Corinthians: choro e desânimo depois do “churumelas”

palhaço triste melancolia

Ontem, menos de 24 horas após o jantar da “Confraria dos Churumelas”, aliados de Osmar Stabile demonstravam, nas mídias sociais, extrema preocupação com os rumos da campanha política de seu grupo, que aposta no nome de Paulo Garcia como candidato a Presidente.

Leonel Valdir de Oliveira, o Bola, “manda-chuva” da sauna no Parque São Jorge, desabafou, em mensagem enviada ao Dr. Haroldo Dantas, braço direito de Stabile:

“É Dr. Haroldo Dantas… tentei o máximo. Depois de ontem joguei a toalha. E você sabe o que estou falando… Pra mim o navio afundou…”

Na sequencia, quem respondeu, com alguma melancolia, foi o comerciante Eduardo Lopes, também presente ao evento:

“Eu particularmente, não gosto desses termos: cacique, índio, comandante… prefiro: candidatos, eleitores, associados, coordenadores, simpatizantes, amigos…

Também não gosto do termo INIMIGO.

Inimigo é para a guerra, a gente quer matar, se não é você que vai morrer. Prefiro chamar de concorrente… Deixa pra lá…”

Por fim, o associado Carlos Alberto Patono resumiu bem a tônica do sentimento de todos:

“Estão dando risada da gente”…

Resta saber de quem falava.

Se do grupo de Paulo Garcia, que insiste em adiar seu posicionamento, e, para os aliados de Osmar diz “estamos juntos”, enquanto nos bastidores, em meio aos seus, alega “estar junto por necessidade”, ou dos situacionistas, representados pelo que há de mais lamentável da política alvinegra, desde bicheiros até “alaranjados”, que, silenciosamente, se aproveitam da confusa atuação do dono da Kalunga.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.