Advertisements

Mentiras e corrupção marcam futuro(?) estádio do Corinthians

Heleno da Obras falta com a verdade.

Para não perder o costume, Heleno Maluf, vice-presidente do Corinthians, faltou com a verdade pela 986 ª vez.

Ontem venceu o prazo para que a EGESA/SEEBLA entregasse a minuta do contrato para construção do Estelionatu`s Stadium, apresentado pelo “171 do Vale do Paraíba”.

“Eles ainda estão fazendo ajustes finais na minuta do contrato, então ainda não recebemos para análise.

O consórcio prometeu me entregar na metade da próxima semana, mas eu terei de perder um certo tempo analisando-o”, disse Maluf.

Não é verdade.

Acusado de superfaturamento em diversas obras, a EGESA não comprou o terreno, como alardeia a turma do presidente que tem medo.

Existem alguns entraves jurídicos que estão dificultando a transação.

Mas o desespero, depois de tantas denúncias de irregularidades, faz com que a mentira seja a arma dessa gente.

Confira baixo mais uma denúncia de corrupção da EGESA

http://www.adpf.org.br/modules/news/article.php?storyid=7723

DENÚNCIA

 

As milionárias crateras de nossas estradas

 

Autor: Joceline Gomes e Hugo Marques – Revista Istoé em 15/08/2006 21:00:13

PF faz perícia nas rodovias e descobre que metade do dinheiro pago pelo governo é desviada

 

Há uma novidade relevante sob o asfalto das rodovias brasileiras. Neste momento, 40 peritos do Instituto Nacional de Criminalística (INC), da Polícia Federal, fazem prospecções em estradas de cinco Estados, colhendo amostras de piche e pedras, para descobrir qual a razão de tantos buracos. Já foram produzidos 20 laudos e, desses, quatro foram anexados a inquéritos policiais – aos quais ISTOÉ teve acesso com exclusividade. A constatação é que os buracos financeiros são maiores que as crateras encontradas no asfalto. Os peritos concluíram que, em média, 50% do dinheiro de cada uma das 20 obras, sem exceção, foi desviado para bolsos privados. As construtoras aplicam materiais de terceira qualidade, registram desmatamentos em local sem árvores e diminuem a espessura do asfalto. A espessura mínima de 2,5 centímetros chega a cair para um centímetro. Os quatro laudos anexados a inquéritos, todos relativos a trechos de asfalto no Tocantins, comprovam desvio total de R$ 230 milhões. “Estes laudos constituem um avanço importante na identificação da corrupção”, comemora Lucas da Rocha Furtado, procurador-chefe do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União. “É um marco no combate ao crime organizado.”

 

O INC já faz laudos de qualidade de asfalto no Tocantins, Acre, Piauí, Roraima e Rio Grande do Sul. Os laudos dos peritos começam a ser anexados a inquéritos que apuram superfaturamento, desvios, fraude e outros tipos de crimes. Há milhares de trechos para serem analisados em todo o País, em obras federais ou estaduais que levam dinheiro da União. O caso mais acintoso, até o momento, é o da construção de 89 quilômetros de rodovia entre os municípios de Wanderlândia e Xambioá, no Tocantins. São dois contratos firmados entre a Secretaria dos Transportes do Estado e as empreiteiras Egesa Empreendimentos, de Minas Gerais, e Via Engenharia, de Brasília. O laudo aponta irregularidades em obras de desmatamento e no movimento de terra. Segundo os peritos, teriam sido desviados R$ 85 milhões, em valores atualizados. Significa um desvio de R$ 1 milhão por quilômetro. “Não tem superfaturamento”, garante Eduardo Martins, diretor comercial da Egesa. “Hoje, fazer obra não está fácil.” Em sua defesa, Martins apresenta relatório da Secretaria de Controle Externo do TCU. No despacho, o auditor do Tribunal atesta que a obra foi realizada “a contento”. A direção da Via, por sua vez, informa que vai se inteirar do processo antes de se pronunciar.

 

Nessa primeira amostragem da PF, a Egesa também foi apanhada no contrato da construção de trecho de 68,5 quilômetros entre Aguiarnópolis e Luzinópolis, no Tocantins. O prejuízo corrigido seria de R$ 66,9 milhões. Também para esse caso, a Egesa utiliza relatórios do Tribunal de Contas em sua defesa. Mas é exatamente essa a novidade. Até agora, todas as obras públicas vinham passando por auditorias do TCU, por amostragem. Os auditores fazem uma análise dos documentos da licitação e visitam algumas obras para checar se elas realmente existem. Geralmente as estradas estão lá. O que a PF começou a fazer é analisar com profundidade a qualidade da obra – e seu custo real. Ou seja, saber se a camada de asfalto empregado, a quantidade de brita e compostos químicos confere com os valores contratados no papel. É uma mudança na realidade brasileira. “Hoje, estão só passando farofa por cima de um asfalto já desgastado e jogando o dinheiro público fora”, acusa o presidente da Associação Brasileira de Transporte de Cargas, Nilton Gibson. “Com a primeira chuva, tudo vira pó.”

 

No momento, o governo federal realiza obras de recapeamento no valor de R$ 440 milhões dentro da Operação Tapa-Buracos, anunciada pelo presidente Lula em janeiro último. O TCU checou as licitações e constatou irregularidades que justificam a paralisação de 47,5% dessas obras. Elas agora devem entrar na longa fila das perícias da PF. O problema é que perícia custa muito dinheiro. A PF gasta em média R$ 15 mil por cada laudo de análise de asfalto. Sem alguns equipamentos, os peritos recorrem aos laboratórios das universidades e institutos. O INC em Brasília tem excelentes equipamentos para análise de drogas e substâncias químicas, por exemplo, mas a área de análise de qualidade de asfalto é novidade técnica. Com menos de R$ 100 mil, dizem os peritos, será possível comprar as máquinas para montar um mini-laboratório de análise de asfalto. “O Congresso também pode ajudar criando leis mais rígidas para punir superfaturamento”, diz o analista político Márcio Coimbra. “A dificuldade é que muitos políticos tiram o dinheiro das campanhas justamente dessas obras.”

Facebook Comments
Advertisements

16 comentários sobre “Mentiras e corrupção marcam futuro(?) estádio do Corinthians

  1. José

    O anunciado plano do novo estádio apresenta, de fato, dois problemas:

    1 – O subdimensionamento, a ser real a especulada capacidade de 50 e poucas mil pessoas. Está-se “comprando” o conceito de arena de porte médio, consagrado na Europa. Mas essas arenas são construídas, em sua maioria, em cidades comparáveis às cidades médias do estado de São Paulo. Mesmo as grandes capitais européias têm uma dimensão muito inferior à megalopole que é São Paulo.
    Está-se perdendo de vista que o Fielzão será o estádio que sediará os jogos do clube que é dono da maior torcida da segunda cidade mais populosa do mundo.

    2 – As dificuldades burocráticas que já vem sendo colocadas pelo lobby sãopaulino, tendo em conta a realização da Copa de 2014 no Brasil. O São Paulo, tradicionalmente forte nos círculos dos poderes públicos, está jogando pesado para conseguir a escolha do Morumbi como sede paulista da Copa. O novo estádio corinthiano, além de diminuir drasticamente a utilidade e a importância do estádio sãopaulino (pois o Corinthians deixaria de mandar quaisquer jogos lá), representa uma séria ameaça à candidatura do Morumbi. Pode-se esperar, portanto, ações poderosas para inviabilizar a concretização do novo estádio do Corinthians.

  2. ricardo teixeira

    Serviços
    Atualize seus dados
    Benefícios
    Cespe/UnB
    Outros formulários e requerimentos

    Comunicação
    Artigos

    Revista Prisma 58

    Boletim Síntese

    Ajustar texto: T . T . T
    No tópico Notícias da ADPF

    Transparência na administração
    Enviado por ADPF em 07/08/2008 18:12:23

    O Conselho Fiscal da ADPF, após analisar os balancetes da associação, produziu documento com medidas que visam aperfeiçoar os atos administrativos, financeiros e patrimoniais da instituição.

    O documento é composto de orientações que têm o objetivo de favorecer a transparência e o uso responsável da verba da associação.

    Leia o documento no arquivo em PDF abaixo:
    Avaliação: 0.00 (0 votos) – Avalie este artigo –
    Arquivos em anexo: Deliberações.pdf

  3. fernando

    esse heleno começou a entrar em desespero, está perdendo uma oportunidade de ganhar uma grana, também estão comentando aqui no parque novo mundo que faltam poucos detalhes para a compra do terreno, que pode tambem virar o shopping vila maria, como plano B, o pinóquio deve lançar uma maket entre setembro / outubro, de qualquer forma ,mesmo sem ter a certeza se vai ser construida a arena, já tentou dar chapéu em edgar soares e tenta usar essa maket como campanha política, poís vem enfraquecendo a cada dia, no clube já se fala que o pinóquio não deve ganhar as eleições, pois vem caindo em decredito, para desespero da sua turma

  4. Marco Antonio

    “METADDE DO DINHEIRO EM OBRAS É DESVIADO”. Não acredito de jeito nenhum que isto esteja acontecendo no Brasil neste momento. Tenho certeza que os governantes não “SABEM DE NADA” e com “CERTEZA” vão apurar, e serão “PUNIDOS” todos os “RESPONSÀVEIS”.
    Eu acredito mesmo é no meu “PAPAI NOEL”, aquele que no fim do ano desce pela chaminé da minha “CHURRASQUEIRA” e deixa um monte de “IMPOSTO” a vencer logo no inicio do ano prá sustentar um bando de “HONESTOS” que com certeza aplicarão o meu suado dinheirinho em “OBRAS”, como “EDUCAÇÃO, SAÚDE, SEGURANÇA e nas estradas federais administradas ‘COMPETETEMENTE” no BRAZIL.

  5. Leopoldo Alves

    Reclamar do quê? Fomos todos enganados e não há RENOVAÇÃO. É tudo velho, tão velho quanto o Papai Noel do amigo Marco Antonio, que não falha nunca, e todo ano vem nos “presentear”.
    No País da Mentira Pronta, o esquema faz parte do pacote.

  6. Cássio

    Como te falei… sempre sonhei em ir no estádio do meu time, torcer como torço pelo Corinthians, agora, temos de analisar o seguinte:

    1. Toda empresa possui problemas judiciais, isso é fato, não tem como achar uma empresa 100% livre de cargas passadas.

    2. Analisando custo/benefício, será que vale ter um estádio ao ponto de fechar os olhos para tudo o que acontece em torno dele?

    3. O terreno foi ou não adquirido? Notícias da editora global garantem que sim, por que não confirmam isso?

    4. Se o Sanchez tem tanta vontade de ver um estádio em Itaquera, o que eu não acho viável, porque não lutou para tanto quando tinha de se escolher entre dois projetos cerca de 1 ano atrás?

    Perguntas sem resposta até quando?

  7. eliandro

    E dai? Qual construtora não possui problema? Se a direção assinar com o tal consórcio? O que vai acontecer? O projeto vai para o CD do clube? E os sócios estão lá para fazer o quê? Você viaja muito, pq não entrevistar o pessoal do consórcio?

  8. Marcos Rogério Cabral

    No quesito empreiteiras, realmente muitas delas (inclusive no governo FHC) ganharam muito dinheiro e prestaram péssimos serviços. Mas no caso específico da egesa, não me admiro pq foi o 171 do vale do paraíba quem os indicou…

  9. Anderson Viana

    As únicas “construtoras” que não tem problemas na justiça são aquelas que fazem mutirão, ou seja, é aquele pessoal que põe a mão na massa e constrói sua própria moradia. Todas as outras tem, mesmo empresas estabelecidas e com negócios no exterior, OAS, Oedebrecht, Camargo Correa e outras. Não sejamos inocentes…

  10. pedro geraldo

    Paulinho, acredito nas suas informações. Mas, até outro dia a W Torre era uma empresa nefasta. Só porque pensava em ter negócios com o Corinthians. Bastou se aliar ao projeto palmeirense, e virou empresa “séria”, que segundo seu presidente, só trata com gente “séria”. Ri. Dois pesos e duas medidas. A maioria das empreiteiras desse país, não são sérias. Estão aí para mexer nos nossos bolsos, só isso mesmo. Ninguém faz negócio nesse país por esporte, filantropia, dilentantismo. Não são, os diretores corinthianos, pessoas corretas, se fossem o clube não estaria na situação que se encontra. Mas, dizer, que só os que se aproximam do clube, tem caráter duvidoso, é mais que perseguição. É quase falta de informação. Estão aí, Andrade Guttieres, Camargo Correia e outras citadas, na CPI das empreiteiras, que não me deixam mentir.

  11. Andre-ZL

    Se não for um estadio como o Hans Aliança ou o ninho de passaro chines é besteira construir, principalmente que poderia ser utlizado na copa…

    será que nehuma empresa internacional gostaria de investir em um estadio no Brasil para copa..acho que esse estadio que o
    Andres quer é precipitado, poderiamos fazer coisa melhor

  12. 5-3-3.

    A PIADA DO DIA:

    [Andre-ZL Disse:

    Agosto 8, 2008 em 3:45 pm

    Se não for um estadio como o Hans Aliança ou o ninho de passaro chines é besteira construir, principalmente que poderia ser utlizado na copa…

    será que nehuma empresa internacional gostaria de investir em um estadio no Brasil para copa..acho que esse estadio que o
    Andres quer é precipitado, poderiamos fazer coisa melhor].

    Depois da piada, vamos aos fatos:

    – Desde quando um clube que deve até os cabelos da cabeça têm condições de construir um estádio??? – A única maneira é o estádio (incluindo terreno) ser bancado pelos cofres públicos e depois ser repassado (como querem citadini e outros) para o clube da marginal.

    – E como um clube falido iria manter um estádio desse porte? Ao que consta, mal conseguem manter a fazendinha!

  13. Thiago

    Andrés ameaça romper com consórcio responsável pelo novo estádio

    Presidente fica insatisfeito com atraso na entrega do contrato e diz que grupo está abrindo espaço para outros projetos

    Carlos Augusto Ferrari
    São Paulo
    GLOBOESPORTE.COM

    O que parecia certo pode ganhar tom de novela no Corinthians. Irritado com o atraso na entrega do contrato para a construção do tão sonhado estádio, o presidente Andrés Sanches não descarta cancelar o acordo com o grupo Egesa/Seebla caso a documentação não seja entregue na próxima quarta-feira.

    O consórcio já adquiriu o terreno na Marginal Tietê, a dois quilômetros do Parque São Jorge, por cerca de R$ 80 milhões, mas ainda não enviou ao Timão a minuta do contrato. O prazo vencia no dia 28 de julho, porém, foi adiado por duas vezes a pedido das empresas e deixou descontente o dirigente.

    Escalado depois de tantas maquetes feitas sobre seu estádio, o Corinthians quer garantias de que a obra não ficará apenas no papel ou terá outros problemas. O clube exige um seguro caso o grupo mineiro não tenha dinheiro para completar a construção.

    – O prazo venceu e eles podem abrir espaço para outro projeto. Não temos mais qualquer compromisso depois que passou do dia 28. Queremos que seja com eles, mas outras propostas podem aparecer – afirma o mandatário alvinegro.

    Apesar de não confirmar, Sanches cogitar dar continuidade ao sonho de levantar um estádio no terreno onde atualmente está localizado o Centro de Treinamentos de Itaquera. O projeto, que está pronto, foi elaborado pelo engenheiro Marcelo Tessler e prevê que o local tenha capacidade para 77 mil pessoas contra 52 da Egesa/Seebla.

    O que facilitaria a construção é o fato de o Corinthians ser o proprietário do terreno. Ele foi cedido em 1988 ao clube pelo período de 90 anos, desde que lá fosse levantado um estádio. Temendo perder o local, o Timão construiu um CT, atualmente utilizado pelas categorias de base.

  14. MARIO LEANDRO MACHADO FELIX

    SOU CORINTHIANO POIS É UMA POUCA SAFADEZA DO RESPOLSAVEIS DO CORINTHIAS POIS PROMETE E NÃO FAZ PORRA DE NADA

  15. Gustavo

    5-3-3,
    “A única maneira é o estádio (incluindo terreno) ser bancado pelos cofres públicos e depois ser repassado (como querem citadini e outros) para o clube da marginal. ”

    Assim como foi feito com o Morumbi, não é??!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: