Advertisements

Malcom garante a Medalha de Ouro para o futebol brasileiro

A Seleção Brasileira, após empatar com a Espanha em um a um no tempo normal, venceu por um a zero na prorrogação, conquistando o Bi-Campeonato Olímpico de Futebol.

Medalha de Ouro merecida, com grande atuação de Malcom, autor do gol decisivo.

Tivemos uma primeira etapa equilibrada, com o Brasil um pouco mais ofensivo e a Espanha no habitual estilo de assegurar a posse de bola.

Antony, individualmente, gastava a bola.

Aos 37, o goleiro Unai Simón, em saída do gol, atropelou Matheus Cunha e o árbitro, auxiliado pelo VAR, assinalou a penalidade.

Minutos depois, Richarlison bateu mal e jogou a bola muito acima da meta.

A chance perdida parece ter motivado os brasileiros, que passaram a envolver com mais facilidade a, até então, bem postada defesa adversária.

Quando tudo indicava empate antes do intervalo, aos 47, Daniel Alves recuperou bola saindo pela linha de fundo que sobrou para Matheus Cunha dominar e, com enorme categoria, bater no canto rasteiro esquerdo, abrindo o marcador.

Era justo.

O Brasil começou muito bem a etapa final, atraindo os espanhóis e jogando no contragolpe.

Aos 6, Richarlison recebeu na área, cortou o zagueiro de maneira desconcertante, bateu no gol, mas a bola, caprichosamente, bateu na perna do goleiro e pegou no travessão.

Porém, aos 15, Soler cruzou pela direita e Oyarzabal, de primeira, marcou um golaço.

Daí por diante a Espanha melhorou e passou a ditar o ritmo do jogo.

Pelo Brasil, Arana e Matheus Cunha se desdobravam, mas o restante do time caiu de produção.

Aos 39, Óscar Gil errou cruzamento pela direita, mas a bola pegou trajetória esquisita e bateu no travessão de Santos, quase definindo a partida.

Quatro minutos depois, Bryan Gil, sem marcação, bateu da intermediária e, novamente, o travessão brasileiro foi atingido.

O resultado, por óbvio, já era injusto.

Um a um confirmado, iniciou-se a prorrogação.

Malcom voltou no lugar de Matheus Cunha.

Diferentemente do tempo normal, o Brasil voltou pressionando no ataque enquanto a zaga espanhola se desdobrava para defender.

Apesar da blitz, o empate se manteve.

No segundo tempo, Reinier voltou na vaga de Claudinho que, de fato, não jogou bem.

Logo aos 02 minutos, Malcom, o melhor em campo, recebeu lançamento de Antony pela esquerda, ganhou da zaga e bateu na saída do goleiro, desempatando a final.

Para segurar o jogo e ganhar um pouco de tempo, Gabriel Menino e Paulinho entraram nos lugares de Antony e Richarlison.

No final, em meio a emocionante comemoração dos brasileiros, vale o destaque para Daniel Alves, que, aos 40 anos de idade, juntou mais um título importante à sua extensa galeria de conquistas.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: