Advertisements

Palmeiras altera seu estatuto.

“Constitui bem inalienável (…) o Estádio Palestra Itália, que não poderá ser por qualquer forma onerado, assim como quaisquer outros que se lhe acrescerem e a ele se incorporarem”

Em reunião realizada no Parque Antártica o Palmeiras alterou o seu estatuto e introduziu o texto descrito acima.

Mustafá Contoursi, de maneira inesperada, uniu sua proposta com a da situação que comanda o clube o que possibilitou uma única votação.

A alteração foi efetuada para que o projeto da nova Arena possa ser viabilizado.

Resta agora a votação por Assembléia Geral que deve ratificar a decisão do conselho.

Sem essa alteração ficaria difícil da WTorre iniciar as obras sem se sujeitar a ações judiciais.

Tomara que de tudo certo.

Mas confesso ter um pé atrás com a WTorre.

Estarei acompanhando e informando.

Facebook Comments
Advertisements

31 comentários sobre “Palmeiras altera seu estatuto.

  1. Lucas

    Esta faltando alguma coisa para a Arena pode ser construida, ou esse foi o ultimo passo?

    Valeu e parabens pelo blog

  2. alessandro

    O clube que vendeu a alma, a camisa em troca de sair da fila, agora entrega o estádio, não dá nem graça discutir…

  3. Denilson Martins

    O que houve na prática, foi a entrega do patrimônio do clube a uma empresa.

    Mas isso é normal no Palmeiras.

  4. geraldo lina

    o mais legal eh que eles pensam que vao sediar a copa 2014…
    venderam a alma, se vendem pra parceiros, trocam de camisa, entregam o estadio e depois um tal de ZECA vem aqui dizer que o SAO PAULO FC, eh um clube de dirigentes incompetentes…

    mas eu na verdade to adorando tudo isso, pq no fim das contas, eles vao quebrar com a saida do madureira e com arrecadacoes de jogos apenas, jah que o resto vai pra wtorre.

    pra vcs torcida musga, minha melhor gargalhada;
    huahauhauhauahuahauhauhauahauhauhauhauh

    EU QUERO EH MAIS

    8)

  5. Thiago

    Quando se vende a alma ao diabo, pode ter certeza que um hora ele cobra…

    O engraçado é que o Paulinho metia o pau na WTorre e no tal do Walter Torre. Foi o Juca dar o aval dele para ele apenas “ter um pé atrás”…

  6. Lucas

    É pelo menos não costruimos nosso estadio com o dinheiro publico o que é muito mais feio.

    E não ganhamos 2 campeonatos brasileiros na mão grande, prefiro ter vendido a alma pro “diabo”.

    Vai babar ovo pro Adriano e pro Anão de jardim.

  7. Ricardo Lopes

    Bens inalienáveis (que não pode ser vendido ou cedido) pela vontade humana:

    O resto é conversa fiada de invejosos.

    2014 – Arena Palestra, sede da copa do mundo em Sampa.

    E o panettone caindo aos pedaços

  8. geraldo lina

    RICARDINHO, o estadio da FIFA eh o MORUMBI… Nao entra nessa onda utopica…

    8)

  9. Álvaro

    Tem gente que precisa de um dicionário para saber o que é “bens inalienáveis”.
    E Paulinho, continue informando, vigiando… é muito engraçado ver gente que não entende do Palmeiras tentando saber de algo. É risível.
    Abraço.

  10. Denilson Martins

    Martins Disse:

    Julho 21, 2008 em 5:46 pm
    Muito ja se discutiu nessa comunidade, e em outras, a fantasia de que o São Paulo teria tentado “roubar” o Parque Antarctica…

    Já se falou muita coisa, mas não ninguem escrevia algo de concreto sobre o tema. A ferida foi aberta em outro tópico então achei por bem abrir este…

    Primeiro precisamos saber o contexto histórico da época, começando a demonstrar como o Palmeiras era dirigido naquela época:

    “Era, porém, bastante significativo que o Palestra Italia só tivesse botado um preto no time depois de Pearl Harbour.

    Nao podia haver duvida que o Brasil, mais dia menos dia, ia entrar na guerra contra as potências do Eixo, uma delas a Itália. E o que explica a pressa da contrataçãoo de Og Moreira, preto de cabelo esticado, ja careca.

    Antes ninguem reparara nos times sempre brancos do Palestra. Talvez porque nao eram tao brancos. Ou eram brancos à maneira brasileira. E um pouco, quem sabe, à italiana, com os descendentes dos seus ‘Otelos’ e suas ‘Desdêmonas’.

    Pearl Harbour, assim, apressava o abrasileiramento do Palestra, ainda muito italiano. Fazendo, inclusive, questão de ser italiano. Como se isto o enobrecesse.

    Era a vaidade de raça que tornara possível o fascismo, o retorno a Roma, dona do mundo. E que justificava a invasão da Abissinia pela superioridade da raça branca sobre a negra.

    Os italianos do Palestra, quase todos enobrecidos no Brasil peto trabalho, tinham a fraqueza, bem forte nos novos ricos, pelos títulos de nobreza. Aqui a fonte de tais títulos tinha secado com a proclamação da República. Restavam as comendas. Como italianos, ou filhos de italianos, os palestrinos preferiam as da Italia. Dadas pelo Papa ou pelo Duce. Podiam, inclusive, ser condes.

    Daí a subserviência que demonstravam muitos deles, avidos de servir a Itália, ou ao fascismo, que Ihes podia retribuir com honrarias. Mesmo quando o serviço que deles se esperava fosse um desserviço ao Palestra.
    Pretendesse um clube brasileiro um jogador do Parque Antartica: todos os italianos do Palestra se ofendiam. Todos, italianos e brasileiros. Mais, porém, os italianos e filhos de italianos que, pela dupla nacionalidade, italianos eram. Ou se sentiam. Por orgulho de raça e de dinheiro.

    Bastava, contudo, um cIube italiano namorar um jogador do Palestra, para que, pelo menos os mais importantes italianos do clube do Parque Antárctica, mesmo os ja de comenda ao peito, se considerassem honrados. Como se um conde legítimo lhes pedisse a filha em casamento.

    Tudo isto, depois de Pearl Harbour, colocava o Palestra Itália numa delicada.

    O que passara despercebido até então, o racismo emigrado do clube do Parque Antartica, se não corrigido a tempo, apareceria como uma mancha capaz de deixar uma pecha de quinta-colunismo, não ao clube, mas aos que o dirigiam.

    (Filho, Mario – O negro no futebol brasileiro – 4ª edição – Rio de Janeiro – Editora Mauad, 2003 – p.231 e 232)

    Primeiramente minha tese:

    Então…. o que deve ter acontecido…

    Na época da guerra, era normal os guetos de fascistas/nazistas serem confiscados pelo Estado, ja que o Brasil declarou guerra ao Eixo e Getulio Vargas baixou uma série de leis restringindo os direitos das agremiações estrangeiras, ameaçando de fechamento quem as descumprissem.

    Como demonstrado, o Palmeiras era um enclave de fascistas, rascistas e entreguistas seguidores de Mussolini…

    Então, como todas instituições germânicas/italianas/japonesas da época estavam sujeitas à expropriação…

    Logo, para se livrarem disso mudaram o nome para Palmeiras e contrataram jogadores negros…para abrasileirar o clube e escapar da ocupação estatal…

    Da mesma forma, aqui em SP o Germânia virou Pinheiros, em BH o Palestra virou Cruzeiro…

    Agora colocar a culpa disso no SPFC é um exercício de imaginação muito grande…

    Mas como minha tese não vale nada…vejamos o que diz este artigo acadêmico…tese de doutorado

    Pesquisa do historiador Alfredo Oscar Salun aponta que na época da entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, em agosto de 1942, Corinthians e Palmeiras foram forçados a expulsar cerca de 150 sócios de origem estrangeira, inclusive alguns de seus dirigentes. Os dois clubes estavam entre as entidades atingidas pela legislação repressora do Estado Novo, especialmente de 1941 até 1945, quando aumentou o rigor na vigilância da polícia política aos grupos estrangeiros e seus descendentes.

    Equipes mais populares da época, Palestra Itália (antigo nome do Palmeiras) e Corinthians atraíam grande número de torcedores de origem imigrante, muitos dos quais operários, caracterizando-os como times populares. “Quando o Brasil declarou guerra à Itália, Alemanha e Japão, a vigilância aos estrangeiros pela Delegacia de Ordem Política e Social (DEOPS) aumentou, devido a suspeitas de espionagem”, conta Salun.

    “No Palestra Itália, predominavam os italianos, e no Corinthians havia também italianos, além de espanhóis, alemães e até árabes”, explica o historiador, que pesquisou os efeitos das medidas de nacionalização para sua tese de doutorado no Núcleo de Estudos de História Oral (NEHO) na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

    Após a entrada do Brasil na guerra, o Conselho Nacional de Desportos (CND) baixou uma série de regulamentações para o esporte, em acordo com o projeto nacionalista do regime do Estado Novo (1937-1945). “Os clubes de futebol foram atingidos, tendo que expulsar dirigentes e associados estrangeiros, principalmente os ligados aos países do Eixo, rotulados como ‘Súditos do Eixo’.”

    Vigilância
    A desobediência às normas de nacionalização poderia levar ao fechamento dos clubes. “No caso do Palestra Itália, isso gerou RUMORES NÃO CONFIRMADOS de que dirigentes do São Paulo manobravam nos bastidores para tomar seu patrimônio”, relata Alfredo Salun. “Os boatos e a mudança de nome para Palmeiras, em 1942, tornaram o episódio marcante na história do clube e dos seus torcedores, ao contrário dos fatos ocorridos no Corinthians.”

    A aplicação das leis levou a destituição do presidente do Corinthians Manuel Correncher, espanhol de nascimento. “O clube conquistou vários títulos na gestão de Correncher, considerado uma figura folclórica, comparada a de Vicente Matheus”, conta Salun. “A presidência foi assumida por Mario de Almeida, interventor indicado pelo CND, que ocupou o cargo por alguns meses, até o clube escolher um novo presidente.”

    Em um clube é uma história conhecida e celebrada e no outro, silenciada e apagada”, destaca o historiador. Nesse aspecto, o pesquisador desenvolve um trabalho em História Oral, com torcedores, jogadores e dirigentes. “Esses clubes não foram os únicos na capital paulista que foram alvos da repressão, mas tinham maior torcida e prestígio.”

    Reuniões de diretoria dos dois clubes só eram feitas com autorização da DEOPS e a presença de um agente do órgão. “Os clubes também precisavam de permissão oficial para jogos fora de São Paulo, especialmente no litoral, devido a importância estratégica das regiões costeiras na Segunda Guerra Mundial.”

    Após as expulsões, Corinthians e Palmeiras realizaram uma “campanha de nacionalização” para atrair novos sócios, nascidos no Brasil. “A imprensa da época viu essa iniciativa como uma prova de patriotismo”, diz Salun. “Os estrangeiros expulsos começaram a retornar aos clubes após 1945, como reflexo do final da Guerra, de medidas liberalizantes adotadas pelo governo de Getúlio Vargas e o fim da perseguição à ‘quinta-coluna’, espiões e os ‘Súditos do Eixo’.”

    http://www.usp.br/agen/repgs/2007/pags/002.htm

    O PALMEIRAS É UM CLUBE SUJO DE ESQUEMAS MAFIOSOS, E QUE TEVE A MÁCULA DO FACISMO E DO RACISMO EM SUA HISTÓRIA.

    De corrupção e lavagem de dinheiro já existente no futebol Brasileiro…

    E ainda tem um monte de palestrinos aqui dando uma de “defensor da ética e dos bons costumes”…deviam ter minimo de discernimento em comentar sobre ‘SUJEIRA”

    pra vcs, o famoso esquema PALMEIRAS / PARMALAT…pela voz vinda de fonte file e digna…kkkkkkkkkk

    Esquema Palmeiras:

    http://www.terra.com.br/istoedinheiro/349/economia/pop_parma.htm

    O Gianni em questão era Gianni Grisendi, que presidiu a Parmalat nos anos 90 e deixou a empresa para se tornar acionista da Tecnosistemi e presidente da própria TIM, antes de se envolver em mais uma confusão com tempero italiano: a da Bombril. Hoje, com seus bens bloqueados, Grisendi está sendo investigado por fraude, lavagem de dinheiro e evasão de divisas num processo que corre na 42ª Vara Cível de São Paulo. Muitos outros personagens do diário, porém, conectavam-se à empresa indiretamente. Eram jogadores de futebol. Stefano, que presidiu a equipe do Parma, listou a venda de dois atletas de um time que foi patrocinado pela Parmalat: o Palmeiras. Eram o atacante colombiano Asprilla e o lateral-esquerdo Júnior. Mencionou também o contrato publicitário de Ronaldinho, que teria ganho R$ 5,5 milhões para atuar na campanha publicitária dos mamíferos, que vestia crianças como animais de pelúcia. E citou ainda a renovação de contrato do meia Alex, hoje no Cruzeiro, que ganhava R$ 390 mil por ano e pedia R$ 2,5 milhões. Tamanho interesse pelo futebol se explica. Os procuradores italianos estão convictos de que as transações com jogadores eram um meio de desviar dinheiro. Como o valor dos passes não correspondia à realidade, suspeita-se que parte retornava às contas dos Tanzi em paraísos fiscais.

    Mais em : http://www.terra.com.br/istoedinheiro/349/economia/349_diario_secreto_parmalat.htm#ancora

    é dando que se recebe:

    Um gavião travestido de periquito resolveu sobrevoar as alamedas do Parque Antártica para saborear com exclusividade alguns segredos do arqui-rival Palmeiras. Após bater asas ao longo de uma manhã festiva no terreno do inimigo, descobriu que o governador de São Paulo, José Serra, merece pelo menos uma placa ao lado do busto do divino Ademir da Guia.

    Coração verde apaixonado, Serra foi o grande responsável pelo acordo de patrocínio da Fiat, apesar do oba-oba da diretoria comandada com mão de gelatina por Afonso della Monica, sob as bênçãos da mídia caolha, que se contenta com a palavra oficial.

    O governador paulista aproveitou a viagem do presidente da Fiat ao país para persuadi-lo a aplicar uma pequena parte do rico dinheirinho da montadora na bola palmeirense. Em princípio, o poderoso chefão da Fiat queria apenas conversar com o presidente Lula sobre investimentos de R$ 5 bilhões no Brasil. Futebol, para ele, só o da Juventus, de Turim. E olhe lá!

    Entre os argumentos usados pelo mandachuva da Fiat para colocar o Palmeiras para escanteio, uma primária lição de marketing: o risco de perder uma bela fatia do mercado ao colocar o logotipo da empresa apenas no enxoval verde, o que poderia revoltar os torcedores dos outros grandes de São Paulo. Para evitar tal rejeição em Minas, por exemplo, a Fiat abriu o cofre para Cruzeiro e Atlético/MG; na Bahia, o mesmo já aconteceu com a dupla Ba-Vi.

    Serra não jogou a toalha. E propôs em troca do patrocínio um inesquecível presente de Papai Noel: impostos mais baixos e facilidades de pai para filho numa futura fábrica da montadora em São Paulo. Com tantas benesses, o presidente da Fiat não resistiu, sob pena de perder o emprego na volta à Velha Bota. Ganharia muito em troca de pouco. Topou investir R$ 9 milhões – e não R$ 12 milhões como foi cantado em prosa e verso pela diretoria do Palmeiras. O resto é conversa fiada para p**co dormir feliz.

    Coluna Completa
    http://espnbrasil.terra.com.br/colunistas/materia.aspx?Colunista=

    *Palmeiras 2 x 1 Inter – 2 jogadores do Inter expulsos. 1 com 20 minutos.
    *Palmeiras 1 x 0 Atletico – PR – Gol extremamente mal anulado do Atletico. Ah, jogador expulso.
    *Palmeiras 5 x 2 Cruzeiro – Jogador do Cruzeiro expulso no meio do primeiro tempo.
    *Palmeiras 2 x 0 Nautico – Penalti roubado qndo o jogo estava duro e jogador expulso por cotovelada no Kleber, q não era pra estar em campo por cotovelada no primeiro tempo.

    Mas não precisa ser no Palestra. Basta ser em sp:
    Palmeiras 1 x 1 Portuguesa – 2 penaltis nao marcados pra Portuguesa. Nao expulsao do Martinez.

    Logico q vai ter palmeirense falando q as expulsoes eram merecidas.

    Porem, além de nesse meio terem penaltis absurdos a favor e contra e gols anulados, temos q alertar para o seguinte:
    Há injustiça qndo o critério só é severo para um lado. Falta acontece todo jogo, mas rigor só no Palestra Italia.

    VOCÊ SABIA ?

    1. Que o Palestra Itália foi fundado por parte da colônia italiana que desprezava o Brasil e os brasileiros? (e vestiram camisa de nossa seleção?!)

    2. Que por separatismo tinha seus estatutos escritos em italiano e só aceitavam jogadores de origem italiana? (mas que cinismo, e entravam com a bandeira brasileira na mão!)

    3. Que foi o clube mais racista do Brasil e só aceitou o primeiro negro em suas fileiras em 1959, Djalma Santos, 45 anos depois da fundação?

    4. Que por suas inclinações fascistas espernearam o quanto puderam para trocar de nome, pois achavam humilhante se rebaixar a ter um nome abrasileirado?

    5. Que o Parque Antártica era um parque de lazer para a população paulistana, mas o Palestra \\\”convenceu\\\” a Cia. Antártica a \\\”vender-lhes\\\” o espaço?

    6. Que a partir da terceira prestação pararam de pagar, e foram salvos pelo conde Matarazzo?

    7. Que o referido conde lavava seu dinheiro na obra do estádio e deixava seus operários na penúria? (já naquele tempo, que salafra!)

    8. Que depois de injetar dinheiro sujo no Parque as indústrias Matarazzo faliram e deixaram os empregados na rua da amargura?

    9. Que grande parte dos títulos do Palestra foi conquistada subornando jogadores adversários, deixando sempre um dirigente de plantão no Ponto Chic para assediar os boleiros que o freqüentavam? (Algo a ver com a máfia italiana?)

    10. Que a tal final de 42 foi apitada por um juiz que atuava pela primeira vez em um clássico e depois desse jogo jamais apitaria outro? (Por que será? Coincidência, talvez?)

    11. Que o jogador sãopaulino Waldemar de Britto estava na gaveta do Palmeiras naquela final e o jogador Luizinho, que já tinha jogado no Palestra e conhecia as tramóias daquele clube, percebeu o esquema com juiz e seu companheiro e por isso recusou-se a seguir a partida?

    12. Que nas finais contra o São Paulo em 43 e 46, sabendo que estavam perdendo a hegemonia para o novo clube, contaram com a benevolência dos juizes para bater à vontade em Sastre e Renganeschi, mas mesmo assim esse último, com a costela quebrada, fez o gol do bicampeonato sãopaulino?

    13. Que em 1950, para barrar de qualquer maneira o tricampeonato do São Paulo, tramaram e foram descaradamente beneficiados na final por um juiz ingles que, horas depois, foi visto se esbaldando no baile de carnaval do Palmeiras? (quanta ética, quanta lisura, e têm a cara de pau de achar que são campeões do século!!)

    14. Que o Palmeiras, em 1968, ia cair para a segunda divisão não fosse um acerto com o Guarani que escalou Dante e Flamarion, dois jogadores sem condições legais e, com a perda dos pontos, salvou o atualmente neo-bugre? (Se ligaram tanto ao Guarani que resolveram se apequenar para se igualar ao verdinho campineiro)

    15. Que em 1978 o presidente Bruno Saccomani \\\”sacou money\\\” do Palmeiras, saqueou o quanto pôde, quebrando o clube que até hoje não se recuperou? (Caramba, se não fosse a Parmalat seriam 30 anos de fila? Per Bacco!!)

    16. Que a fila atual de 8 anos do Palmeiras, bem como a anterior de 17 anos, não foram as únicas, pois de 1951 a 1959 o Palmeiras não ganhou nada e esteve para cair em 57? (Então o gosto pela segunda divisão é namoro antigo?)

    17. Que a queda para segundona em 2002 não foi a única, e que em 1980 o Palmeiras tambem caiu, e em 1981 teve que disputar uma tal taça de Prata, eufemismo para segunda divisão?

    18. Que pela história de fracassos nos últimos 30 anos, que nem a Parmalat conseguiu aliviar, a torcida do Palmeiras encolheu e, há muito tempo, não consegue públicos maiores que 20.000 pessoas, isso no Parque, pois em outros estádios, em clássicos, é sempre minoria absoluta?

    19. Que a saída da Parmalat deixou o Palmeiras na mesma petição de miséria em que se econtrava no final dos anos 70? Que as perspectivas futuras são nulas e os esforços para arrecadar trocados, como essa cesta de atletas, são retumbantes fracassos? (Será que ninguem acredita mais n oclube, não tem mais nenhum conde para lavar dinheiro?)

    20. PALMEIRAS, CLUBE SUJO, QUE TEM COM MARCA NA SUA HISTÓRIA, A MÁCULA DO RACISMO E DO FACISMO.

  11. Salvador Nogueira

    Paulinho,

    dá uma investigada nas motivações de Mustafá e cia. para fazer esse acerto. Porque, pelo que eu me lembre, uma das críticas ao contrato com a WTorre é que o Palestra seria dado à empresa como garantia para a condução da obra sem custos para o Palmeiras. Minha dúvida: como o Palestra agora é inalienável, não seria preciso mudar o contrato com a WTorre?

    Abraços e parabéns pelo blog,

    Salvador Nogueira

  12. sergio

    Amigo Paulinho,
    é impressionante que num tópico que interessa apenas a torcida do palmeiras, são poucos os palmeirenses que comentam.vou republicar aqui o que escreveu ledio carmona em seu blog, jogo aberto do globoesporte.com no dia 08/07/08:

    O EXEMPLO NADAL

    Domingo passado, o JA cometeu erro imperdoável. Não fizemos um único post sobre o memorável jogo entre Rafael Nadal e Roger Federer na final de Wimbledon. O espanhol venceu, após quase cinco horas de duelo, e, na hora dos salamaleques, comentou, com a mais absoluta sinceridade. “Tão bom quanto vencer, é saber que ganhei do tenista número 1 do mundo. Ganhei de um campeão”.

    Jovem, rico, bem-sucedido, Rafael Nadal não perdeu a elegância. Soube comemorar e, ao mesmo tempo, reconhecer o poder e a história do derrotado. O tenista teria dificuldade de se adaptar ao futebol brasileiro. Aqui, a deselegância é a lei. A falta de respeito entre os adversários impera. O despreparo de boa parte da mídia reforça a falta de modos. Os torcedores se torturam com discussões tacanhas e obsoletas. Vivemos uma fase obscura de idéias e discussões. Não me lembro de uma fase tão pobre, rancorosa e medíocre dentro da sociedade da bola.

    Há um ódio incrustrado em algumas camadas. Ainda é possível ser removido. Hoje, comemora-se muito mais a derrota do rival do que a vitória do próprio time. Não me venham com o argumento de que sempre foi assim. Era muito diferente. Ainda há exceções, que lembram o bom humor dos áureos tempos. “ O Fluminense iria para Yokohama mas parou em Washington”. É uma frase tão boa e espirituosa que até alguns tricolores riram por aqui. Mas, infelizmente, foi exceção na semana passada, após a perda do título para a LDU. Como os rubro-negros tiveram que aturar absurdos depois de serem eliminados pelo América do México. O São Paulo, pelo Fluminense. O Corinthians, ao cair para a segundona. O Botafogo, ao perder para o Flamengo. E sucessivamente.

    O torcedor (salve as boas exceções) hoje não brinca. Ele pisa. Esfola. Tem o prazer de machucar. E a mídia, a minha mídia (salve as boas exceções) endossa. Dá espaço para piadas idiotas. Acoberta baixaria. Publica foto de bobalhões, todos pimpões com suas besteirinhas, crente que são inteligentes com suas infâmias infantis e vazias. Jogadores também são culpados. Extrapolam. Debocham dos rivais. Medíocres, jogam para a galera. São vazios. A maioria não tem a elegância de um autêntico vencedor.

    Nunca vivemos numa sociedade com tanto espaço para a troca de idéias. Mas parecemos convictos de que o ideal é jogar a chance pelo ralo. E dizer, como rematados débil-mentais, que o “meu é melhor do que o seu”, com duas ou três variações.

    Perdemos tempo. Porque não gastam essa ira com debates sobre os cambistas-canalhas? Sobre inovações táticas? Porque ninguém vê méritos na LDU? Porque ao invés de projetar o Vasco de Roberto Dinamite preferem bater no Vasco de Eurico Miranda? Ninguém mais vê mérito no vencedor. É absurda inversão dos fatos.

    Onde estamos? O que somos? O que pretendemos ser?

    O futebol brasileiro precisa de uma invasão de cabeças pensantes como a de Rafael Nadal.

    Nas arquibancadas, no campo, na mídia, na direção.

    Afinal de contas, tudo começa com respeito. Sem eles, só vai piorar.

    E aí, amigos, teremos que chorar ainda por muitos garotos de dois anos.

    Caminhamos para isso.

    Infelizmente.

  13. Lucas

    Caro Denilson,

    Antes de copiar e colar algo que você nem leu, procure apurar os fatos. OK. Nunca vi tanta baboseira junta.

    A e podem continuar morrendo de inveja, e antes de ficar procurando coisa do time dos outros, procure o saber o que o seu ja fez…

    Abraços

  14. Eduardo

    Tricolor com inveja do palmeiras?hahahahah.essa foi boa hein.já pensou em trabalhar no zorra total?

  15. Felipe Lima

    poderiam mudar o nome do estadio… MUSTAFA ARENA!

    trocasse as pessoas, mas a SUJEIRA continua a mesma!!!

  16. Daniel

    denilson, VC AINDA INSISTE NESSA LISTA DE MENTIRAS E NESSA CONVERSA FIADA DE FASCISMO E RACISMO – JÁ REFUTADAS POR MIM NO TÓPICO SOBRE PALMEIRAS X GOIÁS – QUE JÁ NÃO COLOU EM 1942, QUANDO O SÃO PAULINHO TENTOU ROUBAR O PALESTRA ITALIA? COMO VOCÊ É IGNORANTE OU TEM GRANDE DIFICULDADE DE COMPREENSÃO, REPITO OS MEUS COMENTÁRIOS QUE LIQUIDAM COM O QUE VOCÊ FALOU:

    Quanto ao que o denilson martins falou, tratam-se de mentiras – a história do ponto chic, do campeonato de 50 são risíveis -, inventadas pelos canalhas e asseclas dos que queriam ter tomado o Palestra Italia e não conseguiram… Resta falar de fascismo e racismo… Mas o Palmeiras não prejudicou ninguém… denilson, o Palmeiras não tem culpa de ter sido fundado por italianos, nem eu de ser itálico… Se essa é a sua mágoa, lamento… Das mentiras que vc falou, o único fato é sobre a segunda divisão, a Taça de Prata, que disputamos em 1981, assim como o corinthians em 82… E a segunda divisão do Paulista? Por manobra do regulamento vcs disputaram um grupo muito mais fraco em 91, e, nas semifinais, terminaram empatados em pontos com o Verdão e foram beneficiados! Quanto às filas, vcs estiveram de 57 a 70 e só saíram com roubo contra a Ponte… o Palmeiras atravessou períodos de estiagem, mas é o Campeão do Século…

    O são paulinho ganhou os títulos da forma como apontei, construiu estádio com dinheiro público etc… denilson, leia novamente o que falei ao geraldinho e serve pros lininhos que falam besteira aqui:

    O Verdão é o campeão do século, o clube com o maior número de craques no futebol brasileiro, o que mais teve glórias… Pare de falar besteiras… Vc não conhece nada de história de futebol… Quem é craque pra vc e outros lininhos? raí, rogério etc etc… E vc vem falar de que? O PALMEIRAS É O CAMPEÃO DO SÉCULO, TEVE ESQUADRÕES, OS ESPETÁCULOS DADOS NAS DÉCADAS DE 30, 40, PELAS ACADEMIAS, PELOS TIMAÇOS DE 93/94 E 96… VC PODE FALAR ISSO? NÃO, TEM DE FALAR DE TÍTULOS INTERNACIONAIS CONQUISTADOS DA MANEIRA QUE FALEI… Vc não tem argumento nenhum, lininho… Eu torço pra Eterna Academia, pro Campeão do Século, não pro seu time de canalhas, que ganhou seus principais títulos de forma medíocre…

    AVE, PALESTRA!
    AVANTE, ACADEMIA!
    CAMPEÃO DO SÉCULO, AQUI É PALMEIRAS!

  17. Daniel

    Quanto ao que vc citou sobre esquema “Palmeiras/Parmalat”, denilson, o que o Palmeiras tem a ver com isso? Não li nada sobre arbitragem no texto que vc inseriu… Mais um lininho querendo confundir os trouxas da sua laia… Engraçado, apontei vários roubos do seu time, roubos históricos e vc não comentou… Não há como refutar…

    E repito lembrar de fatos, já que vc insiste em histórias mentirosas:
    Você sabe o que é ganhar uma Taça Brasil nos anos 60? E um Roberto Gomes Pedrosa, o brasileiro da época? E Rio-São Paulo? E desbancar o Barcelona de Cruyff e Neeskens? E ter esquadrões, como já falei anteriormente, em várias décadas, que sempre jogaram pra frente, não se preocupando em ganhar títulos com futebol de resultados? E ser o ÚNICO a representar o Brasil (7/9/65)? Sabe, lininho? Isso é ter destaque, ter história, com grandes times e futebol de primeira…

    Lembro ainda que o Palmeiras é o clube com o maior número de craques ao longo da história do futebol brasileiro… Citarei apenas alguns: Oberdan Catani – o maior goleiro de um clube que já teve Valdir de Moraes, Leão, Velloso, Fernandez, Marcos – Djalma Santos, Djalma Dias, Waldemar Fiume, Romeu Pelicciari, Dudu, Zequinha, Julinho, o maior ponta-direita do mundo de todos os tempos, QUE CALOU UM MARACANÃ INTEIRO EM 50, EM UM BRASIL X INGLATERRA, TRANSFORMANDO AS VAIAS EM APLAUSOS, Vavá, Mazzola, Jair Rosa Pinto, Chinesinho, Servílio, Tupãzinho, César Maluco, Leivinha etc etc… Entre tantos, ainda um Divino… deixei de fora os grandes jogadores do bicampeonato paulista e brasileiro de 93/94, o supertime do paulista de 96 e outros… só mencionei alguns acima…

    Em nenhum momento vc refutou os fatos que apresentei; apenas falou mentiras, que contestei acima… Cale a boca, lininho…

    AVE, PALESTRA!
    AVANTE, ACADEMIA!
    CAMPEÃO DO SÉCULO, AQUI É PALMEIRAS!

    OBS: OS FATOS A QUE REFIRO NO ÚLTIMO PARÁGRAFO FORAM APRESENTADOS NAQUELE TÓPICO PALMEIRAS X GOIÁS.

  18. Daniel

    denilson, pra você deve ser duro que o clube fundados por italianos seja o CAMPEÃO DO SÉCULO, O ÚNICO A REPRESENTAR O BRASIL, A ACADEMIA DE FUTEBOL… LAMENTO, NÃO ADIANTA FALAR DE RACISMO, FASCISMO E INVENTAR HISTÓRIAS… EU APRESENTEI FATOS, VOCÊ SÓ FALOU PAPO FURADO DE ITALIANOS X BRASILEIROS…

    SALVE, PALESTRA!
    AVANTI, ACCADEMIA!
    CAMPIONE DEL SECOLO, PRIMO CAMPIONE MONDIALE, QUI È PALMEIRAS!

  19. Daniel

    Chega de mentiras para justificar a histórica pequenez e canalhice do seu time… Restrinja-se à sua mediocridade, “denilson”…

    SALVE, PALESTRA!
    AVANTI, ACCADEMIA!
    CAMPIONE DEL SECOLO, PRIMO CAMPIONE MONDIALE, QUI È PALMEIRAS!

  20. Daniel

    E pros outros lininhos lembro que o Palestra Italia e a nova Arena Palestra Italia não foram construídos com dinheiro público como o feio estádio do Jardim Leonor…

    SALVE, PALESTRA!
    AVANTI, ACCADEMIA!
    CAMPIONE DEL SECOLO, PRIMO CAMPIONE MONDIALE, QUI È PALMEIRAS!

  21. Hilton Biller

    Eduardo…vc realmente que 3 anos de titulos ganhos roubados supera uma historia inteira de tradicao ?!? Pra seu conhecimento, o maior classico do estado e um dos maiores do Brasil e PALMEIRAS X CORINTHIANS, e como pode ver, o seu time nao faz parte…entao queridinho, seu time pode ate ser um Chelsea, que tem $$ atual (q ninguem sabe de onde veio), mas como o Chelsea jamais tera a tradicao de um Liverpool ou Manchester, o seu time jamais tera a grandeza de Palmeiras ou Corinthians….por mais amigos de colarinho branco que possam ter, afinal o povao nao e bobo nao…apenas mal informado !! ha ha ha ha alias, pra ser tricolor vc nao deve ter mais de 25 anos e so conhecer futebol a partir de 92 e achar que isso foi tudo na historia e na atualidade ……

    Alias vc e todos os saopaulinos….

  22. Hilton Biller

    errata: vc realmente acredita que 3….

    Daniel, lascia il italiano, loro non capiscono il portuguese, magari il italiano !!

  23. Denilson Martins

    Muito ja se discutiu nessa comunidade, e em outras, a fantasia de que o São Paulo teria tentado “roubar” o Parque Antarctica…

    Já se falou muita coisa, mas não ninguem escrevia algo de concreto sobre o tema. A ferida foi aberta em outro tópico então achei por bem abrir este…

    Primeiro precisamos saber o contexto histórico da época, começando a demonstrar como o Palmeiras era dirigido naquela época:

    “Era, porém, bastante significativo que o Palestra Italia só tivesse botado um preto no time depois de Pearl Harbour.

    Nao podia haver duvida que o Brasil, mais dia menos dia, ia entrar na guerra contra as potências do Eixo, uma delas a Itália. E o que explica a pressa da contrataçãoo de Og Moreira, preto de cabelo esticado, ja careca.

    Antes ninguem reparara nos times sempre brancos do Palestra. Talvez porque nao eram tao brancos. Ou eram brancos à maneira brasileira. E um pouco, quem sabe, à italiana, com os descendentes dos seus ‘Otelos’ e suas ‘Desdêmonas’.

    Pearl Harbour, assim, apressava o abrasileiramento do Palestra, ainda muito italiano. Fazendo, inclusive, questão de ser italiano. Como se isto o enobrecesse.

    Era a vaidade de raça que tornara possível o fascismo, o retorno a Roma, dona do mundo. E que justificava a invasão da Abissinia pela superioridade da raça branca sobre a negra.

    Os italianos do Palestra, quase todos enobrecidos no Brasil peto trabalho, tinham a fraqueza, bem forte nos novos ricos, pelos títulos de nobreza. Aqui a fonte de tais títulos tinha secado com a proclamação da República. Restavam as comendas. Como italianos, ou filhos de italianos, os palestrinos preferiam as da Italia. Dadas pelo Papa ou pelo Duce. Podiam, inclusive, ser condes.

    Daí a subserviência que demonstravam muitos deles, avidos de servir a Itália, ou ao fascismo, que Ihes podia retribuir com honrarias. Mesmo quando o serviço que deles se esperava fosse um desserviço ao Palestra.
    Pretendesse um clube brasileiro um jogador do Parque Antartica: todos os italianos do Palestra se ofendiam. Todos, italianos e brasileiros. Mais, porém, os italianos e filhos de italianos que, pela dupla nacionalidade, italianos eram. Ou se sentiam. Por orgulho de raça e de dinheiro.

    Bastava, contudo, um cIube italiano namorar um jogador do Palestra, para que, pelo menos os mais importantes italianos do clube do Parque Antárctica, mesmo os ja de comenda ao peito, se considerassem honrados. Como se um conde legítimo lhes pedisse a filha em casamento.

    Tudo isto, depois de Pearl Harbour, colocava o Palestra Itália numa delicada.

    O que passara despercebido até então, o racismo emigrado do clube do Parque Antartica, se não corrigido a tempo, apareceria como uma mancha capaz de deixar uma pecha de quinta-colunismo, não ao clube, mas aos que o dirigiam.

    (Filho, Mario – O negro no futebol brasileiro – 4ª edição – Rio de Janeiro – Editora Mauad, 2003 – p.231 e 232)

    Primeiramente minha tese:

    Então…. o que deve ter acontecido…

    Na época da guerra, era normal os guetos de fascistas/nazistas serem confiscados pelo Estado, ja que o Brasil declarou guerra ao Eixo e Getulio Vargas baixou uma série de leis restringindo os direitos das agremiações estrangeiras, ameaçando de fechamento quem as descumprissem.

    Como demonstrado, o Palmeiras era um enclave de fascistas, rascistas e entreguistas seguidores de Mussolini…

    Então, como todas instituições germânicas/italianas/japonesas da época estavam sujeitas à expropriação…

    Logo, para se livrarem disso mudaram o nome para Palmeiras e contrataram jogadores negros…para abrasileirar o clube e escapar da ocupação estatal…

    Da mesma forma, aqui em SP o Germânia virou Pinheiros, em BH o Palestra virou Cruzeiro…

    Agora colocar a culpa disso no SPFC é um exercício de imaginação muito grande…

    Mas como minha tese não vale nada…vejamos o que diz este artigo acadêmico…tese de doutorado

    Pesquisa do historiador Alfredo Oscar Salun aponta que na época da entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, em agosto de 1942, Corinthians e Palmeiras foram forçados a expulsar cerca de 150 sócios de origem estrangeira, inclusive alguns de seus dirigentes. Os dois clubes estavam entre as entidades atingidas pela legislação repressora do Estado Novo, especialmente de 1941 até 1945, quando aumentou o rigor na vigilância da polícia política aos grupos estrangeiros e seus descendentes.

    Equipes mais populares da época, Palestra Itália (antigo nome do Palmeiras) e Corinthians atraíam grande número de torcedores de origem imigrante, muitos dos quais operários, caracterizando-os como times populares. “Quando o Brasil declarou guerra à Itália, Alemanha e Japão, a vigilância aos estrangeiros pela Delegacia de Ordem Política e Social (DEOPS) aumentou, devido a suspeitas de espionagem”, conta Salun.

    “No Palestra Itália, predominavam os italianos, e no Corinthians havia também italianos, além de espanhóis, alemães e até árabes”, explica o historiador, que pesquisou os efeitos das medidas de nacionalização para sua tese de doutorado no Núcleo de Estudos de História Oral (NEHO) na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

    Após a entrada do Brasil na guerra, o Conselho Nacional de Desportos (CND) baixou uma série de regulamentações para o esporte, em acordo com o projeto nacionalista do regime do Estado Novo (1937-1945). “Os clubes de futebol foram atingidos, tendo que expulsar dirigentes e associados estrangeiros, principalmente os ligados aos países do Eixo, rotulados como ‘Súditos do Eixo’.”

    Vigilância
    A desobediência às normas de nacionalização poderia levar ao fechamento dos clubes. “No caso do Palestra Itália, isso gerou RUMORES NÃO CONFIRMADOS de que dirigentes do São Paulo manobravam nos bastidores para tomar seu patrimônio”, relata Alfredo Salun. “Os boatos e a mudança de nome para Palmeiras, em 1942, tornaram o episódio marcante na história do clube e dos seus torcedores, ao contrário dos fatos ocorridos no Corinthians.”

    A aplicação das leis levou a destituição do presidente do Corinthians Manuel Correncher, espanhol de nascimento. “O clube conquistou vários títulos na gestão de Correncher, considerado uma figura folclórica, comparada a de Vicente Matheus”, conta Salun. “A presidência foi assumida por Mario de Almeida, interventor indicado pelo CND, que ocupou o cargo por alguns meses, até o clube escolher um novo presidente.”

    Em um clube é uma história conhecida e celebrada e no outro, silenciada e apagada”, destaca o historiador. Nesse aspecto, o pesquisador desenvolve um trabalho em História Oral, com torcedores, jogadores e dirigentes. “Esses clubes não foram os únicos na capital paulista que foram alvos da repressão, mas tinham maior torcida e prestígio.”

    Reuniões de diretoria dos dois clubes só eram feitas com autorização da DEOPS e a presença de um agente do órgão. “Os clubes também precisavam de permissão oficial para jogos fora de São Paulo, especialmente no litoral, devido a importância estratégica das regiões costeiras na Segunda Guerra Mundial.”

    Após as expulsões, Corinthians e Palmeiras realizaram uma “campanha de nacionalização” para atrair novos sócios, nascidos no Brasil. “A imprensa da época viu essa iniciativa como uma prova de patriotismo”, diz Salun. “Os estrangeiros expulsos começaram a retornar aos clubes após 1945, como reflexo do final da Guerra, de medidas liberalizantes adotadas pelo governo de Getúlio Vargas e o fim da perseguição à ‘quinta-coluna’, espiões e os ‘Súditos do Eixo’.”

    http://www.usp.br/agen/repgs/2007/pags/002.htm

    O PALMEIRAS É UM CLUBE SUJO DE ESQUEMAS MAFIOSOS, E QUE TEVE A MÁCULA DO FACISMO E DO RACISMO EM SUA HISTÓRIA.

    De corrupção e lavagem de dinheiro já existente no futebol Brasileiro…

    E ainda tem um monte de palestrinos aqui dando uma de “defensor da ética e dos bons costumes”…deviam ter minimo de discernimento em comentar sobre ‘SUJEIRA”

    pra vcs, o famoso esquema PALMEIRAS / PARMALAT…pela voz vinda de fonte file e digna…kkkkkkkkkk

    Esquema Palmeiras:

    http://www.terra.com.br/istoedinheiro/349/economia/pop_parma.htm

    O Gianni em questão era Gianni Grisendi, que presidiu a Parmalat nos anos 90 e deixou a empresa para se tornar acionista da Tecnosistemi e presidente da própria TIM, antes de se envolver em mais uma confusão com tempero italiano: a da Bombril. Hoje, com seus bens bloqueados, Grisendi está sendo investigado por fraude, lavagem de dinheiro e evasão de divisas num processo que corre na 42ª Vara Cível de São Paulo. Muitos outros personagens do diário, porém, conectavam-se à empresa indiretamente. Eram jogadores de futebol. Stefano, que presidiu a equipe do Parma, listou a venda de dois atletas de um time que foi patrocinado pela Parmalat: o Palmeiras. Eram o atacante colombiano Asprilla e o lateral-esquerdo Júnior. Mencionou também o contrato publicitário de Ronaldinho, que teria ganho R$ 5,5 milhões para atuar na campanha publicitária dos mamíferos, que vestia crianças como animais de pelúcia. E citou ainda a renovação de contrato do meia Alex, hoje no Cruzeiro, que ganhava R$ 390 mil por ano e pedia R$ 2,5 milhões. Tamanho interesse pelo futebol se explica. Os procuradores italianos estão convictos de que as transações com jogadores eram um meio de desviar dinheiro. Como o valor dos passes não correspondia à realidade, suspeita-se que parte retornava às contas dos Tanzi em paraísos fiscais.

    Mais em : http://www.terra.com.br/istoedinheiro/349/economia/349_diario_secreto_parmalat.htm#ancora

    é dando que se recebe:

    Um gavião travestido de periquito resolveu sobrevoar as alamedas do Parque Antártica para saborear com exclusividade alguns segredos do arqui-rival Palmeiras. Após bater asas ao longo de uma manhã festiva no terreno do inimigo, descobriu que o governador de São Paulo, José Serra, merece pelo menos uma placa ao lado do busto do divino Ademir da Guia.

    Coração verde apaixonado, Serra foi o grande responsável pelo acordo de patrocínio da Fiat, apesar do oba-oba da diretoria comandada com mão de gelatina por Afonso della Monica, sob as bênçãos da mídia caolha, que se contenta com a palavra oficial.

    O governador paulista aproveitou a viagem do presidente da Fiat ao país para persuadi-lo a aplicar uma pequena parte do rico dinheirinho da montadora na bola palmeirense. Em princípio, o poderoso chefão da Fiat queria apenas conversar com o presidente Lula sobre investimentos de R$ 5 bilhões no Brasil. Futebol, para ele, só o da Juventus, de Turim. E olhe lá!

    Entre os argumentos usados pelo mandachuva da Fiat para colocar o Palmeiras para escanteio, uma primária lição de marketing: o risco de perder uma bela fatia do mercado ao colocar o logotipo da empresa apenas no enxoval verde, o que poderia revoltar os torcedores dos outros grandes de São Paulo. Para evitar tal rejeição em Minas, por exemplo, a Fiat abriu o cofre para Cruzeiro e Atlético/MG; na Bahia, o mesmo já aconteceu com a dupla Ba-Vi.

    Serra não jogou a toalha. E propôs em troca do patrocínio um inesquecível presente de Papai Noel: impostos mais baixos e facilidades de pai para filho numa futura fábrica da montadora em São Paulo. Com tantas benesses, o presidente da Fiat não resistiu, sob pena de perder o emprego na volta à Velha Bota. Ganharia muito em troca de pouco. Topou investir R$ 9 milhões – e não R$ 12 milhões como foi cantado em prosa e verso pela diretoria do Palmeiras. O resto é conversa fiada para p**co dormir feliz.

    Coluna Completa
    http://espnbrasil.terra.com.br/colunistas/materia.aspx?Colunista=

    *Palmeiras 2 x 1 Inter – 2 jogadores do Inter expulsos. 1 com 20 minutos.
    *Palmeiras 1 x 0 Atletico – PR – Gol extremamente mal anulado do Atletico. Ah, jogador expulso.
    *Palmeiras 5 x 2 Cruzeiro – Jogador do Cruzeiro expulso no meio do primeiro tempo.
    *Palmeiras 2 x 0 Nautico – Penalti roubado qndo o jogo estava duro e jogador expulso por cotovelada no Kleber, q não era pra estar em campo por cotovelada no primeiro tempo.

    Mas não precisa ser no Palestra. Basta ser em sp:
    Palmeiras 1 x 1 Portuguesa – 2 penaltis nao marcados pra Portuguesa. Nao expulsao do Martinez.

    Logico q vai ter palmeirense falando q as expulsoes eram merecidas.

    Porem, além de nesse meio terem penaltis absurdos a favor e contra e gols anulados, temos q alertar para o seguinte:
    Há injustiça qndo o critério só é severo para um lado. Falta acontece todo jogo, mas rigor só no Palestra Italia.

    VOCÊ SABIA ?

    1. Que o Palestra Itália foi fundado por parte da colônia italiana que desprezava o Brasil e os brasileiros? (e vestiram camisa de nossa seleção?!)

    2. Que por separatismo tinha seus estatutos escritos em italiano e só aceitavam jogadores de origem italiana? (mas que cinismo, e entravam com a bandeira brasileira na mão!)

    3. Que foi o clube mais racista do Brasil e só aceitou o primeiro negro em suas fileiras em 1959, Djalma Santos, 45 anos depois da fundação?

    4. Que por suas inclinações fascistas espernearam o quanto puderam para trocar de nome, pois achavam humilhante se rebaixar a ter um nome abrasileirado?

    5. Que o Parque Antártica era um parque de lazer para a população paulistana, mas o Palestra \\\”convenceu\\\” a Cia. Antártica a \\\”vender-lhes\\\” o espaço?

    6. Que a partir da terceira prestação pararam de pagar, e foram salvos pelo conde Matarazzo?

    7. Que o referido conde lavava seu dinheiro na obra do estádio e deixava seus operários na penúria? (já naquele tempo, que salafra!)

    8. Que depois de injetar dinheiro sujo no Parque as indústrias Matarazzo faliram e deixaram os empregados na rua da amargura?

    9. Que grande parte dos títulos do Palestra foi conquistada subornando jogadores adversários, deixando sempre um dirigente de plantão no Ponto Chic para assediar os boleiros que o freqüentavam? (Algo a ver com a máfia italiana?)

    10. Que a tal final de 42 foi apitada por um juiz que atuava pela primeira vez em um clássico e depois desse jogo jamais apitaria outro? (Por que será? Coincidência, talvez?)

    11. Que o jogador sãopaulino Waldemar de Britto estava na gaveta do Palmeiras naquela final e o jogador Luizinho, que já tinha jogado no Palestra e conhecia as tramóias daquele clube, percebeu o esquema com juiz e seu companheiro e por isso recusou-se a seguir a partida?

    12. Que nas finais contra o São Paulo em 43 e 46, sabendo que estavam perdendo a hegemonia para o novo clube, contaram com a benevolência dos juizes para bater à vontade em Sastre e Renganeschi, mas mesmo assim esse último, com a costela quebrada, fez o gol do bicampeonato sãopaulino?

    13. Que em 1950, para barrar de qualquer maneira o tricampeonato do São Paulo, tramaram e foram descaradamente beneficiados na final por um juiz ingles que, horas depois, foi visto se esbaldando no baile de carnaval do Palmeiras? (quanta ética, quanta lisura, e têm a cara de pau de achar que são campeões do século!!)

    14. Que o Palmeiras, em 1968, ia cair para a segunda divisão não fosse um acerto com o Guarani que escalou Dante e Flamarion, dois jogadores sem condições legais e, com a perda dos pontos, salvou o atualmente neo-bugre? (Se ligaram tanto ao Guarani que resolveram se apequenar para se igualar ao verdinho campineiro)

    15. Que em 1978 o presidente Bruno Saccomani \\\”sacou money\\\” do Palmeiras, saqueou o quanto pôde, quebrando o clube que até hoje não se recuperou? (Caramba, se não fosse a Parmalat seriam 30 anos de fila? Per Bacco!!)

    16. Que a fila atual de 8 anos do Palmeiras, bem como a anterior de 17 anos, não foram as únicas, pois de 1951 a 1959 o Palmeiras não ganhou nada e esteve para cair em 57? (Então o gosto pela segunda divisão é namoro antigo?)

    17. Que a queda para segundona em 2002 não foi a única, e que em 1980 o Palmeiras tambem caiu, e em 1981 teve que disputar uma tal taça de Prata, eufemismo para segunda divisão?

    18. Que pela história de fracassos nos últimos 30 anos, que nem a Parmalat conseguiu aliviar, a torcida do Palmeiras encolheu e, há muito tempo, não consegue públicos maiores que 20.000 pessoas, isso no Parque, pois em outros estádios, em clássicos, é sempre minoria absoluta?

    19. Que a saída da Parmalat deixou o Palmeiras na mesma petição de miséria em que se econtrava no final dos anos 70? Que as perspectivas futuras são nulas e os esforços para arrecadar trocados, como essa cesta de atletas, são retumbantes fracassos? (Será que ninguem acredita mais n oclube, não tem mais nenhum conde para lavar dinheiro?)

    20. PALMEIRAS, CLUBE SUJO, QUE TEM COMO MARCA NA SUA HISTÓRIA, A MÁCULA DO RACISMO E DO FACISMO.

  24. DONIZETE

    Sr. Denilson (Rancoroso) Martins. Querer transportar coisas de 1900 para os dias de hoje, como se tivessem acontecido ontem, representa um grande erro histórico. Aquilo que aconteceu em 1900, deve ser discutido e analisado, tendo como base os valores e a cultura da época. Falar em roubo de árbitros, em penaltis que não existiram, representa uma grande perda de tempo, pois eles acontecem todas as rodadas e para todos os times. E quem contratou um arbitro para acompanhar o time na Libertadores foi o SPFC. Não consigo entender porque os adversários estão tão preocupados, que o Palmeiras está entregando seu patrimônio. Talvez seja pelo fato de que os adversários queiram o nosso bem e a nossa grandeza. Como diz o profeta Felipão : O vento que venta cá, venta lá.

  25. geraldo lina

    DONIZETE, eu acho otimo vcs fazerem estadio, pq atualmente o unico que tem estadio em SP eh o SAO PAULO FC. vai ser otimo poder ir ver jogo lah sem correr perigo de ser agredido pela torcidinha do palmeirinhas ( quarta do estado ). vai ser otimo saber que os jogadores estao em um vestiario amplo com seguranca e sem o perigo de lancarem gas de pimenta a mando do tecnico mal caracter e encoberto pelo prostituta futebol clube ( ateh pq esse eh o substantivo correto certo ? ).
    mas eu vou gostar mais ainda, quando tudo der errado e enfim esse cancer for extirpado da face da terra.

    pra finalizar, nao vejo nada demais se falar nos anos 90 quando tem gente que adora falar dos anos 50, copa fax, etc.

    o dia estah proximo.

    SAUDACOES TRICOLORES

  26. DONIZETE

    Sr. Geraldo Lina, acho que consegui descobrir a preocupação dos adversários. Com a construção da Arena Palestra, o Morumbi vai se transformar em um estádio velho, ultrapassado e muito mal localizado. Q

  27. DONIZETE

    Sr. Geraldo Lina, acho que consegui descobrir a preocupação dos adversários. Com a construção da Arena Palestra, o Morumbi vai se transformar em um estádio velho, ultrapassado e muito mal localizado. Quanto ao restante de seu comentário, só tenho uma resposta. Ninguem chuta cachorro morto. Saudações alviverdes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: