Ligeirinho morreu… tomara que a família seja assistida por quem estaria lhe devendo salários

Morreu o repórter Eduardo Luiz, o “Ligeirinho”, apelido conquistado ainda nos anos 70 por conta da agilidade em conseguir informações de bastidores do futebol, após sofrer infarto fulminante quando deslocava-se de carro de São Paulo para Atibaia, rumo à sua residência.

O sepultamento será nesta terça-feira (11), 16h30, no cemitério do Picanço, em Guarulhos, localizado na Rua Timóteo Penteado, 1329. No mesmo local acontece o velório a partir das 14h00.

Figura querida do rádio esportivo brasileiro, trabalhou em diversos veículos de comunicação.

Estava, no momento, prestando serviços à produtora do presidente da Portuguesa, Alexandre Barros, que arrenda espaço na Tropical FM, das poucas emissoras do país que registram todos os funcionários e os pagam sem atraso.

Familiares de Ligeirinho, em contato com o blog, disseram que o repórter estava nervoso por conta de atrasos de salários, que deixaram de ser pagos, em dia, por Barros, não pela rádio.

Espera-se, por questão de decência, que os valores não caiam no esquecimento, sendo repassados à família (Ligeirinho deixou mulher e três filhos), assim como os trâmites de sepultamento corram por conta do contratante, segundo informações, devedor.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.