Advertisements
Anúncios

A ascensão do futebol cearense

Por JOSÉ RENATO SATIRO SANTIAGO

Uma equipe na Série B, outra na Série C do Brasileiro e um campeonato estadual pouco atraente e com um regulamento esdrúxulo. Esta era a realidade do futebol cearense no começo do ano de 2017. Nada fazia indicar que ao final dele, o futebol local estaria comemorando dois acessos nas competições nacionais, bem como o fortalecimento de duas outras tradicionais equipes.

Agora o estado tem uma equipe na Série A e outra na Série B. Pouco? Talvez ainda seja, diante a riquíssima história do futebol alencarino, outrora vice-campeão da Taça Brasil, em duas oportunidades, com o Fortaleza nos anos de 1960, e da Copa do Brasil, nos 1990, com o Ceará. A verdade é que o futebol em nosso querido estado, sim meu sangue cearense me permite tal ousada intimidade, vive um grande momento, e os resultados em campo e a alegria de nossos torcedores comprovam isso.

O acesso para a Série A não é mais um sonho para o maior campeão do estado, o Ceará Sporting Club. Após a queda para a Série B em 2011, o Vozão chegou a passar por apuros, até mesmo namorou uma vexatória queda para a Série C em 2015, justamente no épico ano de conquista da Copa do Nordeste, seu maior título nos últimos tempos.

Sempre contando com apoio visceral de seu torcedor, que costuma garanti-lo os maiores públicos do futebol brasileiro, o time em campo parecia fraquejar nos momentos derradeiros da competição. Após conquistar o estadual no primeiro semestre, novamente o clube despontou como um dos favoritos para o acesso. Temerariamente os resultados em campo pareciam indicar mais um ano de decepção. Felizmente para os torcedores alvinegros, a chegada do técnico Marcelo Chamusca recolocou o time no rumo das vitórias e por conta disso, o acesso foi uma questão de tempo.

O Ceará na Série A é um presente que o futebol nordestino dá ao Brasil: “O Vozão voltou…”

Mas não foi só o alvinegro de Porangabuçu, o clube cearense que fez bonito no futebol nacional. Seu maior rival, o Fortaleza, o Tricolor de Aço, enfim saiu do longo pesadelo de 7 anos na Série C do Campeonato Brasileiro. Rebaixado em 2009 e depois de frequentes fracassos justamente nas partidas decisivas de acesso para a Série B, este ano foi a redenção. Superando a desconfiança de muitos de seus torcedores, o Leão avançou às semifinais, conquistou o acesso e chegou ao vice-campeonato da Série C da Brasileiro.

A Série C jamais foi, é ou será lugar para este Gigante Tricolor.

O ano de 2018 marca seu Centenário e a contratação de Rogério Ceni como técnico imediatamente colocou o clube nas manchetes das principais mídias brasileiras. As expectativas pelos lados do Pici são as melhores possíveis e o acesso para a Série A do Brasileiro, um sonho a se tornar realidade.

Clássico Rei na Série A será uma das maiores atrações da competição.

Time fundado por funcionários da Rede Ferroviária em 1933, terceiro maior campeão do estado, com 9 conquistas, o Ferroviário viveu tempos de penúria nos últimos anos. O lamento pelo rebaixamento para a segunda divisão estadual em 2014, foi ainda maior por conta da falta de acesso nos anos seguintes. A volta à Primeira Divisão em 2017, aconteceu graças a desistência do vice-campeão. Devido a isso e das grandes dificuldades financeiras, as expectativas não eram das melhores.

Ledo engano, o Ferrão foi o grande de outrora e surpreendeu a todos ao eliminar o rival Fortaleza nas semifinais e chegar as finais diante o Ceará. Se o título não veio, o  vice-campeonato serviu para recolocar o Tubarão da Barra entre os maiores do estado e, o mais importante, de volta às competições nacionais em 2018.

Ferrão no Brasileiro é a perpetuação do Trio de Ferro cearense no cenário esportivo nacional.

Outra boa novidade para o futebol cearense vem do subúrbio, mais especificamente do tradicional bairro da Vila Manoel Sátiro, nas imediações do Mondubim. O Floresta Esporte Clube, time fundado em 1954 e que se profissionalizou faz cerca de 3 anos, conquistou o acesso para a primeira divisão do estadual no primeiro semestre. Como se não bastasse, ao vencer a Taça Fares Lopes diante o gigante Leão do Pici, o Fortaleza, conquistou uma vaga para a Copa do Brasil de 2018. Algo inimaginável para o tradicional alviverde fundado por Felipe de Lima Santiago, meu avô querido.

O futebol alencarino dá um novo e firme passo em busca de desafios ainda mais desafiadores. Alguém duvida?

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: