(Até quando a falta de) Acessibilidade no Beira Rio

beira rio
 
Por LUIZ PORTINHO
 
Na última 4ª feira, dia 12 de fevereiro, estiveram reunidos, na sede do Ministério Público do Rio Grande do Sul, o Presidente do Sport Club Internacional Giovani Luiggi, membros dos Ministérios Públicos Estadual e Federal e representantes das Associações RS Paradesporto e ASASEPODE, bem como do Conselho Nacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência – CONADE (no lado do Movimento das Pessoas com Deficiência). 
 
O objetivo era a assinatura do TAC da Acessibilidade (Termo de Ajustamento de Conduta) que fora fruto de mais de 10 meses de reuniões, negociações e concessões em inquéritos que tramitam perante o órgão ministerial. Mas o Presidente do Internacional, em que pese estar com o TAC há mais de 60 dias em sua mesa, negou-se a assiná-lo, alegando que o Corpo de Bombeiros não concederia o PPCI ao Estádio Beira Rio caso o fizesse. 
 
Ficou designada, então, vistoria no Estádio Beira-Rio, para 2ª feira (dia 17 de fevereiro), às 15 horas, com a presença do Corpo de Bombeiros, com a finalidade de averiguar questões de segurança relativas às cláusulas de acessibilidade lançadas no TAC. 
 
Não há dúvidas que se trata de mais uma artimanha protelatória lançada pela Direção do Sport Club Internacional, tendo em vista que o Corpo de Bombeiros estava presente na penúltima reunião realizada nos inquéritos, quando se chegou à redação final do TAC da Acessibilidade. É dizer: a avença foi concluída, com a presença e o respaldo dos integrantes da Corporação Militar. 
 
Enfim, é profundamente lamentável a situação que hoje vivemos. O Internacional insiste que é nobre sua postura de construir um único local reservado, de péssima visibilidade, sujeito a intempéries e fora da área de proteção da cobertura. Todavia, não bastasse os incômodos da visibilidade e falta de proteção, esse procedimento configura segregação (pessoas com deficiência num único local) e já foi devidamente rechaçado tanto por nossa legislação como também pelo próprio Caderno de Encargos da FIFA. 
 
Não há mais campo para negociações ou para novas reuniões ou vistorias. O TAC da Acessibilidade que, diga-se, possui exigências muito mais brandas que aquelas da legislação federal aplicável ao tema, deve ser imediatamente assinado pelo Sr. Presidente do Sport Club Internacional. 
 
De toda forma, 2ª feira, dia 17 de fevereiro, às 15 horas, estaremos todos no Gigante da Beira Rio, para demonstrar aos senhores dirigentes do Sport Club Internacional que suas manobras protelatórias não vingarão.
 
Luiz Portinho – Presidente
www.rsparadesporto.org.br
Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

33 ideias sobre “(Até quando a falta de) Acessibilidade no Beira Rio

  1. Jérôme Valcke visitará Porto Alegre na semana que vem. Terça-feira, no Beira-Rio, o número 2 da Fifa vai pedir explicações ao Inter, à prefeitura da Capital e ao governo do Estado sobre as estruturas provisórias (contêineres, tendas, geradores de energia, zona de hospitalidade e centro de mídia) em torno do estádio.
    O processo ainda não andou. Pode custar R$ 30 milhões, e ninguém quer pagar a conta. O contrato com a Fifa diz que o valor precisa ser assumido pelo proprietário do estádio. O Inter alega que não tem dinheiro para o investimento.
    luiz.zini@zerohora.com.br | @blogdozini

    Mais uma sórdida estratégia da Direção do SCI para receber os financiamentos do Poder Público. Em toda a sua vida esse Clube só surgiu, cresceu e vive do erário público, seja por doações de imóveis ou financiamentos diretos dos Governos Federal, Estadual e Municipal. Agora até o terreno de Guaíba que seria destinada a montadora Ford que o PT (OLivio Dutra) mandou embora para a Bahia está sendo doado ao Inter, ou Clube da Máfia gaúcha.

  2. Boa Paulinho! Deficientes não são animais para ficar confinados em um único e cubículo espaço.

  3. Esse presidente é o rei da maracutaia… é o nosso $ da educacao e seguranca indo para obra privada…

  4. Falando nisso: o que as Coloridas acharam do queridinho delas, o Alexandre Pato, no SPFC?

  5. Enquanto isto existe a Arena melhor estádio de futebol das Américas e com o custo total da obra reduzido a metade de qualquer reforminha de estadios Brasil a fora… O DESGOVERNO E A TAL COPA DO MUNDO NO PAÍS DO FUTEBOL TRANSFORMOU O ESPORTE EM PURA EXPLORAÇÃO DA BOA FÉ DO BOBO E ALEGRE POVO BRASILEIRO..

  6. O inter pode tudo aqui no RS, tem torcedores fanáticos nos mais altos postos do executivo, do legislativo, do judiciário e do MP. Também querem mais R$ 30 milhões para as estruturas temporárias para a Copa, as quais prometeram pagar.

  7. Bom dia!

    Esse episódio lamentável deve ser investigado, pois a grandeza do Inter não pode ser manchada por falta ou omissão de nosso lerdo presidente Luigi ( um dos piores presidente da história do clube) embora vá constar na placa seu nome como o presidente da remodelação do estádio. Ele não tem a simpatia dos torcedores, justamente por ser devagar e inoperante. Mas, estranho que a FIFA esteve a poucos dias (jan/14) e averiguou todos os itens do caderno e não mencionou este problema –

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/copa-2014/noticia/2014/01/consultor-da-fifa-realiza-vistoria-no-estadio-beira-rio-4396069.html

    Guilherme a AG já retirou quase todo o entulho e barracões necessários para as obras e o asfaltamento do entorno está previsto para começar ainda em fevereiro (por favor quando denunciar algo coloque a fonte – link, que seja mais confiável do que o Luiz Zini. E que eu saiba a FIFA usará o Gigantinho como seu quartel, por isso não seria necessária a construção de prédios específicos para isso.

    Outra coisa os Luizes (Zini e Portinho ambos azuis) torcem para que a copa seja levada para a Arena OAS, só que o entorno do Humaitã é um lixão, cercado de barracos (As pessoas que lá moram esperam um local digno para morar há anos) Por isso a raiva dos gremistas, que esta semana viram as fotos do Beira Rio nos testes de iluminação e de tanto despeito ele (o Portinho) colocou uma foto antiga, pois a cobertura e 99% do estádio já estão concluídos. Confiram nas fotos do Grupo GPS no FACE.

    https://www.facebook.com/BeiraRioGiganteParaSempreSci/photos_stream

    Quanto ao dinheiro público o empréstimo do BNDES foi particular não do governo e a parte do entorno que pertence ao Inter será paga pelo clube a parte da Prefeitura será encargo público. Quanto as doações leia o link.

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/gremio/noticia/2011/04/prefeitura-libera-gremio-de-pagamento-por-terreno-do-estadio-olimpico-3260119.html

    Ou seja teu time também ganhou uma área nobre e trocou por uma outra, já o Inter mantém a que ganhou e valorizou através dos anos, pois ganhou um banhado e transformou num ponto turístico.

  8. Paulinho fique atento: aqui no RS o grande presidente vitorioso iluminado (sr Geovani Luigi) já foi à rádio agora pela manhã, dizer que os gastos com as estruturas temporárias são problema público, ignorando completamente o contrato que ELE MESMO assinou se comprometendo a pagar as tais estruturas! precisamos de cobertura externa dos acontecimentos daqui, pois a imprensa do RS (leia-se RBS) é a encarregada da festa de “inauguração” da reforma.. então, de lá, nunca se vê noticias negativas, somente aquilo que lhes interessa!

  9. hahaha, esses azuis são engraçadíssimos. leiam a resposta da “Delegada Helô” e fechem essa boca suja e racista. saudações de um “macaco imundo”.

  10. Juca e Gustavo

    Tanto o Grêmio quanto o Inter têm pessoas e grupos importantes que torcem, isso é fato, pois são os dois times mais fortes do RS, agora a acusação é bem coisa de gremista, que usa a RBS (emissora oficial do Grêmio, os Sirotsky são gremistas declarados) para criar polêmicas como no caso da membrana descosturada, rsrs. Vi a declaração infeliz do Luigi, mas esta FIFA exige gastos para instalações temporárias, que são absurdos, ainda mais que serão usadas apenas 1 mês. Por isso, a utilização do Gigantinho seria a solução ideal ou a própria FIFA que arcasse, pois será de uso e interesse dela.

    Juca tu chamas a torcida do Inter de fanática, mas quem proporciona fatos lamentáveis de barbárie e vandalismo é a famosa Geral do teu Grêmio. Me responde se as torcidas do Inter são frequentadoras das páginas policiais tanto quanto as do arquirrival. Vamos refrescar tua memória:

    http://m.globoesporte.globo.com/futebol/times/gremio/noticia/2014/02/torcida-do-gremio-lanca-2-rojoes-no-gramado-e-policia-identifica-infrator.html

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/gremio/noticia/2013/11/apos-tregua-grupos-rivais-da-geral-do-gremio-voltam-a-se-enfrentar-4328217.html

    http://esportes.terra.com.br/futebol/el-aguante/blog/2013/07/29/torcedor-e-retirado-e-geral-entra-em-confronto-com-bm-na-arena-do-gremio/

    Se puxar tem muito material na internet.

  11. que tu ganhas “grenalizando” tudo, Delegada Helô?
    quando o dinheiro público, meu e teu, serve pra esses interesses, não há porque haver paixões clubísticas envolvidas, está errado e pronto, não concorda?

  12. Infelizmente estes macacos imundos não tem um pingo de dignidade e moralidade, pois a torcida deste timeco apoia todas estas decisões. São a escória do Rio Grande do Sul, uma vergonha para todo o povo Gaúcho. Espero que futuramente paguem um alto preço por todas estas pilantragens que vêm fazendo.

  13. Pó Delega Helô.. pensei que paixões toscas e populista não te contaminavam estas parecendo uma petista com este teu discurso…

  14. Cocolorados emprestamos a ARENA DO GREMIO para esses joguinhos da copa do mundo, ta certo que a maior seleção do mundo não vai jogar nessa copinha. Da-lhe Gremio!!!!!!!!!!!1

  15. Helô,

    tenho ojeriza total pela geral, mas parece que esquece da popular, liderada pelo vulgo Hierro “facada”, aquele que esfaqueou uma pessoa no jogo de despedida do Fabiano. Também esquecestes ou omitiste as vandalizações cometidas pelos civilizadíssimos torcedores colorados na Arena do Grêmio. Atos que mal mereceram notas de rodapé nos maiores veículo de informação abaixo do Mampituba.

  16. X9 Deus me livre das duas coisas por ti citadas, mas até agora o Inter estava com a postura isenta, com relação as críticas de uso de verbas públicas, digo até agora, pois a anta do Giovanni Luigi não quer assumir o acordo, que dizem que o Inter assinou, de construir as estruturas provisórias para uso da FIFA, no entanto ele na entrevista disse ter oferecido o centro de eventos, o Gigantinho e áreas internas onde serão as futuras lojas do shopping e o edifício garagem, podem usar até o DTG. Estas instalações exigidas por serem construções provisórias têm um custo é altíssimo e seria jogar dinheiro fora. E se vocês prestarem atenção verão que não apoio, ao contrário critico o presidente do Inter. Vejam a entrevista dele, que faz um alarde maior do que o problema.

    http://gaucha.clicrbs.com.br/rs/noticia-aberta/existe-o-risco-de-perdermos-a-copa-e-ele-nao-e-pequeno-diz-giovanni-luigi-76902.html
    * Escutem o áudio ao fim da matéria escrita.

    Roberto e Juarez enquanto o Inter não usar dinheiro dos cofres públicos eu defenderei, se usar perde a moral e nós colorados ficaremos com vergonha. Coisa que outros não têm.

    Gil tu deverias se preocupar com as declarações do teu presidente, pois vcs não podem emprestar o que não têm.

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/gremio/noticia/2014/02/koff-volta-a-falar-na-crise-financeira-do-gremio-jogamos-de-noite-para-almocar-no-dia-seguinte-4419552.html

  17. Juca não faço parte de TOS, ao contrário gostaria que elas não existissem, mas pelo que sei o tal Hierro foi expulso e parece que está preso, depois disso nunca mais se ouviu nada da torcida Guarda Popular, essa tu tirastes do Baú (07/12/11) já a Geral continua tocando o terror e , sendo financiada pelo Grêmio.

    Vandalização na Arena OAS ? Confesso que não tive notícia, se achar posta o link. Lembro da TO do Grêmio queimar banheiros químicos no Beira Rio.

    Abraços colorados

  18. Delegada Helô é aquela tal Heloísa Pires.

    Fanatismo total pelo clube dela, pessoas assim se recusam a aceitar os fatos, mesmo que estejam escancarados.
    É só ver os comentários dessa pessoa por ai.

    O presidente do Inter ASSINOU um CONTRATO, não aditanta tentar colocar na conta do povo, chega pow.

    ASSUME o que ASSINOU ou larga, aceita que perdeu ué.

  19. Paulinho gostaria de te agradecer e pedir desculpas pela overdose de posts, mas não suporto ler acusações e críticas que não sejam fundamentadas com bases sólidas, mas sim só suposições, acusações e especulações.Por isso admiro teu trabalho que investiga e só joga na rede depois de confirmar.

    No entanto um fato triste se mostra aqui no blog, justo na semana em que as pessoas se indignaram com o racismo dos peruanos. Em muitos dos posts os gremistas tratam a torcida co-irmã de “Macacos Imundos”, eu particularmente não ligo, pois isso não me atinge, mas penso nas crianças, como o filho do Tinga. O Mais contraditório é que a torcida colorada é composta em sua ampla maioria de caucasianos e muito poucos negros, ao contrário da torcida do Grêmio, basta ver as imagens nos jogos. No entanto usam o racismo, as ofensas e , quando gritam estas palavras não olham para o lado. Deve ser triste ser negro e gremista, pois a própria torcida é intolerante.Isso é uma vergonha para o RS que se orgulha do povo hospitaleiro e educado.

    Respeito gera respeito. Então pessoal um pouquinho de educação não faz mal a ninguém.

    E vamos aguardar os desfechos de Grêmio X OAS e Inter X FIFA

    Um lindo Fim de semana para todos.

  20. SÃO PAULO É A CIDADE QUE MENOS INVESTIU EM MOBILIDADE URBANA PARA A COPA.

    PARA SE CHEGAR À ARENA DE ITAQUERA O TORCEDOR VAI TER QUE USAR O METRÔ SUPERLOTADO OU A RADIAL LESTE CONGESTIONADA.

    E PROSSEGUE A TODO VAPOR A OBRA DO MONOTRILHO DO MORUMBI, DE 3 BILHÕES DE REAIS, PARA ACESSO AO ESTÁDIO QUE NÃO MAIS SER UTILIZADO NA COPA, O MORUMBICHÃO DO SPFC…

    UM ESCÂNDALO.

  21. http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,sao-paulo-vai-ficar-devendo-uma-das-promessas-de-mobilidade-para-a-copa,1127978,0.htm

    São Paulo vai ficar devendo uma das promessas de mobilidade para a Copa

    Ligação entre a Radial Leste e a Avenida Jacu-Pêssego, parte do pacote do Itaquerão, teve obra cancelada

    08 de fevereiro de 2014 | 16h 00

    SÃO PAULO – Três imponentes viadutos que surgiram sobre a Radial Leste, na zona leste de São Paulo, podem dar a impressão que de as obras paulistas para a Copa estão em ritmo acelerado. Mas não estão. Desde outubro de 2012, estão atrasadas em relação ao cronograma previsto e, das cinco intervenções planejadas para a região, uma vai ficar para depois dos jogos do Mundial. Além disso, o orçamento está 21% maior do que o original.

    Com uma linha de metrô ao lado da Arena Corinthians, São Paulo abriu mão de investir em transporte público para os jogos. O que está em execução são obras viárias: duas avenidas interligando a área a sudeste do estádio à Radial Leste, um túnel na Radial, na região da estação de metrô, e uma rotatória. São serviços de responsabilidade do governo do Estado, por meio da empresa Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa). Há ainda uma passarela para pedestres ligando o estádio à Estação Itaquera.

    Em setembro de 2012, quando as obras começaram, a previsão é que chegaríamos a janeiro com 87% dos serviços concluídos. A Dersa está um pouco atrás disso: 83% de conclusão.

    “O que tem nos ajudado é que está chovendo pouco. Tem gente trabalhando nos três turnos. Vamos terminar tudo no prazo, sim”, disse um operário ao Estado na semana passada.

    “Ter diferenças entre o que foi previsto e o que foi realizado é normal em uma obra”, afirma o presidente da Dersa, Laurence Casagrande Lourenço. “Quando você executa a obra em velocidade acima do previsto, às vezes é ruim porque será preciso brecar lá na frente. Pode haver problemas de fluxo de caixa. No nosso caso, tivemos atraso em dezembro (de 2012) por problemas com desapropriações.” Lourenço diz que as obras estarão prontas até março. “O pessoal está mobilizado, é uma questão apenas de fechamento de obra.’’ O prazo contratual para o fim dos serviços é abril.

    CANCELAMENTO
    A promessa de cumprimento dos prazos, por outro lado, vem depois do cancelamento, em outubro passado, da principal obra planejada para a Copa. Seria uma ligação entre a Radial Leste e a Avenida Jacu-Pêssego, uma via que faz ligação com a Marginal do Tietê e, principalmente, com o Aeroporto de Guarulhos. “Tivemos um atraso decorrente de desapropriações a cargo da Prefeitura”, explica Lourenço.

    Segundo o planejamento das obras, enquanto as demais intervenções foram pensadas para evitar gargalos no trânsito local, essa alça faria a conexão da região com o restante da cidade, que agora será feito apenas pela Radial Leste.

    Quando tudo for entregue, entretanto, as obras terão custado R$ 54 milhões a mais do que o planejado. Elas foram orçadas em R$ 257 milhões, mas o Estado fez uma revisão de gastos em novembro, chegando agora a R$ 311 milhões. Incluindo os custos com desapropriações, as obras de mobilidade paulistas vão custar R$ 548,5 milhões, R$ 150,6 milhões dos quais sairão dos cofres da Prefeitura de São Paulo. O Estado alega que os gastos extras são decorrentes de mudanças no projeto original, como medidas de proteção a dutos de gás e a muros da CPTM.

    Embora o metrô não faça parte dos projetos que contaram com recursos específicos para a Copa, o governo do Estado afirmou, após a confirmação da Arena Corinthians como estádio do Mundial, que iria instalar um novo sistema de controle dos trens na Linha 3-Vermelha, que a tornaria mais rápida. O contrato foi assinado em 2008, por quase R$ 800 milhões, com a empresa Alstom. O sistema ainda não foi instalado e o Ministério Público Estadual conseguiu suspendê-lo na semana passada, alegando suspeitas de superfaturamento.

  22. http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,obras-que-nao-ficariam-prontas-foram-tiradas-da-matriz-de-responsabilidades,1127976,0.htm

    Obras que não ficariam prontas foram tiradas da Matriz de Responsabilidades

    Documento foi reformulado várias vezes, a última no segundo semestre do ano passado

    08 de fevereiro de 2014 | 16h 00

    São Paulo retirou da Matriz o monotrilho da linha 17 Ouro depois que o Morumbi foi trocado pela Arena Corinthians como a sede paulista da Copa. O governo estadual entendeu que não teria sentido manter a intervenção ligada ao Mundial, mas as obras continuam.

  23. http://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_17_do_Metr%C3%B4_de_S%C3%A3o_Paulo

    A futura Linha 17-Ouro será uma linha do Metrô de São Paulo que utilizará o Metroleve. Essa linha ligará a estação Jabaquara, da Linha 1-Azul, à estação São Paulo-Morumbi, da Linha 4-Amarela. Essa linha terá como principal parada o aeroporto de Congonhas, passando também pela Linha 5-Lilás e pela Linha 9 da CPTM. Terá uma demanda aproximada de quinze mil passageiros por hora em cada sentido. O início de suas operações, inicialmente prometido para 2013, está agora previsto para 2014. A linha faz parte do projeto que a cidade apresentou para ser sede da Copa do Mundo de 2014.

    Projeto
    O edital para construção deveria ser publicado em novembro de 2009, e o custo total do projeto está estimado em 3,17 bilhões de reais (sendo 1,082 bilhão de reais emprestados do BNDES, 1,5 bilhão de reais do governo estadual e o restante da prefeitura de São Paulo)2 , com previsão de 200 mil3 , 230 mil4 ou 250 mil5 passageiros transportados por dia quando completa. O traçado projetado tem 21,5 quilômetros de extensão e será entregue em três etapas.4 A primeira delas tinha 3,8 quilômetros e o início das obras estava previsto para dezembro de 2010, ligando o aeroporto de Congonhas à estação São Judas, com uma demanda inicial de 18 mil passageiros por dia.4 Essa etapa, entretanto, sofreu atraso e acabou engavetada no primeiro semestre de 2011, devido ao processo de tombamento do aeroporto, segundo o Metrô.6 A primeira fase passou a ser, então. a ligação entre o aeroporto e a Morumbi, da CPTM, com previsão de demanda diária de 43 mil passageiros e início de operações no primeiro semestre de 2014.6 Essa era originalmente parte da segunda etapa, que tinha previsão de demanda de cem mil usuários por dia e início de operações em 2013, com 10,8 quilômetros da Estação Morumbi à Estação Jabaquara, da Linha 1 do Metrô, com a linha para o aeroporto saindo em Y. A nova segunda fase passou a ser a ligação entre o aeroporto e a Estação São Paulo-Morumbi, da Linha 4 do Metrô, cuja previsão de operação passara para o primeiro semestre de 2015, com demanda prevista de 166 mil passageiros por dia.6 Por fim, a terceira fase seria a ligação da linha com a Estação Jabaquara, também prevista para o primeiro semestre de 2015, elevando a demanda prevista para 252 mil passageiros diários.

    Quando a Fifa rejeitou o Estádio do Morumbi como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, a imprensa chegou a noticiar que a linha não seria mais uma prioridade do governo, mas isso foi negado quando o governador Alberto Goldman afirmou, em 30 de junho de 2010, que a linha ficaria pronta em 2013. “Os empréstimos estão pedidos, estão acertados e esperamos que a liberação dos recursos aconteça logo”, disse Goldman. A previsão de duração das obras era de três anos. Em dezembro de 2010 uma liminar atendeu pedido da Associação Sociedade dos Amigos de Vila Inah, suspendendo a assinatura de contrato e consequente homologação da licitação para elaboração do projeto, fabricação, fornecimento e implantação da linha. A reclamação era da alteração da paisagem com a estrutura do monotrilho, que causaria desvalorização dos imóveis. Para a associação, o projeto feriria a lei federal de licitações por não ter incluídos licença ambiental e projeto básico de construção no processo.

    Obras
    Com boa parte dos pilares de sustentação já erguida, em outubro de 2013, alguns moradores reclamaram de um “efeito Minhocão”, em relação ao impacto visual e ao resultado urbanístico. Está muito feio”, reclamou, ao jornal Folha de S. Paulo, a presidente da Associação de Amigos do Brooklin Novo. “Há a promessa de que seja feito um paisagismo, mas, até agora, nada.” O Metrô, entretanto, informou ao jornal que “a obra [teria] tratamento paisagístico, com o objetivo de formar um conjunto visual leve e com ares futuristas”. Já o presidente da Associação Pro Campo Belo, também ouvido pela Folha, era mais otimista: “A promessa é que o monotrilho se pareça com o que existe em Miami. As estações serão modernas, com elevadores, e embaixo haverá um monte de árvores. Não será um ‘Minhocão’.”

    Em uma das vigas usadas na estrutura, foi detectado um risco de queda devido a “uma oscilação estrutural, identificada pelos próprios operários da obra”, em novembro de 2013. Durante a remoção da viga, feita por um guindaste, um dos sentidos da Avenida Jornalista Roberto Marinho teve o trânsito interrompido por cerca de seis horas.

  24. Voltei com novas informações.

    Aqui no Sul cada vez que o Koff fala da péssima situação do Grêmio a RBS providencia uma polêmica envolvendo o Inter, foi assim no caso das membranas rasgadas (mentira) dos alpinistas que seriam deportados e não foram e agora a das estruturas temporárias. O intuito é colocar a opinião pública contra o Internacional, ÚNICO estádio da copa sem recursos públicos, ou seja o POVO NÃO pagará esta conta, e isso deixa os gremistas, que também fizeram seu estádio sem recursos públicos, revoltadinhos, pois o Inter não lesou o povo gaúcho e brasileiro. Além do mais nas obras nunca houve incidentes ou acidentes, no solo colorado não tem sangue de trabalhadores.

    Vejam os links abaixo
    http://gaucha.clicrbs.com.br/rs/noticia-aberta/beira-rio-piffero-atesta-posicao-de-luigi-e-diz-que-dever-e-do-poder-publico-77034.html
    Ouçam o áudio abaixo da matéria escrita.

    http://globoesporte.globo.com/futebol/times/internacional/noticia/2014/02/documentos-preveem-recursos-publicos-para-entorno-do-beira-rio.html

    Reparem que no início do texto, continuam afirmando que a obrigação é do INTER, embora o documento abaixo prove o contrário.

    Espero com isso esclarecer e acabar com qualquer dúvida.

    OS colorados são contra o uso de verbas públicas, por nós a FIFA que pague ou use as áreas oferecidas pelo Inter, por sinal, estruturas bem melhores que tendas e containers.

  25. É postado algo importante como este sobre o descaso do Presidente do Inter e gremistas e colorados ficam discutindo, tomem vergonha na cara!!!

  26. Acho que a Delegado Helô é a Sininho. Defende as maracutaias do seu Inter-RS fazendo acusações contra os gremistas. Só faltava ela dizer que a culpa dos benefícios dados a Inter é dos gremistas. Menos Delegada Helô, bem menos…
    Se a Sr.ª (ou Sr. já que não sei quem se esconde por trás desse codinome) tiver dúvidas quanto as veracidades das minhas acusações é só pesquisar. Desde os tempos do ‘Coroné’ Balvé que era dono de mais de 100 emissoras de rádios no RS, que as notícias são ‘plantadas’ para que o zé povinho acredite.
    A Sr.ª não está lidando com um otário e muito menos com desinformado/alienado.

  27. Guilherme é impressionante como vocês vivem de passado. Tanto Inter quanto o Grêmio GANHARAM as áreas para a construção de seus estádios.Isso todo mundo sabe. Agora me explica, por que o Prefeito Fortunati ignorou o acordo feito com a OAS, que deveria ser a responsável pelas obras de entorno e viárias, posto que em troca recebeu do Grêmio terreno em área nobre para construir prédios, já que a prefeitura perdoou o Grêmio de pagar pelo terreno da Azenha, onde está o Olímpico, e o teu clube repassou para a OAS e o povo gaúcho está pagando esta conta. No entanto o prefeito está usando verbas públicas para as obras do entorno, que seriam obrigações da construtora baiana. Já que tu não és desinformado e alienado, por favor explique isso.

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/politica/noticia/2014/02/arena-do-gremio-mpc-pede-suspensao-de-repasses-para-obras-no-entorno-4418678.html

    Querido Guilherme quem acusa é responsável pela produção de provas, por isso todas estas histórias de ajudas ao time A ou B, feitas no passado foram erradas, mas as que estão no presente, estas sim, devem ser repudiadas e condenadas. Pois, as do passado não têm mais conserto, mas podemos evitar os abusos para o futuro.

    Lindo domingo.

    Ah! Ontem meu Inter voltou ao beira Rio e fez bonito, sorte ao teu Grêmio hoje.

  28. E para encerrar esta discussão infindável, vou responder sobre o tema principal do post do Luiz Portinho, que é a acessibilidade aos cadeirantes. Ontem foi realizado um jogo teste no Beira Rio com 10.250 torcedores. A avaliação foi feita pela RBS, mas o Inter vai fazer com os torcedores que participaram. A reclamação foi com o acesso externo, que ainda não tem calçamento e pisos totalmente colocados, será a última etapa da reforma.O resultado se vê no link da avaliação.

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/inter/noticia/2014/02/teste-zh-veja-o-que-funcionou-e-o-que-nao-funcionou-no-primeiro-jogo-teste-do-beira-rio-4421131.html

    Os testes prosseguirão, sempre com avaliação feita entre o clube e os torcedores, para que sejam feitos os ajustes até tudo estar em perfeitas condições.

    Um ótimo domingo!!!

  29. Delegado Helô, segue para conhecimento:
    A FORMAÇÃO PATRIMONIAL DO INTERNACIONAL

    Informo que o SCI recebeu, em quase 60 anos, graciosamente ou bem perto disso, posse ou propriedade de 30 ha lineares na cidade, completados pelo aterro efetuado pelo DNOS sobre essas áreas alagadas do município, doadas ou cedidas pela Prefeitura Municipal.

    Com efeito, a partir de uma operação de doação de 7 ha, decorrente da Lei Municipal 1.651, de 09/10/56 (Leonel Brizola), o Internacional viu, nesse tempo, acrescer a seu patrimônio mais três outras de mesma natureza jurídica, a saber:
    a) a primeira, aumentando a área originalmente doada ( 7,00 ha) para 13, 10 ha, num acréscimo de mais 6,10 ha, com fulcro na Lei 3225, de 12/12/1968 (Célio Marques Fernandes);
    b) A segunda, doando outra área (Parque Gigante), com uma superfície de 7,92 ha. com fulcro na Lei nº 3.921, de 21 de outubro de 1974, (Telmo Thompson Flores), totalizando ambas: 21,02 há
    c) A terceira, aumentando ambas essas duas áreas supra-mencionadas em mais 2,18 ha por retificação delas, passando a mencionada no item (a) a ter 15,04 ha e a mencionada no item (b) a ter 8,16 ha, totalizando as doações 23,20 ha, tudo com fulcro na Lei Complementar nº 511, de 21/12/2004 (João Verle)

    Além disso, o S.C. Internacional obteve por cessão de uso da Prefeitura Municipal uma outra área, lindeira àquela mencionada no item “a”, supra, no montante de 2,57 ha, via Decreto 14.659, de 27/09/2004 (João Verle), bem como a locação, ao valor de R $ 25.000,00 mensais e pelo prazo de vinte anos, renováveis ad nutum, por mais vinte, de uma área lateral ao complexo Beira-Rio, destinada a estacionamentos e pertencente ao município (localizada em pleno Parque Marinha do Brasil), na superfície de 4,32 ha.

    Verifica-se, assim, que o clube passou a dominar e usar uma área global de 30,10 ha naquele local privilegiado, situado a dez minutos, a pé, do Centro da cidade e às margens do Guaíba, na atualmente mais preciosa das localidades urbanas de Porto Alegre.

    Adicione-se a isso a contemplação com o suporte dos custos do aterro, todo ele correndo à conta do DNOS (federal), embora a Lei Municipal 1.651, a original, supra-citada, tivesse estabelecido que tais custos deveriam ser cobertos pelo donatário, o clube. Quer dizer: tais custos foram carreados à conta do erário público e resultaram também sem ônus algum para o esse.

    Dinheiro, como se vê, de todos, inclusive dos gremistas, numa empreitada de investimentos que nada tem a ver com os interesses dominiais tricolores.

    Há, nesse enredo, um fato singular: pela Lei Complementar nº 268, de 21/01/92 (Tarso Genro), ficou o executivo autorizado a permutar uma área de aproximadamente 5,00 ha, que possuía lindeira ao complexo de superfície do Beira-Rio (Escolas de Samba e adjacências), pelo imóvel do E. C. Internacional consistente do Estádio dos Eucaliptos, sito à Rua Silveiro, Menino Deus, e seu terreno.

    Não se tem notícias – pelo menos não chegou ao nosso conhecimento – sobre o destino dessa lei (complementar) e seus efeitos, valendo dizer a efetivação por escritura do seu objeto, a permuta de imóveis, ou mesmo sua revogação. Inequívoco, no entanto, que se trata de um módulo superficial independente, a eventualmente adicionar-se ao todo já regularmente apropriado (30 ha) por aquele clube. Mais 5 ha, portanto, além dos trinta.

    O que de concreto se sabe é que o E. C. Internacional jamais entregou ao órgão público o imóvel de seu antigo estádio, acabando a área pública objeto da Lei 268, por restar, até hoje, sob domínio do município e, possível ou eventualmente, na posse – parcial ou total – do clube. Ou seja, ocupada por ele de forma precária.

    (Incumbiria indagar se essa área está embutida no Projeto Gigante para Sempre ou não A ocorrência da primeira hipótese levaria a concluir-se por uma impropriedade na sua aprovação pela Câmara, o que se duvida que tenha acontecido)

    Da mesma forma não promoveu até hoje o Internacional, formalmente, por escritura ou instrumento de cessão de uso, a entrega ao município do imóvel consistente de uma área com 2,48 hectares, lindeira ao Parque Gigante (onde existiu um heliporto), fato a que ter-se-ia obrigado, conforme informações da imprensa, em troca da permissão, pela Prefeitura, de uso de outro imóvel ( 2,57 ha – Dec. 14.659), onde, hoje, se situa a Escolinha do clube e supra mencionado.

  30. kakakaka esse Delegada Helô e uma grande parada, ele fala do grêmio em todos os seus posts, e foge totalmente do que a matéria esta apontando kkkkk bem coisa de torcedor Fanático, esquece o grêmio, fala no assunto sem botar o azul no meio.

    Se e alugado ou não , se tem prestações ou não isso não diz respeito a torcida colorada e sim a nós torcedores do grêmio, estamos muito felizes com a (Nova) casa Azul, mesmo não sendo totalmente nossa ainda.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.