Advertisements

A CPI e o comando do genocídio

Da FOLHA

Por CRISTINA SERRA

Com o que obteve, CPI já tem elementos para identificar responsabilidades

Em geral, CPIs começam com indícios, pistas, suspeitas. A CPI da Covid começou um passo à frente, favorecida por um roteiro traçado pelas declarações de Bolsonaro desde o começo da pandemia, amplamente documentadas. Basta mencionar sua campanha permanente a favor da cloroquina e contra o confinamento, o uso de máscaras e as vacinas.

É de se notar o despreparo de muitos senadores para inquirir os depoentes. Alguns até abrem mão de perguntar porque estão mais preocupados em fazer discurso para suas redes sociais. A condução das sessões também não tem sido capaz de impedir longas e nocivas perorações negacionistas. Apesar disso, o saldo de um mês de trabalho é bastante positivo.

Os depoimentos de Dimas Covas, do Butantan, e do executivo Carlos Murillo, da Pfizer, quando cotejados com as afirmações de Bolsonaro e Pazuello e decisões e omissões do Ministério da Saúde, permitem traçar uma linha do tempo dos obstáculos criados pelo governo federal para a aquisição de vacinas.
Personagens subterrâneos, como Mayra Pinheiro e Fabio Wajngarten, além do já citado Pazuello, contaram tantas mentiras que deixaram flancos abertos para que a CPI explore contradições importantes. Ficou evidente que os três se esforçaram para evitar a caracterização da cadeia de comando do genocídio.

Tal estratégia não surpreende. Durante a ditadura, o funcionamento clandestino da máquina de tortura e assassinato de opositores também dificultou o estabelecimento do vínculo hierárquico entre os “porões” e os generais no Palácio do Planalto, elo já esclarecido por historiadores.

Com o que obteve até agora, a CPI já tem elementos para identificar responsabilidades. Como ainda restam 60 dias de prazo, se mantiver o foco, poderá conectar pontas soltas, como o tal “gabinete paralelo”. Entre o começo da CPI e o momento em que escrevo, 62 mil brasileiros morreram de Covid-19. O genocídio segue em curso. O tempo urge, senhores senadores.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: