Advertisements

Apoio a Carlos Cereto

 Conheci o jornalista Carlos Cereto durante a cobertura que realizei nas eleições corinthianas.

Profissional digno, correto, me causou ótima impressão.

Eu ainda estava me ambientando ao trabalho, e para isso observava como os mais experientes se portavam.

Confesso ter me decepcionado com muitos que lá estavam.

Enquanto os mais sérios trabalhavam muito outros apenas ficavam de bate papo e “chupinhando” noticias dos colegas que batalhavam.

Cereto me chamou a atenção pela seriedade com que exercia seu oficio.

E principalmente pela humildade de me abordar.

Ele perguntou se eu era o Paulinho.

Apresentou-se e veio confirmar uma informação, que havia obtido há instantes, comigo.

Demonstrou ser um jornalista serio, e desprovido de vaidades.

Em outra ocasião, juntos, tentávamos descobrir quem seria o treinador do Corinthians.

Fiquei agradecido por ele ter colocado a informação em seu blog e ter citado a minha participação.

Demonstrou novamente humildade e honestidade.

Hoje li o desabafo que fez em seu blog.

E sou solidário ao amigo.

Todos têm o direito de discordar das opiniões que ele posta.

Mas não de ofendê-lo de maneira covarde, como vem acontecendo.

Cereto se encheu disso.

Espero que reconsidere.

Para o bem do jornalismo decente.

Que é o que ele pratica.

Advertisements

Facebook Comments

10 comentários em “Apoio a Carlos Cereto”

  1. Uma pena que bons jornalistas sejam obrigados a ouvir certas ofensas Paulinho.
    Mas infelizmente esse é o preço de falar a verdade.
    A maioria dos brasileiros prefere ser enganado com doces mentiras.
    Não conheço o trabalho do Carlos Cereto mas se você diz que o cara é do bem deve ser porque ele realmente é.
    E porque o jornalista está sendo tão ofendido??
    Fiquei curioso para saber os motivos de tanta raiva contra esse rapaz.

    Paulinho: Sempre existem aqueles torcedores que preferem ler doces meniras e quando a verdade é publicada se acham no direito de ofender o jornalista

  2. Bom dia Paulinho, como pode ver, agora também tenho um blog, bom por enquanto é somente sobre coisas da cidade que vivo hoje e um pouco de música. Sobre o jogo de domingo, o Corinthians jogou bem, só que do outro lado, eles jogaram muito mais, pra mim o único erro foi o Mano ter colocado o Heverton que veio da ponte, mas acho que fico a lição. E, se o Time conseguisse um empate, ou uma vitória, muita coisa errada continuaria, foi uma derrota que veio no momento certo, o Time tem defeitos, que uma vitória nesse fim de semana deixaria desapercebido. O que incomoda mesmo são jornalistas como chico lang querendo já colocar uma crise no time, com cabeças rolando, alguém leva a sério esse profissional?

    Paulinho: Que legal. Espero que se divirta

  3. Não quero que me entenda mal. Acompanho há algum tempo o trabalho do Cereto na TV e também sempre leio o blog. Concordo com com as considerações que você fez, Paulinho, acerca da retidão profissional do Cereto, mas essa história de desabafo, choradeira…tá parecendo o Botafogo na decisão da tacinha sem valor. Se ele tá chateado e se ofende tanto com os comentários postados no blog dele, é porque não consegue enxergar quem merece e quem não merece atenção. Têm opiniões que são tão irrelevantes e grosseiras que merecem simplesmente um del e um certo sentimento de pena. Se o cara não consegue controlar seus impulsos e escreve um desabafo daquele, é porque não tem a frieza de enfrentar e enxergar que existem pessoas que não postam comentários para participar de uma discussão, mas simplesmente pelo “prazer” de ofender. Vc sabe melhor do que ninguém como isso funciona. Sinceramente, acho que o Cereto deveria rever seus conceitos, e, se tá tão ruim assim manter o blog, pede pra sair sem alardear.

    Paulinho: Ele deve ter chegado no limite dele, mas espero que reconsidere

  4. o que houve com o cereto paulinho?

