Anúncios

Consequências de ligação de engenheiro da Odebrecht com diretora da OMNI estão sendo investigadas no Corinthians

Pouco depois de ser acusado de falsidade ideológica ao ter assinado documentos como presidente do Corinthans, dias antes das derradeiras eleições, que favoreceram os interesses da construtora Odebrecht e da administradora de diversos serviços no clube, a OMNI, Roberto Andrade, com medo do processo de impeachment, disse que havia rompido contrato com a segunda, que cuidava, também, do estacionamento da Arena.

Descobriu-se, antes disso, que a empresa sequer possuía autorização para gerir o negócio, terceirizando a empreitada.

Passada a “tempestade” política, com a vitória, após acerto com Andres Sanches, que livrou-o do afastamento, Andrade não tocou mais no assunto e a OMNI sequer foi afastada, permanecendo em todos os setores de seu interesse, seja no Parque São Jorge ou no estádio de Itaquera.

Ontem, durante todo o dia, conselheiros alvinegros circularam uma informação que, à época, novembro de 2015, não foi tratada com a devida relevância: um dos principais engenheiros da Odebrecht (com assinatura no contrato original da Arena), Ricardo Corrégio, que divide sala com Andres Sanches, o dono do clube, no estádio, casou-se com Vanessa Carneiro, diretora da OMNI, formalizando relacionamento iniciado nos corredores do estádio, quando ambos ainda eram compromissados com outros companheiros.

Ou seja, retirar a OMNI do negócio é comprar briga com um dos principais nomes da Odebrecht, ambos com fortes ligações com aquele que garantiu a Roberto Andrade, mediante submissão absoluta (entre as quais o controle das categorias de base), a continuidade na presidência do Corinthians.

Por conta dessa desconfiança, nos próximos dias a diretoria alvinegra será interpelada por conselheiros, que solicitarão explicações sobre possíveis facilitações ao casal, e, consequentemente, às empresas (fala-se que Andres Sanches seria sócio oculto da gestora do estacionamento), em desfavor dos interesses do clube.

ABAIXO TRECHO DE REPORTAGEM DO GLOBO ESPORTE QUE COMPROVA A LIGAÇÂO:

OUTRO LADO

Por intermédio de assessoria, a Odebrecht informou que Vanessa não ocupa cargo na OMNI (trabalhando na área da saúde) e o relacionamento com Ricardo Corrgeio não foi iniciado quando mantinham compromisso com outras pessoas.

Disse também que Corrégio não divide sala com Andres Sanches, mas apenas utiliza, quando necessário, espaço coletivo no local.

Noutros casos, a Odebrecht negou pagar propina a bandidos petistas, depois seus dirigentes principais foram presos e falaram a verdade em delação premiada.

Não é este o caso, mas é sempre bom relembrar.

O blog mantém as informações, obtidas de ótima fonte, de que Vanessa trabalha para a OMNI (mesmo se, eventualmente, não estiver documentada como tal) e que Corrégio despacha na sala de Andres Sanches (muitas são as testemunhas). Com relação ao relacionamento, apesar de não ser relevante, basta assistir o vídeo publicado e escutar da própria boca de Corrégio a informação. O blog entendeu assim, talvez os leitores entendam diferente.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: