Advertisements

Só amenidades no intervalo

Repórteres de rádio terão dificuldades para trabalhar no Campeonato Paulista.

A FPF determinou que apenas os profissionais de BAND e Rede Globo terão autorização de entrevistar atletas dentro do gramado.

O restante terá que se virar com o que sobrar, na porta dos vestiários.

Uma decisão que visa proteger as emissoras de TV.

Não vejo como algo justo.

Até porque as melhores perguntas costumam ser feitas pelos repórteres de rádios.

Os da TV, por medo ou imposição da chefia, ficam apenas nas amenidades.

Facebook Comments
Advertisements

18 comentários sobre “Só amenidades no intervalo

  1. EÐUARÐO 6-3-3

    Olá, tri-hexacampeões brasileiros.

    Em virtude da larga superioridade do São Paulo FC frente aos demais adversários e, principalmente, em relação aos seus dois co-irmãos invejosos, Palmeiras e Corinthians, gostaria de propor uma “fusão” entre estes dois times nos mesmos moldes daquilo que aconteceu entre o Colorado e o Pinheiros.

    Ali, nascia o atual Paraná Clube de Curitiba (PR).

    Sempre achei Palmeiras e Corinthians parecidíssimos.

    A única coisa que distinguia estes dois times era a cor da camisa, pois de resto sempre foram iguais. Uma espécie de alma gêmea…

    Seguem abaixo alguns exemplos desta cumplicidade, ou coincidência, se assim acharem melhor:

    – Dizem que o Palmeiras é dissidente do Corinthians.

    – Os dois “morrem” de inveja do sucesso do São Paulo.

    – Dizem que o clássico entre eles é o de maior rivalidade. O que concordo plenamente (afinal, a rivalidade do São Paulo é contra times como Boca, Milan, Real Madrid, Barcelona, Liverpool e etc).

    – Devido à falta de competência os dois times acima citados adoram uma parceria: Parmalat, Banco Excel, MSI, Traffic e etc.

    – Os dois clubes adoram “morrer abraçados”.

    – O Palmeiras frequentou a Segunda Divisão por duas vezes na década de 80 (Taça de Prata).

    – O Corinthians frequentou a Segunda Divisão uma vez na década de 80 (Taça de Prata).

    – O Palmeiras frequentou a Segunda Divisão uma vez na década de 2000 (Série B em 2004)

    – O Corinthians frequentou a Segunda Divisão uma vez na década de 2000 (Série B em 2008).

    – O Palmeiras conseguiu ficar “na fila” por 16 anos (de 1977 a 1992) e só saiu graças à ajuda de “terceiros”, como Parmalat.

    – O Corinthians conseguiu ficar “na fila” por 22 anos (de 1955 a 1976) e só saiu graças à ajuda de “terceiros”. Aqui, leia-se: Ruy Rey, em 1977, Márcio Rezende de Freitas, em 1999 e Márcio Rezende, de novo, em 2005 (naquele pênalti escandaloso não marcado no Tinga).

    – O Palmeiras só ganhou uma Libertadores graças a ajuda de “terceiros”, leia-se: Parmalat.

    – O Corinthians não ganhou nenhuma Libertadores. Nem com a ajuda de “terceiros”.

    – O Palmeiras não ganhou nenhum Mundial. Nem com a ajuda de “terceiros”, leia-se: Parmalat.

    – O Corinthians conseguiu ganhar um “1/2 Mundial” graças à ajuda de “terceiros”, leia-se: CBF, bastidores, falcatruas, parceiro, regulamento esdrúxulo, gol irregular, Vasco, Eurico Miranda e mais uns dez itens que me esqueci.

    – A maior goleada da história registrada no antes “clássico” entre São Paulo x Palmeiras foi 6×0 para o São Paulo.

    – A maior goleada da história registrada no antes “clássico” entre São Paulo x Corinthians foi 6×1 para o São Paulo.

    – O Palmeiras possui um pequeno estádio de nome Parque Antártica, que é menor do que o estádio Santa Cruz ,do Botafogo de Ribeirão Preto, só para citar um exemplo.

    – O Corinthians possuiu um pequeno estádio de nome Parque São Jorge, que é menor do que o estádio do Juventus, na Rua Javari.

    – Quando precisam contratar algum jogador, Palmeiras e Corinthians preferem aguardar o interesse do São Paulo, para depois tentar a contratação do atleta, economizando “olheiros” e gente capacitada para isso.

    – Os dois clubes já tentaram algumas vezes copiar o “modelo” São Paulo FC, sem sucesso algum.

    – Como os torcedores destes dois times não possuem qualquer argumento para discutir futebol com os são-paulinos, sempre saem pela tangente nos chamando de “bambis”, comportando-se como crianças na época do “Primário Escolar”.

    Pois é. Independentemente de ser coincidência ou não, a semelhança entre estes dois times chega a ser brutal! E por este motivo, gostaria de sugerir aos seus respectivos dirigentes e torcedores esta “fusão” para torná-los mais fortes e competitivos.

    Claro que mesmo assim a superioridade do São Paulo, principalmente em nível internacional, continuaria gigantesca, mas com certeza poderíamos ter um pouco mais de equilíbrio em nível estadual e nacional.

    Quanto ao nome deste novo clube, sem pretensão alguma, mas já aproveitando a “deixa”, acho que não seria difícil, pois bastaria juntar as três primeiras letras de um time com a do outro. “Palcor” ou “Corpal”, por exemplo.

    Talvez provocasse certa briga ou discussão por parte de seus dirigentes e torcedores, para escolherem de qual time viriam as três primeiras letras do novo nome. Mas, novamente sem pretensão alguma e aproveitando a “deixa”, acredito que este problema seria facilmente contornado através de um sorteio.

    O único problema é que este “sorteio” não poderia ser feito através de uma “moeda” no famoso “cara ou coroa”, pois, certamente, ela cairia em pé, como sempre tem caído ao longo dos anos (se alguém não souber o que significa o termo “a moeda caiu em pé”, perguntem aos são-paulinos, que eles responderão).

    Novamente sem pretensão alguma, gostaria de aproveitar mais esta “deixa”, para resolver mais esta questão. Bastaria um simples par ou ímpar, palitinhos, etc… Isso não seria um problema!

    Finalmente palmeirenses e corintianos poderiam vangloriar-se de também serem “tricolores”, pois com esta “junção”, a cor da camisa de seu novo clube, automaticamente seria: preta, verde e branca.

    Espero que tenha contribuído para a melhora de nossos co-irmãos e para que, finalmente, tenhamos um pouco mais de equilíbrio nos campeonatos estaduais e nacionais.

    Este é o desejo de nós, são-paulinos, para os nossos co-irmãos neste ano de 2009. Caso os outros clubes brasileiros queiram aderir a esta idéia, seguem abaixo, novas propostas de fusões:

    – Flamengo e Fluminense (Flaflu ou Flufla)
    – Vasco e Botafogo (Vasfogo ou Botasco)
    – Cruzeiro e Atlético (Crutlético ou Atlecru)
    – Grêmio e Internacional (Grenal ou Intermio)
    – Santos e Portuguesa Santista (Sampor ou Porsan)
    – Atlético PR e Coritiba (Atletiba ou Coxapatético)

    Saudações hexa-tricolores!!!

  2. Marcos R. Cabral

    E está muito simples de ser resolvido a questão:

    – Basta que TODAS AS RÁDIOS DE SP BOICOTEM O paulistão. Só isso.

  3. LUIZ/CTBA

    Marcos, que legal sua idéia, assim vc. pune todos os ouvintes das rádios que não estejam em frente da TV. Belíssima idéia. Parabéns!!!!!

  4. Flavio Clesio

    Então dentro do que o Guilherme disse, acho que ele tem razão; pois, o rádio ao contrtário da televisão NÃO PAGA direitos de transmissão de partidas, e além disso enche a malha publicitária no meio dos jogos de merchans que beiram o insuportável.

    No meio do ano passado, o Atletico-PR estava estudando a possibilidade de “tarifar” os veículos de rádio; e após isso houve uma discussão de que o rádio não teria que pagar, etc…

    Acho justo cobrar pelas as rádios, já que estas empurram merchans durante toda a transmissão.

    O torcedor paga o ingresso, os clubes pagam aos atletas, a televisão paga os clubes e porque só o rádio não pode pagar?

    O mais engraçado é que a rádio que mais tem merchans durante os jogos (a transamérica) defende o pagamento do rádio.

  5. Vinicius duarte

    As rádios não pagam e nunca pagaram para transmitir os jogos, mas costumam cobrar alto dos seus patrocinadores. Para transmitir F1, por exemplo, tem de pagar. Que tal elas começarem? Só aí podem exigir alguma coisa.

  6. Luís Carlos

    Eu acho que a questão não é pagar ou não pagar. A questão é o direito à informação que todo cidadão tem. A Globo pagou alguma coisa para mostrar os Nardoni sendo levados em cana? A Record pagou alguma coisa para mostrar as cenas do sequestro do corno de Santo André? A Bandeirantes paga alguma coisa para transmitir ao vivo as enchentes de São Paulo?

    A Globo e a Bandeirantes possuem seu direito de exigir qualquer coisa da FPF porque pagam pela retransmissão, mas esse direito vai até o ponto que passa a limitar o direito dos outros. E não é só das rádios não, é dos cidadãos.

  7. LUIZ/CTBA

    Luis Carlos, vc. está confundindo tudo, enchente, sequestro, enchente, com jogo de futebol, privado, com ingressos pago, tá maluco??????

  8. O SOBERANO

    JORGE, O EDUARDO DISSE TUDO.

    VALEW EDUARDO 6-3-3 !!!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  9. Vinicius duarte

    Luís Carlos: você está confundindo informação pública com direito de transmissão de evento privado. Se as rádios quiserem falar sobre o jogo, contar o resultado, entrevistar quem quer que seja fora de campo, isso faz parte do jornalismo. Agora, se quiser ter o DIREITO de entrar no campo para transmitir, tem de pagar.

    Antigamente era assim: quem quisesse transmitir um jogo (rádio ou TV), levava seu equipamento pro estádio e transmitia. Agora mudou: esporte é negócio, e se a Band ou a Globo pagam caro pra transmitir, têm de ter preferência.

    As rádios dão “migué” há anos no futebol, mas em eventos internacionais elas pagam direitinho, se quiserem transmitir e ter os mesmos direitos de quem paga. Veja o exemplo da F1: rádio que não paga pelos direitos, não transmite e acabou. Se quiser ficar lá na laje de uma casa contando a história da prova, problema dela. Mas entrar nos boxes, isso nunca.

  10. Luís Carlos

    Vejam bem, não discuto sobre a preferência de quem paga as transmissões sobre os que não pagam. A questão é que eu acho que o cidadão que escuta o jogo pelo rádio, muitos deles presentes dentro do estádio (e que pagaram ingresso), também gostaria de ouvir as entrevistas intra-campo e imagino que tem o mesmo direito dos que preferem a tv.

    Tanto o serviço de transmissão de imagens como o serviço de radiodifusão são serviços públicos. As emissoras de tv exploram esse serviço por concessão governamental.

    E quando comparo a transmissão ao vivo de uma enchente em São Paulo com a transmissão ao vivo de um jogo de futebol é no sentido de que quem assiste às duas coisas é bombardeado por propaganda do mesmo jeito. A transmissora ganha dinheiro transmitindo uma partida de futebole e ganha dinheiro transmitindo enchente. Só que os coitados que tiveram suas casas invadidas pela água não recebem pelo direito de imagem.

    Mas não é pra ninguém concordar comigo não. É apenas meu ponto de vista.

  11. Carlos Almeida

    Corintianos vocês e o Paulinho estão ferrados, pois vão ter que começar a ver a Globo. Viram quem era o comentarista da emissora hoje. Ele mesmo. E tem mais só dá entrevista para a Globo.

  12. Flavio Clesio

    Então Luis, mas só que a enchente não é um evento programado, organizado, e que tem malha publicitária; nem tampouco os que estão em uma enchente estão ganhando milhões de reais para jogar, e nem os clubes estão pagando os integrantes da enchente, e as enchentes não pagam as contas dos clubes de futebol.

    Abraço amigo!

  13. Victor Fialho

    Paulinho você viu a declaração do Ronaldinho na Globo hoje?
    Perguntado se fosse o Kaka, o que ele faria!
    Ele simplesmente disse, já briguei por muito menos, sou fã dele mas nunca esperei lealdade dele, amor e paixão com ele depende de $$$.
    Você acha que se o Palmeiras oferecer o dobro que ele ganha hoje, ele ficaria por amor no Corinthians?
    Um forte abraço.

  14. luiz

    Esta certo a federação, quer levar tem que pagar. E acho que as radios tinham que pagar tambem, pois elas só sugam do futebol e não dão nada em troca.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: