Advertisements

Artur Eugênio Mathias passa vergonha na justiça

 

Caro senhor Arthur Eugênio Mathias, que saiu algemado da CPI do roubo de cargas.

Dono do “honesto” site Futebol Interior.

Processo extinto.

Tente novamente.

Facebook Comments
Advertisements

6 comentários sobre “Artur Eugênio Mathias passa vergonha na justiça

  1. Antonio

    Indeferido não, extinto por meio de acordo.

    Paulinho: Você viajou na maionese, só fiquei sabendo quando já estava publicado

  2. arIrving

    Paulinho,

    Como você ostenta que pratica jornalismo com credibilidade, deveria melhor se informar de peculiaridades jurídicas antes de escrever em seu blog.
    Cometestes um equívoco.
    O processo foi extinto, sem julgamento de mérito, em razão de pedido de desistência feito pelo autor, conforme preceitua o artigo 267, inciso VIII, do Código de Processo Civil.
    Logo, a causa não teve o seu mérito julgado, não podendo se falar em indeferimento do pedido.
    Simplesmente foi extinta (a causa) por desistência de seu proponente.

    Um abraço.

    Irving.

    Paulinho: Passou vergonha…tentou entrar com a ação e viu que não tinha chances…

  3. Fernando Dias

    Prezado Paulinho,

    Sou leitor assíduo de seu blog e grande admirador de seu trabalho. A sociedade (e não só a imprensa) precisa de pessoas como vc, o Juca e o Birner, ou seja, pessoas corretas, íntegras e transparentes.

    Entretanto, sou obrigado a discordar deste seu post (até pq sou advogado e me sinto confortável para opinar), apesar de estar estarrecido com as denúncias (e provas) formuladas contra o site “Futebol Interior” e ter verdadeiro asco pelo “171 do Vale do Paraíba” e sua turma.

    Isto pq, se faz necessário deixar bem claro que o processo NÃO foi indeferido, mas sim extinto de acordo com o inciso VIII, do artigo 267 do Código de Processo Civil, ou seja, extinto, SEM JULGAMENTO DO MÉRITO, pelo fato do Autor (no caso, o Sr. Arthur Eugênio) ter desistido do processo.

    Não sei os motivos que levaram a citada pessoa a desistir do processo e sequer tenho ciência do que o mesmo se trata (apesar de que, pelas partes envolvidas no processo – inclusive a uol, deve ser algo relacionado à retirada das denúncias postadas em seu antigo blog), mas não se pode afirmar que o Autor da ação “passou vergonha na justiça”, como quer fazer crer o título de seu post.

    Desta forma, acredito que vc, como pessoa íntegra e grande defensor da ética que é, deve deixar bem claro o que ocorreu, sob pena de manipular/deturpar fatos e, por consequência, decepcionar fãs como este que vos escreve.

    Abraços,

    Fernando

    Paulinho: Passou vergonha…tentou entrar com a ação e viu que não tinha chances…

  4. fernando

    Caso o réu já tivesse sido citado (no caso, o réu era você), o pedido de desistência da ação feito pelo autor só seria homologado se houvesse a concordância expressa do réu.

    Logo, faltou você informar se já havia sido citado antes do pedido do autor ou se a desistência ocorreu antes da sua citação.

    No caso de ter sido citado, deveria explicar os motivos que lhe levaram a aceitar o pedido de desistência de um bandido.

    Não tendo sido citado, não poderia se opor ao pedido.

    Lamento, mas faltou uma informação vital na sua notícia.

    Paulinho: Não fui citado, tomei conhecimento em uma busca pela internet

  5. marta

    Pode me informar qulo desfecho com relação a ex mulher de Arthur Eugenio Mathias, Naara Cristina Villares, PolicialcIVIL.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: