Santos não pode cometer loucuras. “Gabigol” não é nenhum Neymar

gabigol

Assessorado por empresários sedentos pelo dinheiro do Santos, e, para piorar, também pelo “complicado” pai de Neymar, o jovem Gabriel, que a torcida trata como “Gabigol”, vem pedindo uma fortuna para renovar contrato com o Peixe, além doutras exigências ruins para o clube.

Duas verdades devem ser ditas: o atacante não é nenhum super-craque, na verdade, nem chega perto disso e o Santos, se quiser sobreviver nos próximos anos, precisa parar de sucumbir aos desejos e negócios milionários com empresários de jogadores.

O correto é: faz a proposta, se não quiser, vaza !

Certamente muitos outros atletas, de nível semelhante, surgirão para o lugar de quem nem ainda sequer se firmou como jogador de futebol.

Basta lembrar o caso do único atleta que merecia algum sacrifício financeiro – Neymar – e lembrar no final o que aconteceu com o clube.

Para situar o leitor, o “staff” de Gabigol, e não Pelé, quer um contrato de 3 anos com a exigência de liberação após as Olimpíadas de 2016, luvas de R$ 5 milhões e salários de R$ 300 mil.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.