontade de dizer ao soltador de bandidos Dantas, o Gilmar Mendes.

    Na boa, não tou curtindo teu blog não.

    Paulinho: Não é obrigado a vir aqui

  2. geraldo lina Says:

    entao nao fica um se gritar pega ladrao ?

    ***(*) ******(*)

  3. Luiz/Ctba Says:

    Paulinho: PARABÉNS!!!!!!!! Honestamente, leio seu blog já à algum tempo, pela 1a. vez vi um post seu mostrando a outra face da verdade.
    O tal do Ministro, assim como o Protógenes não são um poço de virtudes.
    Acredito que todos as pessoas públicas, independente de cargos ou partidos politicos devam ser criticados duramente por eventuais falhas, mas sempre com correção e sem perseguições. Um abraço.

  4. Carlos Almeida Says:

    Antes tarde do que nunca, pois quem tem pressa come cru.

  5. euclydes zamperetti fiori Says:

    Verdade, em um postado ou participação de comentario passado afirmei q. para chegar a ministro é necessario fazer varias manobras e pedir benção, portanto, quem lá chega o faz com o rabo preso.
    Acorda, Brasil
    zamperetti fiori
    cidadão e,
    ex-árbitro de futebol

  6. euclydes zamperetti fiori Says:

    O jornalista Hélio Fernandes é combativo, creio q. não teme aos poderosos, impostores e seus prepostos.
    zamperetti fiori
    cidadão e,
    ex-árbitro de futebol

  7. CARLOS Says:

    Se colocarmos o stf inteiro dentro de um liquificador, sairá o que

  8. Luís Carlos Says:

    Eu repito que enquanto o STF possuir sede em Brasília será sempre um órgão político.

    O Joaquim Barbosa possui (é claro) seus defeitos, mas isso não torna o Gilmar Mendes, seu desafeto, uma pessoa acima de qualquer suspeita.

    Pode-se citar três episódios recentes em que o Gilmar Mendes agiu em desacordo com a função. Isso tirando o instituto que só instituta para o Legislativo e os “capangas” do Mato Grosso.

    O primeiro “habeas corpus” concedido ao Daniel Dantas nada tem de irregular, pois tratava-se de um salvo conduto que já havia passado em instâncias inferiores e estava sendo apreciado no STF nessa ocasião. É claro que o Gilmar Mendes deu uma apressadinha no julgamento e proferiu uma decisão antipopular, mas legítima.

    O segundo “habeas corpus” havia sido negado pelo juiz Fausto de Santis e o advogado de defesa deveria recorrer da decisão na instância imediatamente superior, o STJ no caso. O Gilmar Mendes não só ratificou uma decisão antipopular como atropelou o rito processual e de quebra ainda ficou bravo com o juiz, que agora é considerado criminoso.

    Encabeçado pelo Gilmar Mendes, o STF editou uma súmula vinculante que obriga todos os policiais a efetuarem prisões sem algemar os presos. Tudo isso porque figurões amigos estavam sendo filmados algemados pela Polícia Federal.

    Fora o despropósito do teor da súmula, já que em todos os países os presos são algemados, sua edição foi uma verdadeira aberração jurídica já que uma súmula é editada apenas quando algum dispositivo de lei gera reiterada controvérsia jurídica e serve para pacificar de vez o assunto. Ocorre que o uso da algema é um procedimento administrativo utilizado pelas polícias e não tema de lei. Editar súmula sobre a “não algemação de rico” é o mesmo que editar uma súmula dizendo que o uniforme de todos os policiais deve ser cor de rosa.

    O último incidente é a suposta escuta clandestina veiculada por uma revista visivelmente comprometida com o Daniel Dantas que fez o delegado Protógenes Queiroz passar de acusador a acusado e a instauração de uma CPI no Congresso. Até agora ninguém botou a mão nessa gravação.

    A revista Carta Capital fez uma matéria de capa sobre a discussão entre o ministro Joaquim Barbosa e o Gilmar Mendes. A matéria cita, entre outras coisas, que os ministros Gilmar Mendes, o Cezar Peluso e o Menezes Direito (?) articularam naquelas três horas de reunião a divulgação de uma nota de repúdio ao Joaquim Barbosa, fazendo menção a uma suposta quebra de decoro, coisa que embasaria um posterior pedido de impeachment. O ministro Ayres Britto foi quem os fez desistir.

    Infelizmente esse é o nosso STF.

  9. Demócrito de Abdera Says:

    Vc. leu sobre o desfile do ministro no Rio, na sexta-feira?
    Será que ele pretende ser mestre-sala de qual escola de samba?
    Tô apostando na Mangueira…..

  10. Marciano de brito Silva Says:

    Começou a perseguição em cima do Joaquim Barbosa….

  11. Genésio Lemos Says:

    Paulinho,
    vc está se deixando influenciar novamente.
    Leia o que o Nassif fala em seu dossiê sobre a Veja no ítem “assassinato de reputação” e constate que o que vc fez neste post é exatamente isso. Ou seja, circular o acerto do ministro de vários erros menores (às vezes nem comprovados) para torná-lo, o acerto, insignificante.
    Parabéns pelo trabalho, porém só recomendo que tenha mais cuidado nas acusações.

  12. geraldo c araujo Says:

    Tudo isso só confirma a minha hipótese de que o Brasil de hoje é um imenso pantanal – sem as belezas do seu correspondente matogrossense, mas com as emanações putrefeitas dos mais fétidos lodaçais – e está muito bem representado por seus poderes Legislativo, Judiciário e Executivo.

  13. washington silva Says:

    paulinho vc ta nada haver

  14. Rafael Costa Says:

    BARBOSA: APLAUSOS QUANDO BRIGA COM GILMAR, SILÊNCIO QUANDO ACEITA A DENÚNCIA DO MENSALÃO

    Ao discutir com Gilmar Mendes, Joaquim Barbosa se transformou em herói dos inimigos daquele com quem bateu boca, no melhor estilo “inimigo do meu inimigo é meu amigo”. Nunca tive simpatia alguma pelo Ministro Gilmar, e isso já ficou claro neste blog. Mas, não por isso, devo concordar ou discordar de Barbosa. Porque cada caso é um caso e é preciso levar em conta os fatos, não as pessoas.

    E a petistosfera* caiu na arapuca sem pensar nisso.

    Isso porque Joaquim Barbosa é nada menos que o Ministro do STF encarregado de relatar o processo do Mensalão. Isso mesmo. E, como tal, foi ele que acolheu a denúncia do Procurador Geral da República, acatando a denúncia da “quadrilha”.

    Naquela ocasião, vejam só, não foi aplaudido pelos blogs ligados ao PT. Não recebeu nenhum tipo de apoio ou coisa do tipo. Nada. Passou batido. Quando se pôs contra um esquema de corrupção avassalador, Joaquim Barbosa foi ignorado por toda a petistosfera e, até hoje, muitos desses blogs consideram o Mensalão uma coisa fictícia, “criada pela imprensa”.

    Ontem, por exemplo, vi uma cena a um só tempo ridícula, teratológica e absurdamente cínica: um militante conhecido na Internet, subscritor de abaixo-assinado para ANISTIAR Zé Dirceu, elogiava Joaquim Barbosa.

    É mole? Ele é um herói quando discute com Gilmar Mendes numa sessão do STF; mas, quando acolhe a denúncia contra os mensaleiros, não merece nem ser mencionado.

    Há dois Joaguins Barbosas. Um bom e um ruim. O bom é o que briga com o Gilmar, o ruim é o que aceita denúncia contra a corrupção petista. Um ganha textos em sua homenagem nos blogs do governo. O outro é ignorado a ponto de se pensar que nem deva existir.

    Não gosto de Gilmar Mendes nem da corrupção petista. No caso da discussão, achei o episódio no máximo divertido, e ao mesmo tempo um tanto vexatório em razão de ter acontecido numa sessão do tribunal. No caso do Mensalão, achei corajoso, mas aguardo o julgamento pois é assim que se deve proceder no Estado Democrático de Direito.

    A petistosfera, porém, separa as coisas de uma forma curiosa. Faz festa e alarde na hora da briga com Gilmar, e finge que Joaquim Barbosa não existe quando ele acolhe a denúncia contra o PT. O de sempre, portanto:

    Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

    Fonte:
    http://www.interney.net/blogs/imprensamarrom/

  15. Philipe Moura Says:

    Paulinho,

    Em um comentário anterior havia criticado o seu post sobre o seu. No entanto, neste você fez um excelente trabalho. Trouxe um fato verídico e que vem sendo desconsiderado pela imprensa brasileira. Todos nós temos defeitos, uns mais outros menos graves, assim, não seriam os Ministros do STF imunem a erros e com as consequentes críticas aos seus eventuais deslizes. Apesar das suas decisões polêmicas (utilizo esse adjetivo por entender ser o mais adequado, pois não existem provas de corrupção), o Ministro Gilmar Mendes tem um currículo que merece respeito. Ele contribuiu muito para o judiciário brasileiro. Já o Ministro Joaquim Barbosa, o que ele fez??? Qual a tese jurídica relevante que ele criou??? Nenhuma. Temos que aprender a respeitar as pessoas e só fazer acusações se tivermos provas do que alegamos, como, álias, você faz muito bem neste espaço, com relação aos desmandos do futebol. Parabéns pela matéria.

