Advertisements
Anúncios

Brasil de Felipão arrasa Espanha e vence a Copa das Confederações

Jogando uma partida extraordinária, o Brasil venceu a favorita Espanha por três a zero, sagrando-se campeão da Copa das Confederações, no Maracanã.

Dois gols de Fred e um de Neymar.

Méritos absolutos para Luis Felipe Scolari, o Felipão, que pegou um amontoado de jogadores desacreditados, transformando-os numa verdadeira e competitiva equipe de futebol.

A Espanha, absolutamente irreconhecível, foi uma pálida expressão de uma equipe que há anos vem encantando o mundo.

Os primeiros quinze minutos do Brasil foram arrasadores, com marcação quase homem a homem no ataque, impondo o ritmo do jogo e com surpreendentes 60% de posse de bola.

Para ajudar, logo no primeiro minuto, Hulk cruzou pela direita, fez uma confusão dentro da área, e a bola sobrou para Fred, deitado, com grande oportunismo, abrir o marcador.

Seis minutos depois, Oscar recebeu de Fred dentro da área e bateu à direita da meta.

Paulinho, aos 12 minutos, viu Casillas adiantado, tentou encobrí-lo, mas o goleiro espanhol conseguiu, de maneira estranha, defender em dois tempos.

A Espanha, até então acuada, começou a se soltar um pouco mais após os quinze minutos, equilibrando um pouco as ações.

Iniesta fez Julio Cesar trabalhar bem, aos 19 minutos, em batida da intermediária, no primeiro chute espanhol, até então.

Aos 31 minutos, Neymar arrancou pela esquerda, e deu o gol para Fred, que bateu em cima de Casillas.

O Brasil, apesar da melhora espanhola, continuava mandando na partida, marcando como nunca, e sempre perigoso nos contra-ataques.

O Maracanã ficou apreensivo quando Pedro foi lançado na direita, sozinho, aos 40 minutos, bateu cruzado, a bola ia entrando, mas David Luiz, de maneira extraordinária, tirou de carrinho, em cima da linha.

Porém, aos 43 minutos, Neymar tabelou com Oscar, entrou na área e marcou um golaço, no canto alto direito de Casillas.

A Espanha foi para o intervalo, atônita, sem acreditar no que viu na primeira etapa, ou seja, um Brasil solidário e absolutamente eficiente, pulverizando o favoritismo adversário.

E mal começou a segunda etapa, o Brasil partiu para cima, Fred foi lançado na esquerda e, com enorme categoria, bateu cruzado para marcar o terceiro, sepultando o sonho espanhol.

Aos nove minutos, Marcelo cometeu penalidade absolutamente infantil em Navas, deixando o torcedor espanhol esperançoso, porém, um minutos depois, Sergio Ramos bateu mal, à direita de Julio Cesar.

Não era mesmo o dia da Espanha.

Sem alternativa, os espanhóis foram com tudo para o ataque, abrindo enormes buracos em seu setor defensivo.

Num deles, aos 13 minutos, Hulk foi lançado em contra-ataque, mas Casillas saiu bem e defendeu.

A coisas ficaram ainda mais fáceis para o Brasil quando, aos 22 minutos, Neymar arrancou do campo de defesa, ia entrar na área e foi derrubado por trás por Pique, que recebeu cartão vermelho, para desespero de Shakira.

Dois minutos depois, o mesmo Neymar bateu a falta raspando a meta direita de Casillas.

A essa altura, mesmo com posse de bola, a Espanha estava perdidinha, o Brasil perigoso e Neymar se divertindo no gramado.

A Espanha quase diminuiu aos 35 minutos, quando Julio Cesar fez defesa extraordinária em batida cruzada de Pedro.

Dois minutos depois, Jô escapou pela esquerda e bateu para ótima defesa de Casillas.

Julio Cesar, novamente, aos 41 minutos, fez grande defesa em batida de David Villa.

Ao final, com a taça das Confederações em mãos, o Brasil demonstrou aos espanhóis, e também ao mundo, não apenas o enorme peso de sua história, mas também que não há resultado garantido no mundo do futebol.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: