Gobbi diz que “não é com ele”. Desembargador não responde. Justiça deverá decidir eleições do Corinthians

justiça vergonha

No último dia 06 de janeiro, os associados Dr. Haroldo Dantas, João Alberto de Souza, Julio Cesar Rodrigues e Marcos Paulo protocolaram pedido de explicações sobre a utilização de urnas eletrônicas nas eleições do Corinthians, em desconformidade com o Estatuto do clube.

O ART. 60 prevê que somente urnas cedidas pela Justiça Eleitoral podem ser adotadas, o que, tudo indica, será impossível de ocorrer no pleito alvinegro.

Foram notificados o presidente da diretoria, delegado Mario Gobbi, do Conselho Deliberativo, desembargador Ademir Benedito, da Comissão Eleitoral, desembargador Guilherme Strenger e do CORI, Dr. Alexandre Husni.

Passado o prazo concedido de 48 horas, somente Gobbi enviou resposta, com evasivas, dizendo não ser de sua alçada a decisão, jogando a responsabilidade para o Conselho Deliberativo.

De maneira lamentável, apesar de responder (sem nada dizer) a órgãos de imprensa, o desembargador Ademir – que não pode ver uma porta de geladeira aberta – se manteve inerte, calado, possivelmente preso a acordos inconfessáveis com grupos que assombram o Parque São Jorge.

Envergonhou a magistratura, desrespeitando o órgão que preside, e, principalmente, o associado alvinegro.

Restará aos impetrantes a busca dos caminhos judiciais.

CONFIRA ABAIXO A ÍNTEGRA DA NOTIFICAÇÃO DOS ASSOCIADOS AOS PODERES CONSTITUÍDOS DO CORINTHIANS

haroldo 1

haroldo 2

haroldo 3

haroldo 4

haroldo 5

haroldo 6

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.