  16. Luiz/Ctba Says:

    Prezado Luiz Carlos: Vc.cometeu uma série de equívocos em seu comentário:
    1) Onde vc. quer que seja a sede de um dos Poderes da República? O
    STF está situado na Praça dos 3 Poderes em Brasilia.
    2) O habeas corpus de Dantas foi concedido pela inexistencia de motivo legal que justificasse tal ato.
    3) O novo pedido de prisão pelo Juiz De santis, foi uma afronta ao STF.
    (O bom Juiz não é aquele que condena antecipadamente todo mundo e sim aquele que profere sentenças JUSTAS, condenando ou absolvendo)
    4) Onde o Sr. ouviu falar, fora os EUA , que se algemam pessoas sem periculosidade?
    5) Baseados em que conhecimento o Sr.profere uma atrocidade dessas ” os figurões seus amigos ricos sendo algemado”??????
    6) Comprovadamente, o Sr. Protógenes, extrapolou sua funções, “rasgou a constituição” deu uma de “Rambo” e está sendo punido por isso.
    Devemos todos, mas principalmente os que tem o poder da mídia nas mãos, devem ter muito cuidado com o que escrevem, visto que; somos um povo, na
    sua maioria, facilmente influenciáveis, acham que tudo que está escrito ou veiculado pelas TV é verdade. Veja-se o exemplo do tal Ministro Joaquim, nunca ninguém tinha ouvido falar dele, bastou ele afrontar grosseiramente o Chefe de um dos 3 Poderes da República, para que pessoas claramente desqualificadas e leigas o chamassem de “canalha” e outos,legitimos “gado de manada” querendo abaixo-assinado e propondo o sujeito para Presidente da República. Não esqueçam,foi assim que vcs. elegeram o Collor, votam no Maluf e por ai vai…….
    Em tempo: Não defendo nenhum corrupto ou ladrão, de forma alguma, nem tenho vinculos politicos com nada, apenas odeio as acusações falsas e a ignorancia, e odeio ainda mais a manipulação do povo por que tem a informação correta e as omite. Um abraço.

  17. Roque Silva Says:

    Chega a ser um sacrilégio comparar um com outro.
    O Ministro Gilmar Mendes bota a “Cosa Nostra” no bolso.
    Abc.

  18. Juiz Says:

    HAHAHAAHAHA
    Carlos Lacerda?
    Contra ditadura?
    Agora conta a da loira.
    Poxa Paulinho, o Lacerda foi o maior canalha desse pais.
    Fez campanha pros militares tirarem o Jango do poder.
    Desculpa, mas parei de ler o texto nessa parte.

  19. Tricolor 6-3-3 Says:

    Paulinho,

    Esse texto comprova a impressão que sempre tive de você. Apesar de discordar frontalmente de diversas opiniões manifestadas por você aqui no blog, sempre enxerguei em você um jornalista diferenciado, pois sinto em todos os seus posts uma honestidade que falta a muitos. Não tem medo de desagradar ninguém, fala o que acha justo e, apesar de às vezes se precipitar (minha opinião), está sempre à busca da verdade. Precisamos de mais pessoas como você no Brasil, em especial na imprensa.

    Quanto ao Celso de Mello, tente estudar mais a trajetória desse ministro. Verá que, assim como você, é uma pessoa firme em seus ideais, seus votos são sempre um aula de direito e, acima de tudo, é uma pessoa que sempre busca a justiça. Ele e o Min. Marco Aurélio são os melhores ministros do Supremo Tribunal, que a cada voto demonstram sua qualificação para exercer o cargo.

    Philipe Moura:

    De fato, o ministro Barbosa só possui uma obra de algum destaque, em que defende as cotas raciais como forma de corrigir as injustiças históricas contra os negros (tese da qual discordo completamente).

  20. Luís Carlos Says:

    1) Eu sei (e qualquer uma sabe) que o STF está na Praça dos Três Poderes. Você não entendeu nada do que eu quis dizer. Eu acho que o país deveria alocar os “poderes” em locais separados como em alguns países. Isso é uma opinião e você pode discordar dela, naturalmente.

    2) O primeiro “habeas corpus” foi impetrado antes da primeira prisão (por isso fiz menção a um salvo conduto) e o Gilmar Mendes decidiu acatá-lo. Tem poder pra isso e não é obrigado a conceder decisões que agradem ao público. O segundo “habeas corpus” havia sido rejeitado pelo juizo federal e deveria ser reapreciado pelo STJ e não pelo STF. O próprio Gilmar Mendes rejeitou um pedido semelhante no caso do Casal Nardoni, que também tentou atropelar o rito processual. Só para informação, a defesa do casal reapresentou o pedido ao STJ, que denegou o pedido. O casal está preso até hoje, aguardando julgamento.

    3) Você está se utilizando das palavras do próprio Gilmar Mendes para defendê-lo: “afronta ao STF”. A segunda prisão foi especialmente por CORRUPÇÂO ATIVA. Se fosse afronta ao STF o juiz deveria pedir a prosão também do Pitta e do Nahas, que foram presos junto do ilibado Daniel Dantas. Por que não o fêz?

    4) A questão é saber de antemão quem é periculoso ou não. Acho que quem é preso não curte muito isso não. Em que país se algemam criminosos não-periculosos? Sei lá! Serve o Irã?

    De qualquer forma não discuto se deve-se usar algemas ou não. Discuto sim a edição de súmula para tratar disso. Quem deveria deliberar sobre isso é o Congresso e não o Judiciário.

    5) Baseado em coisas que eu não posso explicitar abertamente, naturalmente. Mas se você sentiu-se ofendido com isso, me desculpe. Não foi a intenção.

    6) Só citei que o Protógenes Queiroz passou de investigador a investigado a partir de uma denúncia de escuta clandestina em que ninguém apresentou a gravação. Não vai dar em nada.

    Quanto aos procedimentos do delegado, não os debati no meu texto anterior, mas mesmo que esse tenha agido fora da lei, não tiro uma vírgula do que escrevi sobre o Gilmar Mendes.

  21. Luiz/Ctba Says:

    Luiz Carlos: O assunto das algemas já foi deliberado e infelizmente não cumprido. Vale para mim, para vc. e para todos.
    Algemar o Pitta, sexagenario, de pijamas e chamar a Globo, como vc. chamaria isso? Justiça ou Justiciamento? Isso é periculuzidade?
    Em relação ao “mensalão” qualquer cidadão informado ou com que não tenha má vontade, sabe que efetivamente não houve “mensalão” como o Dep Jefferson acusou (tanto que foi cassado porque não provou). Foi sim financiamentos obscuros de campanha, que começou com o candidato Azeredo em 1998 do PSDB em Minas. Não existe nenhuma prova contra José Dirceu, o qual na minha opinião, foi cassado por motivos de represália e politicos. Pelo que o próprio já fez e lutou pelo País mereceria uma revisão do seu caso.
    O Sr. deve ser Advogado, eu não sou, mas de qualquer forma, grato pelas suas respostas civilizadas. Temos opiniões divergentes apenas, consequentemente nossa discussão é saudavel. Um abraço.

  22. Marcos Says:

    Paulinho,

    Em relação aos ministros do STF é complicado falar, mas um dos argumentos do Barbosa é de alguém que não sabe nem qual é o seu papel.
    O STF tem por função constitucional garantir o cumprimento da mesma. Não é papel do do poder judiciário “ouvir” as vozes das ruas, por isso que eles não são eleitos. O papel deles é cumprir o que está escrito na carta magna. Agora, se o Barbosa não sabe disso, não tem capacidade de exercer função tão importante.

    Quem deve ouvir a voz das ruas são aqueles eleitos pelo povo Poderes Executivo e Legislativo.

    As decisões judiciais tem que ter carater técnico, e a menos que conheçamos tão bem a Constituição fica complicado criticar. Só acho que muitos juízes de primeira instância, e o próprio Barbosa estão com uma visão distorcida do papel do judiciário. As decisões judiciais não devem levar em conta a classe social dos envolvidos, e foi isso que o Gilmar Mendes disse ao Barbosa.

    O que acho ruim hoje é a indicação dos ministros do STF pelo presidente da República, o que gera desconfiança quanto a algumas decisões.

    Abraço

  23. Luís Carlos Says:

    Não sou advogado não colega, são apenas opiniões!

    Considero que a utilização das algemas é uma questão bastante delicada. O policial não sabe se o preso vai sair correndo, dar-lhe um soco na cara ou até tomar-lhe a arma e matá-lo. O preso pode até aparentar ser um não-periculoso, mas na hora da prisão, que deve ser uma coisa muito desagradável mesmo para quem a merece, pode ter uma atitude imprevisível nessa hora, mesmo um cara de pijamas como o Pitta.

    Mas repito que a questão deveria ser deliberada por lei de iniciativa do Congresso Nacional. Não pelo sr. Gilmar Mendes.

    De qualquer maneira, valeu pelo debate!

    Abçs.

  24. mclane Says:

    Paulinho,

    Já parou para pensar nos motivos de Joaquim ter tantos processos a mais que seus colegas? Deixo uma dica: veja o histórico de licenças médicas do mesmo. Já é um começo.

    Quanto ao mensalão, vale lembrar que o mesmo aceitou a denúncia, enquanto seus colegas só resolveram imitá-lo após a FSP flagrar a imagem publicar a conversa entre três ministros, dizendo que não aceitariam a denúncia (no que mudaram rapidamente de opinião, após imenso turbilhão público).

    O caso Tribuna da Imprensa é interessante. Sempre pensei que a bolsa-ditadura era exclusivo de pessoa física. Imagine se todos os veículos de mídia censurados resolvessem culpar a ditadura pela má-gestão de seus diretores. Veja, Estadão, FSP, Globo, todos foram censurados e não requisitaram um centavo de indenização. A ditadura terminou oficialmente em 88, de lá para cá todos esses veículos já estabelecidos aumentaram, até o início desse século, suas vendas. O tal Tribuna da Imprensa não o fez, mesmo sem ditadura. E a culpa repousa sobre ela, agora, após 20 anos de democracia? Nem entrarei no mérito discutido por você, sobre o grande lapso de tempo de Barbosa, uma falha, ao meu ver. Mas daí a dizer que esses 10mi servirão para informação – se é que são devidos – é uma coisa completamente diferente. O jornal quebrou, não pela perseguição, e sim pelos seus diretores, maus-gestores, pela concorrência, etc.

    Joaquim não é santo, mas não parece ser tão culpado quanto você leva a crer.

  25. omar Says:

    Só para constar, se ele trabalhasse nos processos como o Gilmar Mendes, dando habeas corpus em minutos, garanto que a mesa dele teria 2 ou 3 processos.

  26. Diego H. C. Alexandre Says:

    Putz… o cara tem mais de 17.000 processos em sua mesa e você está reclamando que ele está lerdo demais em julgar um caso?
    Ainda mais quando, envolvido diretamente no caso, se declara suspeito -atitude de homem sério, já que poderia muito bem ter julgado de forma tendenciosa, mas preferiu já dizer que não poderia julgar -, você ainda reclama?
    Você não entende nada do assunto e quer opinar, como no caso em que defende que uma pessoa acusada de um crime não pode ter advogado… Tá complicado certas posições suas…

  27. Rodrigo Fierro Says:

    Eh Paulinho, é só ler a vejinha que você se situa… tava até estranhando que você estava “batendo” no homem forte da oposição.

    Pode, agora, democraticamente apagar meu comentário…

  28. fernando Says:

    bom, com certeza voce não vai publicar isso, então lá vai:
    Definitivamente eu não gosto de voce por vários motivos, especialmente porque entendo serem sobremaneira tendenciosos seus posts.
    Entretanto, pela primeira vez, voce escreveu algo que eu posso concordar plenamente.
    Tenho certeza que esta será a única vez que eu direi isso: parabéns.
    Saiba que esse Sr. Ministro tem coisas bem piores do que voce escreveu.

  29. paulinho Says:

    Tudo farinha do mesmo saco, tenho saudades de 30 anos atrás.

  30. A quantas anda a sua Ética? : www.informacaodeprimeira.com.br Says:

    […] concessão de dois habeas corpus a Daniel Dantas. Por outro lado, encontrei na rede quem diga que o ministro Joaquim também tem lá seu calcanhar de Aquiles. que tem em seu currelmarSupremo em nototmesmos lugares onde seus eleitores o […]

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: