Advertisements

Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“No mundo animal, um dos bichos mais perigosos é a víbora; entre os humanos, o mais perigoso deles é o bajulador”

Adágio de: Edna Frigato

—————————————————————

Início do futebol paulista 2021 gera desconfiança

Indicação e aceitação do árbitro Rafael Claus para componente do Comitê de Desenvolvimento do Futebol da FPF presidida por Reinaldo Carneiro Bastos escracha a existência do famigerado Toma Lá Dá Cá.

Sabemos

Que o indicado nunca moveu uma palha na defesa dos consortes;

Seu

Maior atributo é bajular dirigentes nos quarteirões da vida e entrevistas.

Péssimo trabalho

Nos itens técnico/disciplinar do árbitro piracicabano Lucas Canetto Bellotte na contenda Portuguesa Santista 2 x 2 Portuguesa de Desportos referente à primeira rodada da Série A2 realizada na segunda feira 01/03.

Resumindo

Sabedor de sua escala e aceitante das normas inseridas pela comissão de árbitros; no sábado 27/02, o insensato e dono de empresa de eventos esportivo iniciou e ficou até o término da final de torneio futebolístico que, somado aos litigantes, teve centenas de participantes sem uso de máscara e cuidados para evitar transmissão do vírus Covid 19;

Fatos

Deixou de expulsar, dando amarelo para Lusa do Canindé pós pratica de violenta falta, bem como: ter errado nos lances ocorridos nas respectivas áreas.

Insisto

Por diversas vezes indaguei e continuarei repetindo por qual motivo o culto jurisconsulto Aurélio Sant Anna Martins, presidente do SAFESP não entregou no 23º Distrito Policial o HD dos computadores na data que protocolou a representação contra Marcelo Marçal, ou até apresente data?

—————————————————————–

1ª e 2ª Rodada da Serie A1 do Campeonato Paulista

Sábado 27/02

São Bento 1 x 2 Mirassol

Árbitro: Matheus Delgado Candançan

Assistente 01: Danilo Ricardo Simon Manis (FPF-FIFA)

Assistente 02: Daniel Paulo Ziolli

VAR

Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral

Item Técnico

Momentos principais:

1º – Acertou ao corroborar com o assistente 01 no instante que sinalizou posição de impedimento ataque do Mirassol findado com a redonda no fundo da rede.

2º – Partida ficou paralisada por seis minutos por problema no monitor após VAR ter acionado o árbitro para analisar possível penalidade máxima favorável ao Mirassol, vez que a tela não abriu em;

Não

Tendo imagens, retornou ao campo sinalizando corretamente posição de impedimento no lance anterior.

3º – Bem colocado e visão livre, após cobrança do escanteio deixou de marcar a penalidade máxima cometida por defensor da equipe da casa em um oponente;

Chamado

Pelo VAR, foi ao monitor, viu imagem, retornou apontando corretamente a marcada cal; penalidade batida transformada no gol da vitória do Mirassol.

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para defensores do time da casa e 03 para visitantes.

Concluo

Iniciado sua caminhada na principal das diversas Séries do Campeonato Paulista, Matheus Delgado Candaçam jovem de 22 anos expôs ter futuro promissor se efetuar autocorreção, somado a admissível e polidas (não agressivas) orientações.

Observação

Porte físico e idade do estreante revelam semelhança com o falecido Ricardo Luís de Camargo, originário da cidade Cachoeira Paulista e tio da ex-assistente FIFA, CBF e FPF, Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo,

Coeva

Componente da CA-FPF, conforme informações, por ser adepta do bingo univer$$$$al do reino do capeta, através suas arengas, anda aporrinhando a cabeça dos árbitros a fazerem o mesmo.

Domingo 28/02

Red Bull Bragantino 0 x 0 Corinthians

Árbitro: Thiago Luis Scarascati

VAR

Jose Claudio Rocha Filho

Item Técnico

Ouvindo o VAR, acertou apontando a posição de impedimento do atacante Léo Ortiz no momento que recebeu a bola mandando-a profundo da rede corintiana.

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para defensores da equipe mandante e 02 para visitante

2ª Rodada – Quarta Feira 03/03

Corinthians 2 x 2 Palmeiras

Arbitra: Edina Alves Batista (FPF-FIFA)

VAR

Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (FPF-FIFA)

Item Técnico

Durante o transcorrer da refrega não aconteceram lances duvidosos no interior das áreas,

Contudo

Nos poucos momentos que foi exigida Edina Alves Batista acertou nas decisões expressando firmeza na aplicação das leis do jogo, como sempre respeitando e ser respeitada;

Idem

Referente desempenho assistente 01: Marcelo Carvalho Van Gasse (FPF-FIFA) / assistente 02: Neuza Ines Back (FPF-FIFA)

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para alvinegros e 02 para alviverdes

Destaco

O adequado e independente descrevo do mal-intencionado e provocativo “MUNDIAL 2000-2012, NUNCA SERÃO” colocados na arquibancada cotando com aquiescer da diretoria corintiana.

Fosse

Vaselina, Edina Alves Batista não relataria.

Perpetraria

O que fez Rafael Claus no dia que deixou de relatar a frase: SC Corinthians Paulista inseridas nas áreas do estádio;

Todavia

Um dia depois, acatando correta determinação da CA-FPF, Claus voltou atrás apondo na súmula o que deveria tê-lo feito antes do envio do relatório.


Confira abaixo o programa “COLUNA DO FIORI”, desta semana.

Nele, o ex-árbitro comenta assuntos, por vezes, distintos do que são colocados nesta versão escrita:

*A coluna é também publicada na pagina http://esporteformigoni.blogspot.com

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.


Política

1º – Bolsonaro e o Brasil invertebrado

Jair Bolsonaro é produto de múltiplos fatores. Passa pelo descrédito da política tradicional, pelos escândalos do mensalão e do petrolão, pelo sistema político, o voto proporcional, também pelo fracasso do processo de renovação das lideranças políticas, pela tibieza da sociedade civil, por um país invertebrado. Ao longo da história republicana tivemos apenas alguns momentos nos quais a política conseguiu ser o fio condutor das transformações econômicas e sociais. De resto, tudo foi seguindo como se a inércia caracterizasse um país sem alma, em que tudo era deixado para o dia seguinte, o mês seguinte, o ano seguinte. A pasmaceira foi, em mais de um século, eventualmente interrompida por breves momentos de lucidez, que de tão breves, não conseguiram o enraizamento necessário para se transformar em rupturas.

E assim o Brasil percorreu o século passado e adentramos o século XXI sem que concluíssemos as tarefas necessárias. Aqui, o novo — o novo de verdade — pouco após o seu nascimento logo é cooptado pelo velho. Isto acabou criando um país que combina diferentes momentos históricos na mesma conjuntura. Ou seja, o movimento da história se move de forma diferenciada e em sentidos opostos. Sendo assim não há um sentido de unidade, pois são processos tão díspares que não permitem estabelecer uma relação entre eles. Os múltiplos brasis só convivem no mesmo espaço territorial, mas são tão distintos que a cada dia vão se afastando transformando o país em um imenso arquipélago quase que autônomo.

O que poderia ser sinônimo de vitalidade é, na verdade, a mais pura tradução do caos político, econômico, sanitário e social que vivemos.

Os múltiplos brasis só convivem no mesmo espaço territorial, mas são tão distintos que o País parece um imenso arquipélago

Aldir Blanc escreveu, certa vez, que o Brazil não conhece o Brasil. Tinha razão. Mas além do Brazil (com “z” mesmo), daqueles que como brasileiros vivem como se fossem exilados, longe da “sua” terra, os Estados Unidos, temos a multiplicidade de brasis que não conseguem estabelecer um laço de união real, não a união formal. Inexiste o sentimento do coletivo, de que fazemos parte de um mesmo país, que temos — gostemos ou não — um destino nacional.

Jair Bolsonaro não é um acidente da política. Não! É produto da nossa história, destes múltiplos brasis que não conversam entre si, que não conseguem concertar um sólido laço de cidadania, de pertencimento. O primeiro passo na construção do Brasil é resolver constitucionalmente um obstáculo: enfrentar e vencer Jair Bolsonaro e seus extremistas. É apenas o primeiro passo de uma longa jornada.

Marco Antonio Villa – Publicado na revista Isto É do dia 26/02/2021

————————————————————–

Finalizando

“O pior hipócrita é aquele que critica a corrupção em um dia e no outro defende o corrupto de seu coração”

Prof. Pedro Chaves: Economista, educador, professor universitário, político e empresário

————————————————————–

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-06/03/2021

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: