Treze clubes e um capacho da CBF impediram árbitro de vídeo no Brasileirão

Sob argumentação de que não poderiam arcar com o custo da implementação do sistema, treze clubes votaram contra a adoção do árbitro de vídeo no Campeonato Brasileiro.

R$ 1 milhão por ano, que, diluídos em 38 partidas, custariam R$ 26,3 mil para cada time.

É evidente que o motivo real não é o alegado.

Por outro lado, a CBF alegou não poder arcar com os R$ 20 milhões sozinha, apesar de investigações do FBI e da FIFA comprovarem o contrário.

As treze agremiações contrárias a minimização dos erros de arbitragem, são: América-MG, Atlético-PR Ceará, Corinthians, Cruzeiro, Fluminense, Paraná, Santos, Sport, Vasco e Vitória.

Bahia, Botafogo, Chapecoense, Flamengo, Grêmio, Internacional e Palmeiras votaram a favor.

Somente o “capacho” da Casa Bandida, o São Paulo Futebol Clube, que tem dirigentes, alguns com cargos, outros não, emancebados com Marco Polo Del Nero, decidiram pela covarde abstenção, contrariando e envergonhando a história Tricolor.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

4 Replies to “Treze clubes e um capacho da CBF impediram árbitro de vídeo no Brasileirão”

  1. Benzadeus. Quando a gente pensa que vai melhorar … Meu clube votou a favor, ainda bem. Senão, ia levar umas sapatadas!!!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.