Contratação do Romarinho foi ação conjunta de desafetos

Num momento político complicado no Parque São Jorge, em que membros de um mesmo grupo estão rachados por divergências quase todas elas ligadas a dinheiro, a contratação do jogador Romarinho, oriundo do Bragantino, veio a calhar.

Todos saíram satisfeitos.

Os atuais gestores, ligados a Mario Gobbi, além de reforçarem a equipe, ajudaram, no negócio, um parceiro das antigas, o empresário Carlos Leite, que, detentor da maior parte dos direitos do atleta, terá no clube a vitrine necessária para a valorização desejada.

Politicamente, então, o sucesso foi ainda maior.

Com o claro intuito de agradar os descontentes, seguidores de Andres Sanches, Gobbi mandou para o Bragantino quatro jogadores intima e financeiramente ligados ao grupo.

Local em que disputarão a série B do Brasileirão, em vez de ficarem encostados sem atuar.

São eles, Matheuzinho e Anderson, jogadores de Andres Sanches, Moises, ligado ao conselheiro Mané da Carne, e André Vinicius, filho do ex-diretor administrativo André Negão.

Espera-se que com esse gesto “simpático” da atual diretoria, possa ocorrer uma aproximação, dificultada nos últimos meses pela troca de “cabeças” nos setores de maior arrecadação “paralela” do Parque São Jorge.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.