Advertisements
Anúncios

Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito

cf 1

Óleo de Peroba

Sou convicto que Marcos Marinho presidente da CA-FPF, todos assessores, mormente, Artur Alves Junior, sabiam da existência contratual entre a empresa de eventos esportivos comandada pelo árbitro Rodrigo Braghetto, com o SC. Corinthians Paulista.

Por este motivo não deveriam ter selecionado Rodrigo Braghetto para participar do “sorteio” das duas partidas finais: Corinthians e Santos, e, Santos x Corinthians

Laureado

A bolinha que portava o número referente ao Braghetto foi premiada, avisado, Rodrigo Braghetto ficou contente vez que conseguiria realizar o almejado, ou seja, arbitrar uma final

Exposição

Na Quinta-Feira 16/05/2013, o jornalista Paulinho, responsável pelo blog do Paulinho, publicou e provou a existência contratual entre a empresa comandada por Rodrigo Braghetto, com o departamento social do SC. Corinthians Paulista

Retirado da Escala

Covardemente, os dirigentes da Federação Paulista de Futebol retiraram Braghetto da partida.

Indagado por alguns componentes da imprensa para esclarecer o motivo da retirada; na condição de presidente da Comissão de Árbitros, Marcos Marinho afirmou que:

A presidência da FPF, ele, e seus assessores, desconheciam a existência da empresa comandada pelo árbitro Rodrigo Braghetto

Desmentiu

Rodrigo Braghetto concedeu entrevista clareando que nunca escondeu que era responsável pela empresa, ao mesmo tempo, afirmou que Marcos Marinho, presidente da comissão de árbitros, seus assessores, principalmente, Artur Alves Junior eram sabedores da empresa

Carreira Interrompida

Ao final da entrevista Rodrigo Braghetto expôs sua decepção assegurando que estava abandonando a arbitragem do futebol profissional.

O Esquivar do SAFESP E COAFESP

Artur Alves Junior, presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo, tinha o dever e obrigação de manifestar publicamente a solidariedade da entidade para com seu associado

Não o fez, por ser funcionário direto ou indireto da FPF, nesta condição, exerce diversas funções:

Membro remunerado da CA, Delegado da Presidência nas partidas e analista do trabalho dos árbitros e algumas outras.

Falta de Ética

Houvesse pequeníssimo respeito à ética, Artur Alves Junior, presidente do SAFESP e, Silas Santana, presidente da COAFESP, deveriam escolher entre ficar na direção das entidades dos árbitros, ou serem, remunerados com funcionários diretos ou indiretos da FPF, nas funções relativas aos árbitros.

Troféu do Interior – 2013 da Série A1

Sábado 19/05

Ponte Preta 4 x 2 Penapolense

Árbitro: Leandro Bizzio Marinho

Os representantes das leis do jogo desenvolveram trabalho aceitável.

Troféu conquistado pela Ponte Preta

Partida final do Campeonato Paulista 2013- Série A1

Domingo 19-05

Santos 1 x 1 Corinthians

Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima

Item Técnico – Etapa Inicial

– Por volta do quarto minuto da primeira etapa pelo lado esquerdo do ataque, próximo a grande área santista, em disputa normal pela bola, ocorreu contato físico entre Bruno Peres, zagueiro santista com Emerson Sheik, atacante corintiano; incorretamente, Ceretta sinalizou falta a favor do Corinthians

– Aos 22 minutos, Léo, zagueiro da equipe praiana cruzou a redonda para o interior da área corintiana; quando da descida,

– observei que a bola houvera batido no braço de um dos defensores da equipe do Parque São Jorge;

– Ceretta, corretamente, nada apontou

Errou

– No minuto seguinte próximo a entrada da área de sua equipe, Paulo André, zagueiro corintiano acertou uma das pernas do santista Neymar, neste lance, Ceretta estava bem colocado, se mancou e, nada marcou;

– sou convicto que deveria ter sinalizado falta, seguida do cartão amarelo pro Paulo André,

– vez que por algumas outras ocasiões seus consortes agiram da mesma maneira com Neymar

Pênalti

No trigésimo sexto ou trigésimo sétimo minuto da fase inicial, um dos defensores santista cruzou a redonda pro interior da área do Corinthians, assim que a boa ultrapassou a linha da grande área,

– o zagueiro corintiano Paulo André zagueiro efetuou movimento com o braço objetivando desviar o rumo da redonda, este ato, em meu entendimento, desviou a direção da bola; pra mim penalidade não sinalizada

Segunda Etapa

– Ao inicio desta etapa Neymar, o mimado menino da Vila, acintosamente, provocou seu oponente Paulo André na frente do árbitro,

– Repetindo o que houvera feito na primeira etapa, quando da falta do corintiano no santista,

– Ceretta se fez de migué, não deu cartão amarelo pro Neymar

– Momentos depois, o atleta corintiano Edenilson cometeu falta no oponente Neymar, corretamente, Ceretta o advertiu com cartão amarelo

– Pouco a frente, Edu Dracena, zagueiro da equipe praiana, cometeu falta claríssima no corintiano Paulinho, perto da entrada da grande área

– Na cara dura, Guilherme Ceretta de Lima, nada sinalizou

– fosse menos político, teria marcado falta, seguida, do cartão amarelo pro Edu Dracena

– Aos setenta e seis minutos, Renê Junior, defensor santista, entrou faltosamente no oponente Fábio Santos, correntemente, Ceretta o premiou com cartão amarelo

– Antes do final da refrega, Arouca, defensor da equipe praiana cometeu falta ao segurar o corintiano Pato, falta marcada, cartão amarelo pro santista, Ceretta acertou

Item Disciplinar

– Ceretta acertou quando advertiu com cartão amarelo os corintianos Cássio e Romarinho por retardamento na reposição da bola ao jogo,

– Deixou de sinalizar algumas faltas,

– Foi muito pressionado pelos atletas.

Prepotência

Antes do inicio da partida, perguntado sobre o momento o mau momento da arbitragem no estado de São Paulo; Guilherme Ceretta de Lima respondeu:

“Ao final da partida, vocês vão ver o quanto à arbitragem paulista é diferenciada”

Conclusão

Bem relacionado com dirigentes e jornalistas, Guilherme Ceretta de Lima, expôs sua máscara, queimou a língua

Política

Verdades

cf 2

cf 3

cf 4

cf 5

Renan Calheiros – você, Lula e patota, somados a maioria dos ocupantes dos poderes executivos e maioria dos parlamentares das diversas casas legislativas deste Brasil, brasileiro, não merecem o mínimo de respeito

Finalizando

cf 6

Chega de Mentiras, de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-26/05/2013

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: