Advertisements
Blog do Paulinho

O Herói (agora) silencioso do Corinthians

Enquanto líder de chapa oposicionista, o perito judicial Herói Vicente renegava o passado de colaborador da gestão Andres Sanches e discursava, belicamente, contra o então desafeto.

Havia um misto de rancor e indignação nas manifestações.

A promessa era a de implementar um compliance na administração do clube e, consequentemente, eliminar a sugerida corrupção.

Muitos, insatisfeitos com a gestão do Corinthians, acreditaram no ‘messias’ e seguiram seus passos.

Alguns, compondo chapa eleitoral; outros, votando nas eleições alvinegras.

Dias depois do sucesso nas urnas a realidade se impôs.

Ao primeiro aceno do vencedor, o discurso virou fumaça e Vicente aderiu, aceitando a função de diretor jurídico.

O tal compliance foi implementado, porém, diferentemente do que se esperava, através de um dos clientes de seu escritório, configurando aproximação inapropriada entre supostos investigador e investigado.

Desde então tudo segue como sempre esteve em Parque São Jorge.

Os intermediários comandando a diretoria de futebol; o clube compromete-se a pagar salários em valores superiores ao que consegue arrecadar; as parcelas do estádio estão atrasadas; não há comprovação de pagamento dos ‘naming-rights’; um bicheiro comanda a base do Corinthians sem cargo oficial e, mesmo apanhado pagando propina, permanece dando ordens, etc, etc, etc.

Nesse mundo de imundice, nenhuma das sujeiras para incomodar mais Herói Vicente.

Nem o compliance.

Pior: alguns de seus companheiros de chapa, que também discursavam moralidade, permanecem calados, em conivência.

Apenas três ou quatro, de vinte e cinco, perceberam a roubada e pularam fora do barco.

Se, politicamente, a situação é óbvia, ou seja, não criar problemas para tentar ser presidente apoiado pela situação – não importando a que preço (para o clube ou a custo pessoal), institucionalmente, a pasta jurídica, no mínimo, deve explicações.

Quais foram as orientações do compliance seguidas pela diretoria e as que não foram acolhidas?

Por que?

Sócios e conselheiros do Corinthians, verdadeiros patrões do escritório contratado, precisam saber quanto pagam, que serviços estão sendo prestados e, principalmente, se as ‘sugestões’, aceitas ou não, geraram lucro ou prejuízo aos caixas do Timão.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: