Advertisements

Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.br Email: caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“Eu não nasci pra omissão, porque no meu sangue corre indignação”

Adágio de: Gabriela Stacul

—————————————————–

Guardadas devidas proporções, omissão dos árbitros de ontem visando o futuro são plagiados no hoje

Rememorando

1º – No dia 13/10/1991 na contenda Palmeiras 2 x 1 Corinthians arbitrada por José Aparecido de Oliveira, após marcar grave falta do corintiano Neto no oponente Cesar Sampaio.

Perfeitamente

José Aparecido de Oliveira tirou o cartão vermelho do bolso expulsando o indisciplinado corintiano; não contente: Neto acintosamente cuspiu no seu rosto.

Fato

Relatado, Neto julgado pelo TJD da FPF, sendo punido por quatro meses.

2º – Ano 1993 escalado para arbitrar a segunda contenda (a primeira foi arbitrada por Dionísio Roberto Domingues);

Zé Aparecido

Afirmou que dias antes atendeu na mesa de trabalho em uma das agencias Banespa do centro da cidade, pessoa intitulando-se dirigente ou representante do Palmeiras.

Topando

‘Tête á tête’ reafirmo que dias depois dos referidos acontecimentos reportei minha opinião para José Aparecido de Oliveira, atinente, a cusparada,

Afirmei

Antes do árbitro vem o cidadão e chefe de família que deve oferecer exemplo de dignidade; sendo assim, processe Neto na justiça comum.

Relativo

Ao ocorrido no local de seu trabalho disse: Seu relato não é convincente; na condição de funcionário do banco, no instante que a pessoa se identificou palmeirense, você deveria acionar o segurança, chamar a policia e, no distrito, relatar para o delegado.

Observação

José Aparecido de Oliveira almejando entrar no quadro FIFA (conseguindo, salvo erro de memória: na segunda metade da década 1990), comparecia diariamente no prédio da FPF onde, certamente, bajulava os “intemeratos dirigentes”, principalmente: Eduardo José Farah eleito presidente no ano 1987, posse em janeiro 1988.

O supra

Como outros que não deveria se repetir, continuam até hoje;

No

Transcurso da disputa Fluminense 1 x 0 Bahia no domingo 11/10/2020, Luiz Antonio Venker Menezes (popular Mano Meneses), por diversas ocasiões, distante, perto e de frente para ‘boto-branco’, proferiu palavras ofensivas

Seguramente

Visando garantir escalas José Mendonça da Silva Junior (PR) deixou o barco correr até o final;

Descrevendo

Na sumula que dentro do vestiário tomou conhecimento que o técnico do Bahia adentrou o campo de jogo proferindo as seguintes palavras aos seus atletas se referindo a minha pessoa: “deixa esse vagabundo aí, não quero que reclame com vagabundo não”.

Pude

Constatar tal ato através de imagens gravadas da transmissão da partida e me senti ofendido em minha honra.

Finalizo

Por estas e outras o conjunto tem pouca credibilidade no conceito dos apaixonados no futebol

—————————————————————–

15ª e 16ª Rodada da Série A do Brasileirão 2020

Sábado 10/10

Palmeiras 0 x 2 São Paulo

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

VAR

Jose Claudio Rocha Filho (SP)

Item Técnico

De imediato: acertou determinando a marca da cal favorável à equipe são-paulina,

Na

Ocasião que tendo o domínio da pelota, Igor Vinicius foi derruído pelo palmeirense Esteves;

Penalidade

Cobrada por Reinaldo, transformada no tento de abertura do placar.

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para palmeirenses e 01 para são-paulino

Completando

Trabalho aceitável dos representantes das leis do jogo

Domingo 11/10

Santos 2 x 1Grêmio

Árbitro: Bráulio da Silva Machado (FIFA-SC )

VAR

Wagner Reway (PB)

Item Técnico

1º – Sem titubear, no ato, foi correto por ter sinalizado a penalidade máxima favorável à equipe santista, no instante que a bola bateu no braço esquerdo esticado do gremista Paulo Miranda,

Penalidade: batida por Marinho, transformada no gol de abertura do placar .

2º – Acertou por não ter entrado nas reclamações dos gremistas que pediram penalidade máxima no instante que a redonda bateu no braço direito colado ao corpo do santista Felipe Jonatan;

VAR

Confirmou: lance foi normal

3º – Na pequena área santista, Marinho atacante santista tinha o domínio da bola, no instante que foi tocado com o pé direito do oponente David Braz, prontamente árbitro apontou marcada cal;

VAR

Comunicou, foi até o monitor, voltou, confirmando;

Penalidade

Cobrada por Marinho, transformada no segundo gol santista.

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para santistas e 03 para gremistas

Cartão Vermelho: Correto depois do segundo amarelo para David Braz defensor do tricolor gaúcho

Ceará 2 x 1 Corinthians

Árbitro: Anderson Daronco (FIFA-RS)

VAR

Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)

Item Técnico

1º – Correto quando marcou falta na proposital cotovelada cometida por Eduardo defensor cearense no oponente Leo Natel

VAR

Chamou, foi ao monitor, conferiu a gravidade do lance, confirmando a falta, expulsando o infrator.

2º – Sem vacilar, de pronto, apontou a marca da cal favorável à equipe de Ceará no instante que Cassio goleiro corintiano derrubou Kelvin;

Penalidade

Cobrada por Fernando, transformada no gol da vitória de sua equipe

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 05 para cearenses e 01 para corintiano

Cartão Vermelho: Correto para Eduardo defensor cearense no instante que desferiu cotovelada no oponente.  Idem: para o goleiro corintiano Cassio por ter sido acintoso para com o árbitro depois do encerramento da contenda.

16ª Rodada – Quinta Feira 15/10

Flamengo 1 x 1 Red Bull Bragantino

Árbitro: Daniel Nobre Bins (RS)

VAR

Anderson Daronco (FIFA-RS)

Item Técnico

Trabalho aceitável dos representantes das leis do jogo

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para defensores da equipe mandante e 02 para visitante

————————————————————

Tributo ao futebol da várzea e seus clubes históricos

Aviso

Por conta do período de pandemia, existe a evidente dificuldade para encontros pessoais, o que impedirá que a homenagem aos clubes varzeanos mantenha uma frequência semanal de publicação.

De agora em diante, sem prazo determinado, sempre que obtivermos material suficiente para levar nosso tributo a público, o faremos.

Desde já agradecemos pela compreensão.

///  ///  ///  ///  ///  ///  ///  ///  ///  ///  ///

Política

Caros amigos

No dia 15/ 11/ 20020 será realizada a votação para prefeito e vereador na capital do estado de São Paulo.

Recomendo o candidato a vereador:

Policial Civil e Professor de Judô preta 4, atleta desde 1976, com 52 anos de idade,

Condutor

Do projeto Nós Por Nós Jardim Fontalis: reunindo 300 crianças que recebem aulas de judô e uniformes totalmente gratuitos.

Respeito e educação são os quesitos básicos para ser aluno Bioto NPN

Sentido

Educação e Respeito são práticas de bom uso, ações, decisões que nos impede de fazer ou dizer coisas desagradáveis a alguém, e ambos não têm restrição à posição social, cor, raça, idade, religião.

———————————————————

Não tem preço

Bolsonaro teve a sua primeira grande chance de piorar o STF. Não perdeu a viagem

A reação mais notável à decisão do presidente Jair Bolsonaro de indicar para a vaga ora aberta no STF um advogado do Piauí que foi nomeado para a magistratura federal por Dilma Rousseff, é contra a prisão de criminosos depois de condenados em segunda instância e teve a torcida pública de um senador do seu Estado oficialmente denunciado pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro foi um silêncio de cemitério do Oiapoque ao Chuí. É verdade que ninguém teve a coragem de elogiar – a não ser o próprio Bolsonaro, é claro, e as gangues que fazem do Congresso brasileiro um dos mais desprezados corpos legislativos do planeta. Mas onde foram parar os protestos, a ira e a indignação que se levantam quase automaticamente, desde o primeiro dia do seu governo, a cada vez que o presidente abre a boca ou decide alguma coisa? Não houve nem protesto nem ira nem indignação.

Por que será? É provável que Bolsonaro nunca tenha criado uma calamidade tão maligna quanto essa – nem tão duradoura, visto que o seu preferido vai ficar decidindo o que é certo e o que é errado para o Brasil pelos próximos 27 anos. Mas o que houve, de Lula e da extrema esquerda até a bancada “da bala” e a extrema direita, foi um dos mais intensos movimentos que já se viu neste país em matéria de olhar para o outro lado e fazer de conta que não aconteceu nada demais. Nem a constatação de que o novo ministro copiou e colou na sua “tese” trechos inteiros escritos por um advogado amigo – incluindo os erros de português – sem dar um pio sobre o nome do verdadeiro autor, provocou maiores objeções. Para um presidente que é diariamente acusado de genocídio para baixo, fora o pouco-caso com os quilombolas, os incêndios no Pantanal e a sua participação em milícias do crime organizado, trata-se de uma vitória e tanto.

A passividade com que os inimigos de Bolsonaro receberam a indicação do dr. Kássio para o STF, para não ficar enrolando a questão com considerações superiores de ciência política, tem uma explicação bem simples: ninguém falou nada porque todo mundo gostou – ou, se não gostou, engoliu com casca e tudo. O novo ministro, quando se pensa um pouco, é o homem dos sonhos do mundo político brasileiro de hoje – agrada ao PT, ao “Centrão”, à OAB, ao ministro Gilmar Mendes, aos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, às empreiteiras de obras públicas, aos refugiados da Lava Jato, aos escritórios “top de linha” da advocacia criminal, aos defensores das “instituições democráticas”, à classe intelectual, ao presidente Bolsonaro, à família do presidente Bolsonaro e por aí vamos. O leitor se lembrou de alguém mais? Pode colocar na lista.

O fato é que ninguém que viaja nesse bonde pode admitir, de jeito nenhum, que o STF melhore, por pouco que seja. Pode tudo – mas melhorar, não. Eis aí o maior risco que todos eles podem correr hoje em dia. Um Supremo menos ruim que esse é uma ameaça direta ao seu bem-estar; é ali que os “garantistas” garantem que os acusados de corrupção sejam deixados em paz, e a garantia dessa impunidade não tem preço para os proprietários da vida pública do Brasil. Uma Justiça mais decente obrigaria a classe política e o resto da massa que hoje vive à custas da máquina do Estado a se comportarem melhor do que se comportam. E quem está querendo se comportar melhor nesse povo? Bolsonaro teve a sua primeira grande chance de piorar o Supremo. Não perdeu a viagem.

É a “governabilidade” – todo o mundo se ajeita, a “resistência” continua fazendo discurso, mas deixa Bolsonaro em paz nas coisas que de fato importam, e o público pagante fica no papel de otário.

J.R. Guzzo: Jornalista – Publicado no Estadão do dia 11/10/2020

——————————————————

Finalizando

“A Justiça brasileira não é técnica e nem justa, ela é política”

Prof. Pedro Chaves: Economista, educador, professor universitário, político e empresário

——————————————————-

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-17/10/2020

Confira abaixo o programa “COLUNA DO FIORI”, desta semana.

Nele, o ex-árbitro comenta assuntos, por vezes, distintos do que são colocados nesta versão escrita:

*A coluna é também publicada na pagina http://esporteformigoni.blogspot.com

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: