Mascate de André Negão tenta nova vaga no Conselho em chapa afamada como “ladrões de galinhas”

Mais uma chapa concorrente ao conselho deliberativo do Corinthians, denominada “Tradição Corinthiana”, foi prestigiada, neste final de semana, pelo vice-presidente André Negão, notório contraventor, acusado de receber propina da Odebrecht.

Nela está alocado o conselheiro Sergio Coelho Montes, vulgo “Cebola”, que, dentre diversos pequenos esquemas, participa, também, da farra dos que prejudicam as lojas “Poderoso Timão”, certamente com facilitação de Luis Paulo Rosenberg, ex-diretor de marketing do clube e sócio oculto da SPR/POÁ TEXTIL, gestora do empreendimento.

Apesar de, em comparação com outros apoiadores da atual gestão, notoriamente a “Preto no Branco” (com malfeitores graúdos), a grande maioria dos pertencentes a esta “Tradição Corinthiana” leva a fama de “ladrões de galinha”, é sempre bom alertar antes que, amparados em gente maior, possam, futuramente, alçar voos importantes no Parque São Jorge.

Relembre, na matéria abaixo, o tipo de “tradição” que esse grupo quer, de fato, manter no Parque São Jorge:

Conselheiro do Corinthians, ligado a André Negão, ganha dinheiro na farra da “Poderoso Timão”

Sergio Coelho Montes (Cebola)

Conselheiro eleito pela chapa Renovação e Transparência, liderada pelo Deputado Federal Andres Sanches (PT), Sérgio Coelho Montes, tratado no Parque São Jorge pela alcunha “Cebola”, é mais um, entre tantos, beneficiados, financeiramente, pelo grupo que comanda o Corinthians há quase dez anos.

Sua empresa, a Cebola Brindes Personalizados Ltda, tem fornecido produtos para as lojas “Poderoso Timão”, com anuência da SPR (Poá Textil), a franqueadora, que vem sendo acusada pelos franqueados de diversos atos criminosos.

Entre os quais, obrigar, sob ameça de cortar o fornecimento, os lojistas a adquirirem produtos de parceiros “pré-selecionados”.

Este seria o caso de Cebola.

Fontes garantem que o conselheiro alvinegro, que é ligado ao vice-presidente Andrés Negão, e a ele estaria pagando pedágio.

Anteontem, ambos estiveram juntos, em jantar com amigos do clube, registrado na fotografia abaixo:

Confira notas fiscais emitidas pela CEBOLA BRINDES PERSONALIZADOS LTDA à empresa MIRELA FELIZ DE MACEDO SANTANA – ME, franqueada “Poderoso Timão, que se viu obrigada a comprar produtos fornecidos pelo conselheiro:

No link abaixo tenha acesso à lista de todos os conselheiros trienais eleitos pela chapa Renovação e Transparência no Corinthians. O nome de Sergio Coelho Montes (Cebola) aparece ao lado do número 177:

Conselheiros Trienais Corinthians 2017

Vale lembrar que o Estatuto do Corinthians impede, sob pena de expulsão, conselheiros alvinegros de realizarem negócios, direta ou indiretamente, ligados ao clube.

SPR, POÁ TEXTIL e as ILHAS VIRGENS BRITÂNICAS

Acossada judicialmente por conta de acusações de conluio com a Nike para tomar, na “mão grande”, lojas com a marca “Poderoso Timão” estabelecidas, a duras penas, pelos até então tratados parceiros (franqueados), a SPR S/A (que antes era Poá Textil) tornou-se um oásis para dirigentes e conselheiros do Corinthians.

Enquanto diversas lojas franqueadas pelo grupo fecham as portas e processam a empresa por deslealdade, o capital social da franqueadora atingiu, oficialmente, em 2016, a soma de R$ 30 milhões.

Se antes apenas o Sr. Pedro Grzywacz assinava pela SPR (Poá), desde 2014, com a abertura de capital, 50% das ações foram repassadas ao obscuro fundo de investimentos SEAVER ROAD INVESTIMENTS INC., sediado no Paraíso Fiscal das Ilhas Virgens Britânicas.

Sempre se comentou no Parque São Jorge que os sócios ocultos da referida franqueadora das Lojas Poderoso Timão seriam o deputado federal Andres Sanches e o ex-diretor de marketing Luis Paulo Rosenberg (este visto com frequência na seda da empresa).

Com a oficialização de uma sociedade, ainda que sediada no exterior, ligada a investidores que não podem aparecer, as suspeitas sobre Sanches, que teria utilizado-se de procedimento semelhante (também nas Ilhas Virgens Britânicas) para receber comissionamento no negócio envolvendo Alexandre Pato, acentuaram-se.

Assim como o fato do braço direito de Luis Paulo Rosenberg no Corinthians, o gerente de marketing Caio Campos, que ao demitir-se do clube ingressou na Poá (SPR) na importante condição de CEO, ou seja, comandando o empreendimento, também parece ter esclarecido o que antes era apenas sugerido.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Esta entrada foi publicada em Sem-categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.