Brasil goleia seu adversário mais fraco

Sem nenhum esforço, a Seleção Brasileira venceu a inacreditável ruindade da Seleção da China por sonoros oito a zero.

O adversário pior classificado no ranking da FIFA, 78º, entre todos os já enfrentados pela equipe de Mano Menezes.

Mesmo assim conseguiu ter desempenho abaixo do esperado, melhorando apenas no segundo tempo, quando os chineses, aparentemente, desistiram de lutar.

Poucas vezes pudemos assistir um adversário tão horrível enfrentando a Seleção Brasileira, com setor defensivo que beira o varzeano e ataque absolutamente inexistente.

E que veio ao país desfalcado de cinco titulares, impedidos pelo Governo local de deixar o país.

Apresentando novamente deficiência criativa, o Brasil somente aos 22 minutos conseguiu abrir o marcador, quando Ramirez decidiu arrancar pela esquerda, tabelou com Oscar e, na saída do goleiro fez um a zero.

Antes disso, muito pouco havia sido criado.

Três minutos depois veio o segundo gol, quando Hulk tocou para Oscar na direita e este serviu para Neymar, sozinho, ampliar.

Depois o Brasil, aproveitando da incrível fragilidade adversária, criou outras chances, meio que em ritmo de treino.

Numa delas, aos 32 minutos, Oscar acertou o travessão, dentro da pequena área, após assistência de Neymar.

Logo no início do segundo tempo, aos 3 minutos, Hulk avançou pelo meio e serviu a Lucas, que entrou na área batendo na saída do goleiro, fazendo três a zero.

Três minutos depois, Neymar arriscou da intermediária, a bola pegou no travessão e, no rebote, Hulk bateu firme e desenhou a goleada.

Os chineses, que no primeiro tempo inexistiram, na etapa final sequer se esforçavam, tamanha a diferença técnica e física das equipes.

Aproveitando-se da moleza, o Brasil jogava da intermediária para frente quando, aos oito minutos, Marcelo cruzou rasteiro da esquerda e Neymar marcou o quinto gol.

O sexto veio aos 15 minutos, quando o zagueiro chinês deu um presente para Oscar, que serviu para Neymar, sozinho, rolar para as redes.

Mesmo constrangido, o torcedor brasileiro gritava “olé”, meio que para não perder a viagem ao estádio.

Aos 24 minutos, meio sem querer, os chineses acertaram uma cobrança de escanteio e Diego Alves salvou bem.

Um minuto depois o desastrado zagueiro Liu tentou cortar bola que Lucas já havia perdido e marcou contra o sétimo gol do Brasil.

Aos 29 minutos, a arbitragem querendo aparecer no jogo marcou penalidade inexistente em Marcelo, que Oscar bateu bem e converteu.

Oito a zero.

Faltando apenas nove minutos, numa espécie de castigo, Mano Menezes, o vingativo, colocou Leandro Damião no lugar de Oscar.

Por incrivel que pareça, Zang quase marcou o gol de honra chinês, aos 44 minutos, aproveitando-se da sonolencia da zaga nacional.

No final, a goleada serviu para adoçar a boca da formiga, sem resultado prático algum, nem ao menos o de enganar o menos esperto dos torcedores.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.