Dependentes de Aidar infernizam bastidores do Tricolor

Cortes de Mano Menezes demonstram submissão a José Maria Marin

Independentemente de, neste momento, a diretoria do São Paulo estar realizando um bom trabalho administrativo, é bem verdade que alguns de seus integrantes (entre os quais o presidente Leco) possuem obscuridades passadas que não podem ser esquecidas, razão pela qual faz-se necessária profunda e permanente fiscalização.

Não é, porém, o trabalho que vem sendo realizado por alguns oposicionistas do clube, ligados ao ex-mandatário Carlos Miguel Aidar, afastado por corrupção.

Essa gente, muitos “dependentes” do ex-dirigente (em toda a complexidade que a palavra sugere), tem por objetivo infernizar o ambiente, procurando, até, dificultar a vida do clube na Libertadores.

Fofocas infundadas, “moções” patéticas contra a recondução de Ataíde Gil Guerreiro ao cargo de diretor, dentre outros desserviços, sobrepõem-se à seriedade da fiscalização séria, que, de fato, contribuiria aos interesses do torcedor e associado Tricolor.

Servir a Aidar e não ao São Paulo, além de atrapalhar o clube, desmoraliza o contraditório a ponto de, quando estiverem com a razão, pouca gente dar crédito ás reclamações, viabilizando, em consequência, desvios de conduta que por ventura vierem a ocorrer na atual gestão.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.