Advertisements

Delação e crime de prevaricação de Sérgio Moro

Em meio ao pronunciamento em que informou sua demissão do Governo, Sérgio Moro delatou graves crimes do presidente da República, entre os quais o de falsidade ideológica.

Bolsonaro cometeu o desplante de, em Diário Oficial, publicar a exoneração do Diretor Geral da Polícia Federal como se fosse a pedido do próprio e com a assinatura do Ministro da Justiça.

Moro negou ter assinado e disse que o exonerado não pediu pelo afastamento.

A denúncia de que Bolsonaro exigiu colocar no comando da PF alguém que lhe beijasse as mãos, repassando-lhe informações e relatórios, nitidamente, objetivando salvar os filhos de problemas criminais, além de reveladora, trata-se de crime de responsabilidade.

Em ambos os casos, o impeachment urge no Planalto.

Mas Moro também precisa se explicar.

Se escutou tudo o que disse do Presidente, se calou, e, como revelou, tentou ainda permanecer no cargo, o agora ex-ministro cometeu crime de prevaricação.

Ou seja, se Bolsonaro tivesse voltado atrás, por pressão política, o país não saberia dos delitos agora revelados.

Não há inocentes nessa história.

Mais esperto, Moro se aproveitará da indevida fama para asfaltar o caminho político que, mais do que desejado, agora necessita para viver, diante do sonho perdido do STF e da renúncia à magistratura.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: