Advertisements

Orlando Lero

Da FOLHA DE SÃO PAULO

Por JUCA KFOURI

——————————————————————————–

O ministro do Esporte, Orlando Lero, isto é, Silva Júnior, parece que chegou agora ao Brasil e ao poder

——————————————————————————–

NO PRÓXIMO dia 1º de abril, Orlando Silva Jr. completará três anos de trabalho à frente do Ministério do Esporte.

O que, somado aos quatro anos anteriores como secretário-executivo, dá a medida do quanto deveria saber sobre, por exemplo, violência nos estádios brasileiros.

Mas suas entrevistas depois de mais um episódio deprimente no Pacaembu e seu artigo publicado nesta Folha no último domingo mais parecem coisas de quem está chegando agora, tão perplexo que ele demonstra estar com tudo o que acontece nos estádios.

O ministro, que faz Timemanias por medida provisória, só apresenta agora, sete anos depois e como projeto de lei, medidas contra a violência, o que revela claramente quais são suas prioridades.

Imagine que ele promete equipar nossos estádios com câmeras de TV, algo já exigido pelo Estatuto do Torcedor para estádios com mais de 20 mil torcedores.

E insiste no cadastramento do torcedor, sem burocracias, diz ele, por mais que já esteja demonstrado que isso só afastará ainda mais o torcedor comum e que, ao contrário do que se disse, é algo que não foi implantado na Inglaterra.

Claro que, num ministério que tem se caracterizado por licitações problemáticas, não são poucos os interessados em câmeras de TV, carteirinhas a granel etc, ainda mais em época pré-eleitoral.

O ministro só propõe o que já existe ou já existiu e não foi corretamente aplicado, exatamente pelo desinteresse das autoridades em fiscalizar e impor, como os juizados especiais criminais, os planos de jogo, os laudos técnicos para cada estádio etc.

Porque o ministro não vive de braços dados com a torcida, mas sim com os cartolas. E estes são fartamente responsáveis pelo clima de beligerância, quando não por fazerem o que fez o presidente do Santos no último domingo, ou o do Corinthians ao chamar o do São Paulo de inimigo, no mínimo, por alimentarem as torcidas uniformizadas e, também, o câmbio negro.

Orlando Lero, quer dizer, Silva Jr., fala em treinar a polícia, providência mais que necessária, mas que farda e talha, tarda e falha. Só resta pedir desculpas à memória do humorista Rogério Cardoso, que criou a impagável figura de Rolando Lero, aquele que falava, falava e não dizia nada, além de, ainda pior, também não fazer nada na Escolinha do Professor Raimundo.

O tema é cansativo, por já devidamente esgotado por quem quer mesmo resolvê-lo, como na Europa. Uma política inteligente, que passe pelas já exaustivamente demonstradas ações educativas de prevenção, acompanhadas pela repressão adequada e a devida punição aos violentos, consubstanciadas em legislação específica, tem sido sonho impossível no Brasil.

Enfim, nada indica que o blablablá interminável sobre a questão encontre solução ainda desta vez. E vamos continuar a ver o torcedor tratado feito gado.

Talvez sirva como discurso para o palanque eleitoral do ministro, e só. Mas, como ensinaram os ingleses, torcedor tratado como animal age como animal.

Só falta votar como tal.

Facebook Comments
Advertisements

2 comentários sobre “Orlando Lero

  1. Cris Gardner

    Realmente é uma palhaçada pior é os politicos de SP que estão dando tudo para as 3 letrinhas (que tem juizo não repete este nome mas que os caras tem plavra etica criminosa e fazem justiça fazem rsrrs)
    Inclusive hoje em dia eles ja planejam uma associação com os mesmo para evitar confrontos em tempos futuros ou até a eleição presidencial afim que não manche o Governo do Estado
    Se vc usa a cabeça reflita as ações promovidas a alguns anos pela facção não acontecem pq eles estão sendo atendidos em diversos parametros
    Treinar policia pra que?
    Não existe que julgar condenar

  2. euclydes zamperetti fiori

    Juca agora a coisa engrena, orlando silva, conta com a colaboração do aragalo, ex-árbitro e ex-administrador do Pacaembu, sua administração acareou lucro para os fabricantes de papel, sabe porque?
    Após demisão, a administração de josé assis aragão, gerou sindicancia que contém cinco mil paginas.
    em Tempo: em letras miniscula é o minimo para citar nomes indesejáveis
    Acorda, Brasil
    zamperetti fiori
    cidadão e,
    ex-árbitro de futebol

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: