Advertisements

O torcedor não aguenta mais.

Por PEDRO LUCAS ROCHA CABRAL DE VASCONCELLOS

Caro Leitor,

Não sei a quem esse e-mail chegará, mas valerá como o desabafo de um torcedor fanático.

Sou novo, é verdade, mas nos meus 17 anos aprendi a amar o Fluminense, e sempre sonhei em, um dia chegar aos pedestais já alcançados por São Paulo, Internacional, Flamengo…

Esse dia sempre pareceu longe, tão longe quanto eu estava, morando em Roma, na Itália.

Mas no dia 6 de junho de 2007 tudo mudou.

Estava pendurando uma bandeira do Flu na janela de casa, para a final da Copa do Brasil quando vejo passar na minha rua um grupo de brasileiros, vestidos à caráter com a camisa do clube.

Só ali é que pecebi o que era estar na final de uma competição nacional.

Por causa do fuso de 5 horas a mais, tinha que acordar às 3 da manhã de quinta feira para poder ouvir as partidas pelo radio, algo que fazia com muito prazer, mesmo que contrariasse meu pai.

Agora voltei para a nossa “mui amada” pátria, só que infelizmente não pensei que os ingressos para a finalíssima da Libertadores fossem ser vendidos tão cedo, e marquei meu avião para chegar ao Rio sábado à tarde.

Quando soube, ingenuamente pedi para a minha tia que tentasse comprar os ingressos, já que provavelmente não estariam mais disponíveis no domingo.

Ela aceitou, e foi para a fila às 7h da manhã para tentar comprar, e ficou 4 horas na fila antes de desistir e voltar para casa.

Agradeço a Deus por isso, pois ela estava bem perto de onde ocorreu a confusão, e se algo acontecesse não me perdoaria jamais.

A situação de meu primo foi ainda pior, pois quase foi atingido por policias, se é que se pode chamar de protetor da ordem quem bate indiscriminadamente em mulheres idosos e crianças, e ele, que estava na fila desde às 5 da manhã, também saiu sem ingressos.

E é aqui que entra a minha indignação, porque até aceito ficar sem ir ao estádio, mas não aceito de jeito nenhum, que minha família arrisque a saúde, pela incompetência, para não dizer corrupção, de cartolas brasileiros.

Os ingressos acabaram em quatro horas, segundo informações oficiais, em todos os postos de venda, mas se considerarmos os cinco postos e os 60.000 ingressos, seriam 12.000 ingressos por posto, que divididos por 240 minutos (4 horas) seria como se os caixas dos 5 postos vendessem 50 ingressos por minuto, e como existe o limite de 2 ingressos por pessoa, seriam 25 pessoas por minuto, quase uma pessoa a cada 2 segundos….

Isso eu acho um absurdo, e ainda mais por querer ser jornalista esportivo em um futuro não tão distante (assim espero), me sinto obrigado a deixar por escrito essa palhaçada!

Desculpem-me se me alonguei demais, mas um desabafo não deve ter limite de linhas.

Facebook Comments
Advertisements

4 comentários sobre “O torcedor não aguenta mais.

  1. Cletus Vinícius

    E a história se repetiu em Ribeirão…
    Havia três tipos de ingressos.
    O mais barato era a meia entrada atrás do gol ( 15 reais ).
    Aconteceu que durante dois dias, pelo menos 6 vezes, meus amigos e eu tentamos em vão conseguir este ingresso. Sempre os vendedores do guichê alegavam que chegariam mais ingressos horas depois…
    Enfim, resolvemos comprar o ingresso um pouco mais caro, no setor central.
    Frio + Ingresso caro + Time em baixa + Jogo desinteressante = Poucos Torcedores!
    Pouco antes de começar a partida, a polícia militar abriu o portão que separava o setor atrás do gol do setor central, ou seja, quem pagou menos assistiu em um lugar melhor e mais caro.
    Pelo baixo número de pagantes tinha até muito espaço, mas me senti um otário³ por ter pagado mais caro.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: