Advertisements

Matem-se por mim, diz Bolsonaro

0

Da FOLHA

Por RUY CASTRO

Um dia ele terá de responder por tentar induzir o povo brasileiro ao suicídio em massa

Numa coluna há meses (“Saída para Trump: matar-se”, 10/1), sugeri a Donald Trump, ainda presidente dos EUA, que, diante de sua derrota para Joe Biden e pelo fracasso em tornar-se o novo Hitler, desse um tiro no peito e se convertesse em mártir. E a Jair Bolsonaro, seu obsceno papagaio, que o imitasse no tresloucado gesto. Bastou para que um advogado particular de Bolsonaro, então dando expediente como ministro da Justiça, anunciasse a abertura de inquérito pela PF para apurar por que eu escrevera aquilo.

Há uma lei, com que concordo, segundo a qual induzir alguém ao suicídio é crime. Mas duvido que se aplique a um colunista de província que recomenda isso ao homem mais poderoso do mundo e a um sujeito eleito com 57 milhões de votos. Imagine Trump e Bolsonaro, mesmo por um segundo, avaliando minha sugestão! A ideia era deliciosa, mas nunca esperei que a seguissem. A Casa Branca, claro, me ignorou, mas o dito ministro, atracado aos baixos meridianos do chefe, ameaçou uma investigação. Os anais da lei ainda tentam descobrir como se investiga uma opinião.

Se induzir uma pessoa ao suicídio é crime, eu me pergunto como Jair Bolsonaro responderá um dia à acusação de induzir o povo brasileiro ao suicídio em massa, estimulando-o a aglomerar-se em multidões, sem máscara, desprezar a vacina e, depois de contraída a Covid, tratar-se com xaropes e cloroquinas, sabe-se agora, letais.

E não responderá sozinho. Para implantar tal política suicida, Bolsonaro escora-se em médicos que põem a ideologia acima da ciência, no “seu” Exército e, hoje, num juiz do STF. Como explicar que as maiores taxas de contágio do vírus no país estejam justamente nos municípios e regiões que mais votaram em Bolsonaro?

Ao fazer com que seus seguidores se exponham a tal risco, é como se Bolsonaro lhes dissesse: “Todos vamos morrer. Aproveitem e matem-se por mim”.

Facebook Comments
Advertisements

Um comentário sobre “Matem-se por mim, diz Bolsonaro

  1. Renato oliveira

    Bolsonaro é o novo Tim Tones. Salafrário. Além de tudo, provoca a China, diz a Joe Biden que responderá com pólvora. Desse jeito Bolsonaro meche com forças fora da imaginação. E segundo os esotéricos há uma lei divina de transformação do mundo, para o futuro. Neste caso, digo eu, Bolsonaro e sua corja estão se rebelando contra tal lei divina. Não estou pregando religião aqui no blog, estou dizendo a realidade que tem que ser dita. Ditadura nunca mais!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: