Advertisements

Santos, Renato Duprat, Leandro Damião e as desconfianças

dupratkia

Um grupo de investidores, incluindo membros da antiga MSI – sem os assassinados e suicidados – está atuando no mercado de futebol com a intermediação de Renato Duprat.

Não por acaso o mesmo que apresentou a triste parceria ao Corinthians.

Duprat tem histórico extenso de problemas, entre eles a falência, segundo dizem, fraudulenta da UNICOR, que deixou centenas de funcionários a ver navios, além dos milhares de assistidos pelo pleno.

Seu histórico em negócios com o Santos, também, não é dos mais positivos.

Razão pela qual, com todos os elementos acima, fica difícil não desconfiar da aquisição do jogador Leandro Damião, por incríveis R$ 41 milhões, valor bem acima do que o futebol apresentado pelo avante nos últimos tempos.

E, sabemos bem, que o hábito de pagar por uma mercadoria muito mais do que realmente vale tende sempre a sugerir ilicitude no negócio.

Difícil acreditar, também, que, em caso de coisa errada, comprador, vendedor, atleta e barriga de aluguel não estejam informados dos pormenores do contrato.

Seja o que está no papel ou o que foi acordado apenas de boca.

A atual diretoria do clube já comprovou na falta de prestação de contas crível do caso Neymar não merecer a confiança de torcedores e dirigentes, ainda mais com as notícias de que o presidente do Barcelona teria se apoderado, indevidamente, de 40 milhões de Euros da transação.

Valores exatos que o clube da Vila não consegue justificar.

Agora, com uma negociação absolutamente fora dos padrões nacionais, por um atleta em franca decadência técnica nos gramados, e ainda intermediada por Renato Duprat, representando gente de estirpe moral ainda mais complicada – se é que é possível – cabe aos conselheiros do Peixe ficarem atentos, para que o clube da Vila não seja “chapelado” em divisões inconfessáveis de altos salários e, na sequencia, com a quase certa revenda ao exterior.

Advertisements

Facebook Comments

13 Responses to “Santos, Renato Duprat, Leandro Damião e as desconfianças”

  1. Paulo Says:

    Zé Paulo Fernandes foi o membro do CG que trouxe seu amiguinho Duprat de volta ao Santos. Ambos foram citados na CPI do futebol. E pensar que uma das promessas do Laor foi que o Santos não seria barriga de aluguel de nenhum empresario.

  2. Carlos Almeida Says:

    R$ 41 milhões ou 13,2 milhões de euros por um atacante de 20 e poucos anos, com passagem pela seleção brasileira, não é nenhum absurdo. Mas as notícias são contraditórias. Dizem que o Santos ofereceu 12 milhões de reais mais o Arouca e o Internacional recusou. Dai a diretoria do Santos foi atrás do fundo para ajudar na aquisição, ou seja virar sócio do clube no jogador (ex. SPFC e DIS no caso PH Ganso). Para surpresa de todos o grupo resolveu afastar o Santos da negociação e comprou sozinho todos os direitos do jogador e já tem gente dizendo que eles não vão emprestar o jogador para o Santos. Com o Duprat tudo é possível.

  3. Sou Corintiano Corrupto e Pilantra Says:

    O varzeano Leandro Damião por R$10 milhões já seria caro, mas como tem quem acha que vai ganhar dinheiro em cima faz uma loucura dessa. E o clube fica refém desses porqueiras.

  4. gomes Says:

    41 milhoes nessa jogador apenas mediano? com certeza tem alguma picaretagem ai.

  5. Marcelo Says:

    Pagar 40 mi nele mais salario de 600 mil…. o futebol brasileiro enlouqueceu de vez…

  6. Ernesto Says:

    Paulinho,

    penas uma ressalva. Quando você diz:

    – …e que o presidente do Barcelona teria se apoderado, indevidamente, de R$ 40 milhões da transação…

    Na realidade, são 40 milhões de Euros.

  7. Ernesto Says:

    Interessante,

    cadê os “entendidos”, que comentam aqui, em Neymar?

    http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,chamado-de-estupendo-neymar-ganha-destaque-na-imprensa-internacional,1107663,0.htm

  8. Ernesto Says:

    Outra:

    Cadê os defensores da “administração” petralha:

    http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/petrobras-tem-32-de-chances-de-ir-a-falencia-diz-macroaxis

    São Paulo – A Petrobras, que já foi um dos maiores orgulhos dos brasileiros, tem 32,4% de ir à falência nos próximos dois anos. É o que diz uma análise da administradora de investimentos americana Macroaxis, especializada em fazer esse tipo de cálculo.

    “Baseando-se nas últimas informações financeiras divulgadas, a Petrobras tem probabilidade de falência de 32,4%. Este valor é muito maior do que o do setor”, afirma o relatório. A ExxonMobil, por exemplo, gigante do ramo de óleo e gás, tem probabilidade de falência de 0,86%. A Chevron tem 8,96% de chances e a Petrochina, outra grande concorrente, 12,27%.

    De acordo com a Macroaxis, que calcula riscos de investimentos de mais de 150.000 empresas do mercado de ações, companhias com probabilidade de falência maior que 90% têm grandes chances reais de falirem nos próximos dois anos. Em compensação, empresas com até 15% de probabilidade costumam demonstrar crescimento no mesmo período.

    O índice reflete o tamanho da crise que a Petrobras vem enfrentando nos últimos dois anos e que atingiu o auge – até agora – na semana passada. Depois de anunciar o reajuste no preço dos combustíveis, suas ações despencaram 10% em um só dia e a estatal brasileira perdeu 25 bilhões de reais em valor de mercado em poucas horas.

    A queda aconteceu porque analistas avaliaram que o reajuste foi insuficiente para reequilibrar as contas da empresa, que continua vendendo a preços subsidiados por uma política do governo de segurar a inflação. As dívidas líquidas já chegam a 79,6 bilhões de dólares, o que levou a agência de classificação de risco Moody’s a rebaixar a Petrobras em outubro. A agência prevê que, pelo menos até 2015, as dívidas só devem aumentar.

    Comunicado

    Após a publicação desta matéria, a Petrobrás enviou à EXAME.com o seguinte comunicado: “A presidente da Petrobras ressalta que a companhia possui excelentes indicadores operacionais, crescentes reservas de petróleo e gás e projetos de investimento em implantação que sustentam o elevado e contínuo crescimento da produção de petróleo até 2020. Combinados com o perfil de divida da companhia, são fatores que conferem à Petrobras a classificação de “grau de investimento” pelas três principais agências de risco: Moody’s, Standard & Poor’s e Fitch”.

    (Matéria atualizada dia 12 de dezembro às 11h48)

  9. Jonny Santista Says:

    Tinha ficado feliz com a falência da DIS, aquele lixo merecia, agora o Santos vem e começa outra loucura…isso porque só tinha 3,6 milhões, tudo parecia caro demias, e agora a torneira aberta…muitas surpresas virão nesse fim de ano

  10. Beto - Grus Says:

    Como um clube que na reta final do brasileirão, se encontrava em dificuldade para quitar salários dos jogadores e de uma hora para outra vai pagar salários de 600 mil???? E ainda tem gente que não entende porque os clubes tem tantas dividas, muitas impagável. E dirigentes se matam para ganhar eleições e assumir na teoria essas barcas furadas. A verdade é uma só as receitas si quer passam pelo clube já as despesas.

  11. EU - ABSOLUTIS VERITAS Says:

    Eleições chegando, precisam desesperadamente ganhar a próxima, pois sabem que podem levantar tudo que foi feito nos últimos 2 anos principalmente.

    E, no desespero vale tudo, vão “enfiar o pé jaca”, vão fazer de tudo para ganhar alguma coisa. Nestas horas, vale Kia, vale empréstimos diversos.

    Desespero é complicado, tende a dar errado.

  12. NÃO É PARA ESQUECER...A GLOBO E A BAND TRATARAM OS BANDIDOS DE ORURO COMO SE FOSSEM HERÓIS.E O POVINHO CONTINUA CORDEIRINHO. Says:

    É TUUUUUUUUUUUUUUUUUUDO BANDIDO, ELES FAZEM O QUE BEM ENTENDEM. E O POVINHO CORDEIRINHO …..CORDEIRINHO……O TORCEDOR IDIOTA PAGA TUDO ISSO.

  13. Ivone b bernardo. Says:

    Trabalhei neste hospital,e agora tentando receber minha aposentadoria está difícil pq a Unicór fechou.E AGORA?????

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: