Advertisements

Crise e oportunidade

Da FOLHA DE SÃO PAULO

Por JUCA KFOURI

——————————————————————————–

Para os chineses, crise é oportunidade. Mas o que dirão os nossos cartolas sobre esta crise mundial?

——————————————————————————–

A CRISE está aí, e não adianta fingir que não está.

E temos, no mínimo, uma Copa do Mundo para fazer em 2014, além de jogar dinheiro fora com uma campanha para sediar os Jogos Olímpicos de 2016.

E os cartolas de nosso futebol, o que têm a dizer a respeito? Por enquanto, ao menos, não disseram nada, ou quase nada. E provavelmente, não têm mesmo o que dizer, porque continuarão a fazer o que sempre fizeram, nos momentos de bonança, inclusive: mendigar dinheiro público. Se a Timemania já é um retumbante fracasso e se tornará um problema gigantesco no ano que vem, como ficam alguns projetos, de novas arenas, por exemplo, com as construtoras em busca de socorro no BNDES?

E os bancos, que precisam deixar de emprestar, para não falar daqueles em vias de quebrar, alguns até associados justamente com construtoras com arenas a levantar?

Quem tem, afinal, patrocinadores não alcançados pela crise financeira mundial? Como falar em aumento de cotas?

No plano externo, estamos vendo que a AIG, do Manchester United, quebrou. Que o russo bilionário Roman Abramovic perdeu US$ 20 bilhões nos últimos dias, motivo de óbvia preocupação para o Chelsea.

Nem os mais otimistas observadores afastam a inevitabilidade de uma recessão, o que significa desemprego, que tem a ver diretamente com menos gente nos estádios. Ou não?

Há quem argumente que o mundo não irá acabar e que o contrato do futebol com a TV está assinado, e é verdade que está.

Verdade que, no entanto, de acordo com o andar da carruagem em direção ao brejo, pode mudar. Porque catástrofes mundiais levam às renegociações, como aliás, os clubes brasileiros já viram, sem até que a crise fosse mundial, mas apenas da TV.

Para quem, há anos, vive de exportar pé-de-obra, são sombrios os próximos tempos. Como fechar o balanço sem os dólares de fora?

Ora, estes já vinham rareando e a perspectiva é a de que rareiem ainda mais. O que fazer?

Fazer da crise, oportunidade, do limão, limonada.

Para tanto, no entanto, é preciso ser criativo e ter os pés no chão.

Quem for capaz de transformar uma provável estabilidade de jogadores no país, a ponto de permitir que as escalações dos times de grandes clubes sejam novamente conhecidas de cor e salteado, poderá se sair bem, se andar de acordo com o tamanho de suas pernas.

Porque a hora é a de distinguir as crianças dos homens. Pena que tenhamos tão poucos, se é que os temos, em nosso maltratado futebol. Quem sabe se a crise não os engole e vira parteira de uma nova classe dirigente para o nosso esporte?

Aí, ao menos, teria valido a pena.

Facebook Comments
Advertisements

3 comentários sobre “Crise e oportunidade

  1. Lestat

    Pensando assim, consigo ver claramente uma equalização geográfica no nível do futebol brasileiro, porque pé-de-obra aqui é o que não falta, mesmo nas regiões mais pobres.
    Vejo também que os clubes grandes e empresários oportunistas daqui, livres da grana estrangeira, não mais violentarão os clubes pequenos e passarão a investir apenas em realidades.
    Por isso, aquele menino bom de bola de apenas 16 anos só vai ser alvo de especulações e investimentos quando demonstrar um talento semelhante ao daquele menino que em 1994, também aos 16, foi campeão do mundo e encantou todos vestindo a camisa do Cruzeiro.
    Ou seja, com pouco dinheiro e altos riscos, os investimentos serão menores, mas sem dúvida serão melhores. E os Wagner´s Ribeiro que andam por aí que comecem a se “reciclar”.

  2. CONTRA A IMPUNIDADE

    Precisamos lembrar ao senhor Paulinho, dono do blog, que nós torcedores e trabalhadores que pagam impostos e suas contas em dia; nós que participamos de eleições e tentamos nos fazer representar da melhor maneira possivel, estamos INDIGNADOS com a demora referente ao processo de apuração e punição dos responsáveis pelo caso do gás na semi-final do campeonato paulista de 2008.
    Mesmo após o JORNAL LANCE ter divulgado que durante as escutas telefônicas no caso da máfia dos ingressos, foram encontradas/criadas provas ( gracações de conversas ) do envolvimento de torcedores e dirigentes da Sociedade Esportiva Palmeiras, estranhamente notamos “morosidade” no processo.
    Gentilmente solicitamos ao caro jornalista, que nos informe, cobre, investigue.
    Nós não queremos de forma alguma ter gente desta espécie vestidos de representantes mascarados de pessoas de bem em nosso meio.

    QUE SE INVESTIGUE, QUE JULGUEM E PRINCIPALMENTE QUE PUNAM OS RESPONSÁVEIS.

    NÃO A IMPUNIDADE !!!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: