WTORRE e BRL Trust unidas com Fernando Collor em novas acusações de corrupção

walter torre pt

A construtora WTorre está sendo acusada de prática delituosa, desta vez pela Petrobrás, na aquisição de um terreno, em Rondonópolis (MT), local em que constrói, no momento, um centro de distribuição de combustíveis.

Em resumo, a empresa, que construiu o estádio do Palmeiras, em São Paulo, teria pagado propina à funcionários da BR Distribuidora (à época sob comando do senador Fernando Collor) para que desistissem da prioridade na aquisição do imóvel.

Na sequencia, por intermédio do Fundo “Taranto”, administrado pela BRL TRUST (que administra, em São Paulo, o estádio de Itaquera, utilizado pelo Corinthians), teria se utilizado da “laranja” GPI Participações, que fechou o contrato com a BR Distribuidora (que pagará R$ 26,9 milhões mensais em alugueis para utilizar o local que tinha prioridade em comprar), repassando-o, tudo indica, de maneira fraudulenta, à WTORRE.

Todos, claro, negam as acusações, mas já foram delatados por Nestor Cerveró, preso, recentemente, pela “Operação Lava-Jato”, da Polícia Federal.

Não é a primeira vez que WTORRE e BRL TRUST são acusadas de crimes ligados a corrupção, quase sempre em associação com obras, quando não do Governo petista, de terceiros, ligados direta ou indiretamente aos desejos de parceiros do PT.

Diante de tantas acusações e indícios, cabe a dúvida: teriam as acusadas utilizado-se da mesma prática (pagar ou receber propina, para si ou para terceiros) nos negócios envolvendo a construção de suas obras mais midiáticas, o Itaquerão e a Arena Palestra ?

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.