Documento comprova que Diretor de Futebol do Corinthians não é torcedor do clube

flavio-adauto-2

Fala-se, há tempos, no Parque São Jorge, que diversos conselheiros do clube não torcem para o Corinthians, mas dele se utilizam para promoções pessoais.

Em regra, torcedores de equipes grandes, quando questionados, orgulham-se de expor publicamente suas preferências, como se desfilassem de mãos dadas com um grande amor.

No dia 15 de maio de 2001, no âmbito da CPI CBF/NIKE, o novo diretor de futebol alvinegro, Flavio Adauto, declarou:

“Eu torço pra um time de futebol do interior, chamado Etti-Jundiaí (Paulista)”

A fala foi registrada em ata oficial (trecho republicado abaixo).

Tratava-se de colocação de Flávio Adauto contrária ao excesso de exibições de partidas de futebol na televisão brasileira.

O depoimento seguiu:

“Então eu tinha na ESPN BRASIL o meu time (Etti-Jundiaí) jogando, eu tinha simultaneamente, o Guga sendo mostrado pela Sportv.”

Somente depois de novas críticas às transmissões, Adauto citou, com claro distanciamento emocional, em tom de crítica, o fato da televisão transmitir uma partida do Corinthians:

“E depois do almoço a gente tinha o jogo do Corinthians transmitido para São Paulo também”.

Não há problema algum, apesar de muitos pensarem diferente, dum profissional, em sendo competente, receber remuneração para trabalhar em clube do qual não é efetivamente torcedor.

Porém, no cargo de Diretoria de Futebol do Corinthians, pelo qual, oficialmente, Flavio Adauto não receberá salários, há a necessidade não apenas de abnegação, renúncia (familiar e profissional), mas da comprovação de que o diretor pode, de fato, sustentar-se de maneira independente.

As últimas informações, de que o jornalista passa por crise financeira, aliada à revelação de que nem sequer torce para o Corinthians (revelada pelo próprio) geram suspeitas imensas sobre as motivações que levariam alguém a enfrentar tamanho desafio.

cpi-futebol-2 cpi-futebol

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

One Reply to “Documento comprova que Diretor de Futebol do Corinthians não é torcedor do clube”

  1. E porque deveria ser torcedor??

    Por essa linha de raciocínio que nosso futebol vai se perdendo….o pré requisito deveria ser capacidade de gestão, formação e profissionalismo!!

    Se as pessoas usam a função para promoção pessoal, a falha é de quem contratou ou indicou o individuo para a função.

    Lembrando que na Europa varios, diretores, generais managers e similares, não são “torcedores” da equipe que trabalham.

    Paulinho: Ler é importante antes de comentar…. se fosse REMUNERADO, apesar de desejável, não teria importância….

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.