Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito

1

Momento Recordar e Viver

Nos anos da tirania, alguns políticos, parente ou amigos, diretos ou indiretos de árbitros, ligavam pro Departamento exigindo que seu apadrinhado fosse escalado, este, por sua vez, quando indagado, se fazia de migué, dizendo; não sei de nada, nunca pedi nada a ninguém, todavia, fazia uso da consangüinidade com o político para se aproximar dos dirigentes e árbitros de nomeada, solicitando que fosse escalado.

DESPOTISMO

Marcos Marinho e Artur Alves Junior, mandões da CEAF-FPF, ingressaram com pedido judicial com propósito de impedir que continuemos a contar fatos que ocorreram e ocorrem no bastidor da arbitragem do futebol e, tentam reinventar o Ato Institucional nº 05 redigido pelo ministro da justiça Luis Antônio de Gama e Silva, depois do discurso contestatório do deputado federal Márcio Moreira Alves, entrando em vigor durante o governo Costa e Silva.*

Da época, lembro que os jornais O Estado de São Paulo e Jornal da Tarde, publicavam sonetos e poesias de Luis de Camões, poeta português, autor do poema “Os Lusíadas”, uma das obras mais importantes da Literatura portuguesa, que exalta os feitos marítimos e guerreiros de Portugal

Aos incomodados lembro uma das frases de Camões:

“Jamais haverá ano novo, se continuar a copiar os erros dos anos velhos”

9ª Rodada da Série A do Brasileirão – 2013

Sábado 27/07/ 2013

Ponte Preta 1 x 0 Santos

Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (SP)

Deixou de marcar a penalidade máxima cometida por Léo, defensor santista, no oponente Artur,

– na subjetividade, a não sinalização da penalidade máxima favorável a equipe campineira,

– poderia ter influenciado no resultado da contenda caso a Ponte não vencesse.

No complemento, Leandro Bizzio Marinho desenvolveu trabalho natural

10ª Rodada da Série B

Guaratinguetá 1 x 1 Palmeiras

Árbitro: Vinicius Furlan (SP)

Item Técnico

Poderia e deveria ter sinalizado a penalidade máxima sofrida por Valdivia;

– no momento que teve sua camisa puxada acintosamente por seu oponente Júlio Cesar,

– houvesse apontado a penalidade, possivelmente, teríamos outro resultado

Item Disciplinar

Cartões corretamente aplicados, como também, o vermelho pro palmeirense Ronny após o segundo amarelo, e, vermelho direto para Ruan, defensor do Guaratinguetá por ter cometido falta inaceitável

Domingo 28/07 – Continuação da 9ª Rodada da Série A

Corinthians 0 x 0 São Paulo

Árbitro: Rodrigo Guarizo do Amaral (SP)

Trabalho do árbitro e assistentes, desenvolvido com tranqüilidade, destacando que Rodrigo Guarizo do Amaral, embora de pouco exigido, advertiu corretamente com cartão amarelo Fábio Santos e Guerreiro, atletas corintianos; como também, Jadson, atleta são paulino

Cruzeiro 4 x 1 Atlético-MG

Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG)

Os representantes das leis do jogo desenvolveram com tranquilidade

Quarta Feira 31/07

Corinthians 2 x 0 Grêmio

Árbitro: Alicio Pena Junior (MG)

Item Técnico

Deixou de sinalizar algumas faltas;

– quanto ao segundo tento corintiano, marcado por Emerson Sheik,

– por ter sido lance dificílimo, fico com Dibert Pedrosa Moisés (RJ) assistente 02.

Explico:

Avaliar e criticar o assistente, como também o arbitro, após ver e rever o lance pela TV, inclusive, em câmera lenta; é a baba do quiabo,

– as criticas deveriam ser direcionadas aos membros da Associação Internacional de Futebol Board,

– braço da FIFA que regula as leis do futebol, no entanto, não segue os avanços tecnológicos,

– esquecendo que árbitros de futebol são seres humanos, que, na pratica, é difícil ajuizar milímetros ou centímetros.

Quinta Feira 01/08

Goiás 1 x 1 Vasco

Árbitro: Marcos Andre Gomes da Penha (ES)

Por volta do quadragésimo primeiro minuto da etapa final o goleiro vascaíno Diogo Silva, conscientemente, segurou as pernas do oponente Junior Viçosa; penalidade máxima, batida por Walter pro fundo da rede da equipe do Rio de Janeiro

Conclusão:

Arbitro e assistentes executaram suas funções normalmente

Política

JOAQUIM BARBOSA PODE RENUNCIAR

Jornalista Carlos Chagas diz que serão desastrosas as conseqüências, se os mensaleiros conseguirem convencer maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal a iniciar o segundo tempo do maior escândalo político nacional, dando o dito pelo não dito e o julgado por não julgado, na apreciação dos embargos apresentados até quinta feira

Primeiro porque será a desmoralização do Poder Judiciário, tendo em vista que os réus já foram condenados em última instância, em seguida a exaustivas investigações e amplas condições de defesa.

Depois, porque como reação a tamanha violência jurídica, Joaquim Barbosa poderá renunciar não apenas à presidência do Supremo, mas ao próprio exercício da função de ministro.

Esse rumor tomou conta de Brasília, ontem, na esteira de uma viagem que o magistrado faz à Costa Rica, de onde retornará amanhã. Se verdadeiro ou especulativo, saberemos na próxima semana, mas a verdade é que Joaquim Barbosa não parece capaz de aceitar humilhações sem reagir. Depois de anos de trabalho como relator do processo, enfrentando até colegas de tribunal, conseguiu fazer prevalecer a Justiça, nesse emblemático caso em condições de desmentir o mote de que no Brasil só os ladrões de galinha vão para a cadeia. Assistir de braços cruzados a negação de todo o esforço que ia redimindo as instituições democráticas, de jeito nenhum.

Em termos jurídicos, seria a falência da Justiça, como, aliás, todo mundo pensava antes da instauração do processo do mensalão. Em termos políticos, pior ainda: será a demonstração de que o PT pode tudo, a um passo de tornar-se partido único num regime onde prevalecem interesses de grupos encastelados no poder. Afinal, a condenação de companheiros de alto quilate, por corrupção, ia revelando as entranhas da legenda que um dia dispôs-se a recuperar o país, mas cedeu às imposições do fisiologismo.

Teria a mais alta corte nacional mecanismos para impedir esse vexame? Rejeitar liminarmente os embargos não dá, mas apreciá-los em conjunto pela simples reafirmação de sentenças exaustivamente exaradas, quem sabe? Declaratórios ou infringentes, os recursos compõem a conspiração dos derrotados.

Vamos lutar com a única arma que nos resta, divulgando rápido!

É a única saída para a busca da dignidade que nos foi roubada

Em Tempo:

Concordo com o Jornalista Carlos Chagas, seguindo na mesma linha, me convenço que se faz necessário apurar centavo por centavo os bens dos amigos e familiares dos políticos do hoje; alguns deles:

Sarney, Maluf, Jader Barbalho, Sérgio Cabral, Geraldo Alckmin, Luis Antonio Fleury, Lula, José Dirceu, Genuíno, Cid Gomes, Collor de Melo e grande maioria dos que estão vivos.

Da mesma forma os herdeiros dos bens deixados por:

Antonio Carlos Magalhães, Orestes Quércia, Adhemar de Barros, Mario Covas, e pluralidade dos que partiram.

O pau que bate no Chico deve bater no Francisco

Agindo desta maneira, possivelmente, por volta da sexta geração da atual população, conseguiremos amenizar e muito a cultura do Toma lá dá cá

Chega de Mentiras, de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-03/08/2013

*Trecho marcado com “*” alterado para maior compreensão do público sobre os fatros que cercam o comentário.

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Esta entrada foi publicada em Sem-categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.