Advertisements
Anúncios

Najila, Neymar e os comentários

Da FOLHA

Por CONTARDO CALLIGARIS

Muitos nem cogitam a possibilidade de que as mulheres tenham desejos sexuais

Neymar e Najila conversaram online. Por alguma razão, ficaram a fim de algo mais. Nada de estranho: Najila é bonita, e Neymar… é Neymar.

Ela estava no Brasil e ele, em Paris. Não dava para se encontrar ao vivo num café ou direto num hotel. Por sorte dos dois, Neymar é rico e ofereceu a Najila uma passagem de avião para que ela fosse a Paris.

Para salvar um pouco a reputação de Neymar, espero que fosse uma passagem de classe executiva.

Seja como for, Najila foi até Paris, de bate e volta, o tempo de eles tirarem as vontades, digamos assim.

Até aqui, tudo bem. Mas, quando Najila chegou ao hotel reservado, Neymar não estava. Parece que tinha uma festa (que, claro, ele não podia perder, por ser um evento raro na sua vida monástica). Najila, tolerante, esperou. E Neymar acabou chegando, bêbado —um pouco ou muito, aqui as versões discordam. De qualquer forma, o comportamento dele foi mais do que tosco: ausente na hora em que ela chega, o bofe volta, enfim, “regado”.

Tentaram transar, como ambos desejavam (em tese), mas não deu muito certo.

Neymar bateu forte na bunda dela, ela não gostou, pediu para parar, e Neymar continuou. Ele diz que achou que ela gostasse.

Em outra versão, ela pediu para parar nas preliminares porque não tinham camisinha, e ela não queria fazer sexo sem. Ele forçou a barra e a estuprou.

Segundo Neymar, não houve estupro: ele a esculachou um pouco, mas ela pedia.

No dia seguinte, Najila recontatou Neymar, como se tudo estivesse perfeitamente OK. E foi assim que se encontraram de novo. Najila filmou esse segundo encontro, mas até agora só apareceu um minuto do vídeo (que, segundo Najila, deveria durar cinco ou seis), em que ela bate em Neymar para retribuir os tapas do dia anterior. Sempre segundo Najila, o vídeo inteiro, se fosse encontrado, daria razão à versão dela quanto ao que aconteceu no dia anterior.

O encontro do segundo dia, aparentemente, não acabou muito melhor do que o do primeiro. No fim, Najila, de volta ao Brasil, denunciou Neymar por agressão e por estupro.

Não sabemos qual das versões será comprovada pela Justiça, se uma puder ser. Tanto faz, esta coluna não é sobre o encontro de Najila e Neymar, mas sobre as coortes de homens que declararam seu apoio ao jogador: os que estiveram se manifestando na frente da delegacia durante o depoimento dele, os que se expressaram por Neymar e contra Najila online e os inúmeros que absolveram Neymar e condenaram raivosamente Najila, conversando nos bares e botecos.

A maioria desses comentários masculinos obedecia a uma mesma lógica: a mina vai até Paris com a passagem paga pelo cara e acha o quê? Na última hora ela diz que não quer? Ajoelhou, tem que rezar. É a mesma estupidez pela qual mulher de minissaia, se for estuprada, é porque queria mesmo.

É óbvio que qualquer um pode levantar no meio da reza e decidir que já rezou o suficiente. “Não é não” em qualquer momento. Mike Tyson forçou a barra com uma mulher que foi até seu quarto de hotel e disse não: ele passou três anos na cadeia.

Apesar dessa obviedade, dos botecos ao Palácio da Alvorada, há homens dispostos a desculpar Neymar desde já. O que os anima? A resposta é simples: o ódio pela mulher que está no centro e na base da cultura ocidental, sobretudo cristã.

Desde a história de Adão e Eva no paraíso terrestre, o mal vem ao mundo pela mulher tentadora. É com ela que a serpente conversa, e juntas elas tramam a perdição do homem. Se é que Neymar fez algo errado, ele não tem culpa, porque foi “tentado”. Coitadinho.

É tentando o homem que a mulher arma ciladas. É isso que as mulheres fazem, aliás: elas armam ciladas.

Os que evocam os enganos da “ardilosa” Najila, de fato, nem sequer cogitam a possibilidade de que as mulheres tenham desejos sexuais, tanto quanto os homens. Para eles, as mulheres apenas tentam os homens (os quais acabam assim desejando, mas sem que seja “culpa” deles). Ou seja, as mulheres não querem transar, nunca; o que elas querem é enredar os homens em cada tipo de armadilha: por exemplo, querem engravidar e ganhar pensão para o resto da vida.

Najila, para esses acusadores, é insuportável, pois, desde seu primeiro depoimento, ela declara sem hesitar que foi a Paris para transar com Neymar.

Onde já se viu? Uma mulher a fim de transar? Cuidado, deve ser uma cilada.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: