Advertisements

Aprovação da Recuperação da Odebrecht é adiada após ressalvas da CAIXA. Corinthians pode ser prejudicado

No último dia (10), realizou-se Assembléia Geral dos Credores de diversas empresas administradas pela Odebrecht, entre as quais a ‘Odebrecht Participações e Investimentos S/A”, a quem o Corinthians deve uma fortuna em empréstimos/debentures para a construção do estádio de Itaquera.

Recentemente, foram aprovados, por representantes de credores, os termos da recuperação judicial de várias delas (entre as quais a OPI), que, entre outras coisas, retirava da conta final a pendência do Timão, por considerá-la com ‘grande risco de inadimplência’.

Esse procedimento, em tese, facilitaria a vida do Corinthians, que poderia negociar substâncial redução da pendência ou até mesmo a quitação.

A Assembléia, segundo Edital de Convocação, objetivava:

  • a) aprovação ou rejeição da apresentação do Plano de Recuperação Judicial (PRJ) em consolidação substancial;
  • b) constituição do Comitê de Credores;
  • c) aprovação, modificação ou rejeição ao PRJ;
  • d) deliberação sobre outras questões de interesse das Recuperandas e/ou dos Credores, bem como a adoção de medidas necessárias á implementação do PRJ

Ou seja, apesar de retirada da Recuperação Judicial em primeiro momento, a dívida do Corinthians com a OPI, se assim fosse desejo da Assembléia de Credores, poderia até retornar a ser cobrada, conforme demonstra o item ‘C’ do referido Edital.

Porém, apesar de iniciada, a reunião precisou ser adiada.

Ao solicitar a palavra, a Dra. Carolina Letízio, representante da Odebrecht, informou que algumas negociações com credores não foram finalizadas, e que um deles, a CAIXA, além de emitir parecer com ressalvas, solicitou sessenta dias para análise interna da instituição.

Por conta disso, a Assembléia foi suspensa e remarcada para o dia 07 de agosto.

Caiu por terra, mais uma vez, a mentira contada pelo presidente da Comissão de Estádio do Timão, Edgard Soares, que afirmou, em recente ‘live’, ter ‘zerado’ a dívida do Corinthians com a construtora.

Apesar de pouco provável que a Recuperação Judicial não seja aprovada, a possibilidade de mudanças nos termos (inclusive de reinclusão da pendência alvinegra) ou até reprovação, de fato, existe.

Por fim, chama a atenção a participação, nesta reunião, da empresa BDO/RCS, que tem como proprietário Raul Corrêa da Silva, ex-diretor de finanças do Corinthians nas gestões Andres Sanches e Mario Gobbi, na condição de credor da ‘Odebrecht Energia do Brasil S/A’ e da ‘Odebrecht Participações e Engenharia S/A”.

Cuidadosamente, quem cobra a ‘Odebrecht Participações e Investimentos’ é o escritório Machado Meyer, indicado pelo cartola para integrar o corpo jurídico do Arena Fundo FII, responsável pela gestão do estádio de Itaquera.

Raul, signatário de praticamente todos os documentos do acordo de construção do Itaquerão, mantinha interesses nos dois lados da moeda, recebendo dinheiro, em tese, apenas da construtora.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: