Bons e maus momentos na grande festa do povo

Durante toda a madrugada este jornalista percorreu diversos bairros de uma cidade que parecia comemorar o maior réveillon de todos os tempos.

Apesar de alguns criminosos insistirem em estragar a festa em momentos pontuais da comemoração, ela ocorreu, na maior parte do tempo, de maneira alegre e pacífica.

As ruas do Belenzinho, por exemplo, deram exemplos claros de civilidade e respeito às diferenças.

Corinthianos comemoraram até o inicio da manhã, sem que um incidente sequer fosse digno de registro.

O motivo, evidentemente, era a ausência das organizadas, e a presença de famílias e jovens de boa fé.

Diferente do que ocorreu, por exemplo, no bairro do Tatuapé, em frente a tradicional praça Silvio Romero, em que a bateria dos Gaviões da Fiel marcava presença.

Um louco, segundo testemunhas, torcedor do Palmeiras, arrancou com um Astra, atropelou ao menos dez pessoas, duas delas em estado grave, e depois foi brutalmente agredido pelos corinthianos presentes ao local.

Versões dizem que o motorista agiu por conta própria, outros falam que fugiu, insanamente, com medo de ser abordado.

A Policia Militar teve que intervir de maneira enérgica, impedindo assim que os populares matassem o rapaz.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.