Advertisements

O ‘parça’ Medina e o marketing que viabiliza suas tolices

Antes das Olimpíadas 2020, o surfista Gabriel Medina brigou com o COB porque se achava no direito de, em meio à disputa, viver uma espécie de ‘lua de mel’ com Yasmin Brunet, sua companheira atual.

Esse comportamento, por óbvio, se deu pela certeza do protagonista, em meio a exaltação de se considerar ‘celebridade’, da medalha olímpica ‘garantida’, seja ela qual fosse, embora o ego só pensasse na de Ouro.

Deu no que deu.

Para completar a comprovação de imaturidade, Medina se viu suspenso de importante etapa do Mundial de Surf, por ter, irresponsavelmente, se recusado a vacinar.

Em nova demonstração de empáfia, minimizou o problema dizendo que poderia descartar, pelo regulamento da competição, a pior qualificação.

Sequer pensou em desculpar-se pelo erro, que, por óbvio, acredita não ter cometido.

Esse ‘exemplo’ de atleta e ser humano é patrocinado, estima-se, por quase 15 marcas, que acabam por transformá-lo num dos atletas melhores remunerados do planeta.

Enquanto isso, Ítalo Ferreira, preto, sem as possibilidades de treinamentos ofertadas a Medina, atual campeão mundial – vencendo o ‘marido’ de Yasmin -, além de medalhista de Ouro olímpico, é amparado por três ou quatro marcas, sendo apenas uma delas relevante.

Gabriel sequer saiu com o Bronze da competição.

Um dia, os donos de grandes empresas acordarão para o fato de que os administradores de seus recursos de marketing, em vez de trabalharem pelo sucesso da marca, direcionam o dinheiro para ‘organizações’ que melhor atendam aos interesses das agências.

Em português claro, devolvem parte da quantia para divisão, indevida, de comissionamentos.

Ítalo, talento raro, se vira como pode para competir em grande nível; Medina é assessorado pelo pai de Neymar e tudo o que isso possa significar nos bastidores, inclusive a condição, na vida pessoal, de ‘parça’ do filho famoso, o que, por si, parece explicar a questão da estupidez.

Facebook Comments
Advertisements

Um comentário sobre “O ‘parça’ Medina e o marketing que viabiliza suas tolices

  1. guest

    Preferia dar uma medalha a quem limpa o banheiro a dá-la a qualquer esportista que dependa de dinheiro público

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: