Anúncios

Os homens de Andres Sanches

Sérgio Alvarenga

O deputado federal Andres Sanches (PT), se impedido não for por seus vários problemas judiciais, será candidato a presidente do Corinthians em fevereiro de 2018.

Seu desejo, porém, diferentemente doutros tempos, apresenta mais rejeições do que manifestações de apoio dentro do Parque São Jorge.

O desgaste se dá, evidentemente, por conta do descrédito de promessas não cumpridas, da descoberta de seu enriquecimento pessoal (sem comprovação lícita de origem), concomitantemente ao endividamento preocupante do clube, além de dissidências geradas por desacordos com ex-apoiadores.

Sanches, no cenário político alvinegro atual, coloca-se na inédita posição de candidato sem bandeira, fomentado essencialmente por apoiadores que precisam dele para continuar sobrevivendo às custas do Corinthians.

O grupo de situação (ligado ao atual presidente, Roberto Andrade) não quer apoiá-lo, e, se tanto, para não passar por traidor, acena neutralidade.

Os oposicionistas, cada qual a seu estilo, querem o fim de seus métodos, nada renovadores e transparentes, de gestão.

Dentre os homens que apoiam a candidatura de Andres Sanches, alguns nomes causam espécie pelo absoluto despudor moral.

Quatro são os mais comentados, no momento, como postulantes ao cargo de vice-presidente em sua chapa: Dr. Kalil, Raul Corrêa da Silva, André Negão e Osmar Basílio.

Para a presidência do Conselho o escolhido não tem concorrentes, trata-se do Dr. Sergio Alvarenga, engavetador geral dos problemas de Andres Sanches, desde os tempos de vice-presidente jurídico do clube, passando pela presidência da Comissão de Ética e atuando, inclusive, de maneira particular, em acertos pouco republicanos em delegacias policiais de São Paulo.

Meses atrás, Kalil, prevendo impeachment da atual diretoria, pediu licença da vice-presidência, atirou contra seus parceiros e depois, ao se dar mal com o desfecho que manteve o atual mandatário no cargo, voltou atrás, com direito a mensagem de apoio em grupo de whatsapp, esquecendo-se que, em diversas conversas, com jornalistas (Blog do Paulinho, inclusive) e conselheiros (Romeu Tuma é testemunha), alegou tratar-se de um “agente” infiltrado para denunciar a corrupção dos “homens de Andres Sanches”.

O discurso agora mudou.

Ontem, o Doutor, em meio a festejos eleitorais no Parque São Jorge, lançou o nome de Andres à presidência, jurando-lhe “canina” fidelidade, fazendo jus à alcunha de “Totó”, apelido que lhe foi imposto pelo conselheiro Paulo Garcia, dono da Kalunga, a quem também traiu numa das campanhas anteriores.

Dr. Kalil

Osmar Basílio já fez de tudo para sair da inexpressividade política no Corinthians, mas somente consegue alguma projeção quando abre o bolso para “ajudar” os caciques ligados ao deputado federal.

Bancou festas, campanhas políticas, cursos em sua faculdade, além doutros pormenores inconfessáveis, mas conseguiu, se tanto, presidir um CORI (Comitê de Orientação do Corinthians) com as cordas puxadas pelos desejos de Andres Sanches.

Osmar Basílio

Raul Corrêa da Silva dispensa apresentações, tamanha é a folha corrida dentro do clube, composta pelas assinaturas em todos os documentos importantes que beneficiaram a Odebrecht em detrimento do Corinthians na construção do estádio (soube-se, depois, agraciado por contratos milionários fechados entre a sua BDO/RCS e a construtora), pelos três indiciamentos criminais por conta de sonegação de impostos no exercício do cargo de diretor de finanças alvinegro, além da acusação, pública e protocolada no Conselho, de ter maquiado balanço do Timão, exposto em fictício “Relatório de Sustentabilidade”.

Raul Corrêa com Alexandre Pato, negócio que ajudou a ocultar

O notório contraventor André Negão é o mais leal homem de Sanches, para quem chefia gabinete político e até foi acusado de intermediar propina (pela Operação Lava-Jato), o que significa, por razões óbvias, deslealdade ao Corinthians.

André Negão com Lula e Marisa

Por fim, Sergio Alvarenga, que trata Andres Sanches como semi-Deus, mesmo sabedor de seus procedimentos – que ajudou a ocultar, mas que dele recebe tratamento pessoal próximo da humilhação – e que só lhe concederá a presidência do Conselho por conta da necessidade de ter alguém que lhe obeceça com fidelidade, razão pela qual passou a ser questionado, em liderança, pelo seu próprio grupo, o “Corinthianos Obsessivos”, que, em dissidência, precisou até mudar de nome, diante do desgaste evidente de imagem.

Dr. Sergio Alvarenga trajado como “obsessivo”

Estes não enganam mais ninguém.

Por isso torcem pela pouca adesão de votantes no processo eleitoral alvinegro, única maneira de manipular, financeiramente inclusive, os votos de algumas centenas de assessores, empossados no Corinthians com a carteirinha de “diretores”, cabresto dos que precisam do clube para sobreviver.

Anúncios

Uma resposta to “Os homens de Andres Sanches”

  1. Jose Carlos (@ze_ca77) Says:

    esse advogado gordão com cara de pinguço é advogado do petralha roberto teixeira. o cara é veterano de se meter com mequetrefes pelo jeito.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: