O jornal “Lance” respira por aparelhos

Com 22,8% de queda na circulação de exemplares pagos no período de um ano (entre 2016 e 2017), segundo números da IVC (Instituto Verificador de Comunicação), o jornal “Lance!”, o mais importante periódico voltado ao esporte do país, entrou em recuperação judicial.

A avaliação inclui venda avulsa, assinaturas em impresso e também digital.

Na tentativa de solucionar dívidas que se avolumam, faz algum tempo o Lance adotou a prática de dispensar grandes nomes, trocando-os por quem se dispusesse a realizar o mesmo trabalho (por vezes, até mais), recebendo muito menos em salários.

Alterou, também, a linha editorial, praticamente inviabilizando o trabalho de bastidores, tratando a cobertura esportiva com a profundidade da “Rede Globo”, ou seja, evitando desgastes com a cartolagem.

A aposta, em regra equivocada, de trocar qualidade por economia, impactou negativamente nas vendas e no interesse do público, diante das mais diversas alternativas existentes na internet, muitas das quais o Lance, com o nome que possuía, poderia ter firmado parceria, certamente mais atrativas do que matérias sem objetivo ou colunas escritas por quem nem sempre leva jeito para o ofício.

De revolução editorial, com trabalho sério e relevante, sepultador da tradicional “Gazeta Esportiva”, no auge da concorrência, o Lance transformou-se em cópia fiel dos que substituiu, sem, porém, manter a qualidade de dirigentes e colaboradores, necessária mesmo na atual fase, da “chapa branca”, alinhada mais com o “sistema” do que compromissada com o leitor.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

2 ideias sobre “O jornal “Lance” respira por aparelhos

  1. Acho que estes editoriais precisavam inovar mais, acredito que a queda nas assinaturas não seja só pela qualidade. Estamos em tempos que temos informações de tudo quanto é lado, todos os veículos que eram unanimidades quando as versões impressas dominavam, estão suando sangue para sobreviver

  2. Há muito tempo o jornal lance virou o jornal do Corinthians, assim como os programas da TV Bandeirantes. Me parece que os corintianos assistem muita TV e não compram jornal. Segmentar disfarçadamente não foi um bom negócio para o lance.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.