São Paulo não pode se dar ao luxo de fazer caridade a Kaká

Ex-jogador em atividade, o meia Kaká, que há tempos não consegue se destacar no futebol, ensaia, para o ano que vem, retorno ao São Paulo Futebol Clube.

Estará com 36 anos, acompanhando de limites físicos notórios e confessados em recentes entrevistas.

O São Paulo, em situação absolutamente desconfortável (no esporte e na política), não pode se dar ao luxo deste caríssimo ato de caridade.

Dar dinheiro a Kaká em troca de pouca produtividade (suas duas últimas temporadas nos EUA foram fraquíssimas) é atentar contra a própria história do ídolo no clube.

Mais produtivo seria pagar-lhe para emprestar a imagem em ações publicitárias, ambiente em que nunca deixou de produzir.

A contratação de Kaká, assim como ocorreu com Rogério Ceni para treinador antes deste possuir a experiência necessária para a função, não atende às necessidades do São Paulo, apenas a de seus cartolas, que surfarão por algum tempo na onda de prestígio do jogador, ocultando, midiaticamente, os diversos problemas do Tricolor.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Esta entrada foi publicada em Sem-categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.