    Paulinho: Chegou no limite de sua tolerancia no blog que escreve

  5. Pelo pouco que acompanho o Cereto me parece ser bom jornalista, sem rabo preso.

    Paulinho: Tenho otima impressão dele

  6. Fala, Paulinho!
    Eu sou um dos assíduos leitores e, mais ainda, assíduos MALAS que fazem posts com opiniões no blog do Cereto. Mas sempre de forma cordial, sempre com bom humor e, se discordo em algum ponto, o faço educadamente.
    O Cereto, sem dúvida, é um dos melhores. É uma pena que se deixe abater por comentários sem argumento, sem a menor lógica ou profundidade, de uns poucos cabeçudos que resolvem passar por lá de vez em quando. Até para os leitores a sensação de ler um comentário grosseiro é ruim… imagina para o blogueiro.
    Como vcs fizeram no Blog do Birner, a moderação é um mal necessário. Não tem capacidade para argumentar e colocar seu raciocínio num espaço democrático? Então nao será aprovado. Ponto!
    Ninguém terá aprovação por unanimidade. Todos sofreremos com críticas, muitas vezes injustas, mas faz parte da vida em sociedade. Essas críticas, ao contrário, devem servir de escada para nos fazer crescer.
    Espero (e escrevi isso para ele) que reconsidere e volte a escrever no Blog.
    Grande abraço,
    Joao Luis Amaral

    Paulinho: Acredito que ele vai reconsiderar

  7. Caro Paulinho,

    Não sei porque você não responde mais minhas mensagens. Gosto do seu blog e admiro sua coragem em mexer em vespeiros perigosos como no caso da máfia do futebol do interior pauliste, mas o desabafo do Cereto não tem nada a ver. Futebol é assim mesmo, é paixão por vêzes até irracional.
    O cara dar um chilique porque foi chamado de bairrista é demais. Quantos jornalistas brasileiros são achacados e ficam quietos ou respondem a altura!
    É importante ressaltar que as razões que estão levando torcedores de outros estados reclamarem das atitudes pedantes da imprensa esportiva de São Paulo não são gratuitas. Com raras exceções (você, o Juca, o Birner, o Benja, o PVC, e o próprio Cereto) o que se vê é um complexo de superioridade digno de um Argentino ( ou sãopaulino). Ademais, é necessário analisarmos a questão pelo lado político. Estamos literalmente de saco cheio de sermos governados por políticos paulistas de narizes empinados,NÃO AGUENTAMOS MAIS! Isso reflete no humor das pessoas.
    No blog do Birner tive que debater com dois articulistas que esculacharam o Zico e a torcida do Flamengo. Chega!!!, proponho a independência do Brasil do domínio paulista!!!

    Um abraço,

    Frederico.

    Paulinho: Caro Frederico, respondo sim. É que estou com o tempo corrido e tenho demorado um pouco para faze-lo

  8. Leio seu blog e vejo como tem pessoas inteligentes nesse mundo, achei q a espécime estava acabando. Se todos os leitores fizessem movimento parecidos com o seu, enfim algo poderia mudar. Porque varios dos seus críticos acham q vc faz isso sozinho, e de certo modo consideram ser mais fácil ataca-lo por efetivamente estar sozinho nessa empreitada apenas com Larissa e outros poucos ao seu lado. O pessoal devia se envolver mais com as vergonhas q embarassam nosso clube, e fazer algo para tentar mudar isso. Vc devia tentar fazer com q mais pessoas participem d seu “projeto”. Caso lhe matem, o q c Deus quiser ñ ira acontecer, vc ñ quer deixar sucessores?
    Então seja inteligente, aproveite seus varios inteligentes leitores, falou?
    Abraço.

  9. Milton Leite, ótimo locutor da SportTV, também parou com seu blog, que fica, ou ficava, no site da globo.com. Uma pena !

  10. Um PROFISSIONAL PRECONCEITUOSO, SEM ÉTICA, SEM NOCAO DO QUE UM JORNALISMO SERIO, O QUE ELE FALOU E ESCREVEU NO CASO DO MARGINAL ANDRÉ LUIZ NO JOGO DO NÁUTICO MOSTRA O DESPREPARO E A FALTA DE CARACTER DESTE PROFISSIONAL.

    VEJA O QUE OCORREU DE VERDADE:

    Os aflitos no estádio Eládio de Barros Carvalho

    Por Milton Flávio
    Especial para o Blog do Torcedor

    “Primeiramente, o estádio dos Aflitos faz jus ao nome”, disse Paulo Schmitt ao programa Troca de Passes da Sportv. Não sabe ele que o estádio do Clube Náutico Capibaribe se chama Eládio de Barros Carvalho,
    popularmente conhecido como “Estádio dos Aflitos”, pois se localiza no bairro de mesmo nome, um dos mais nobres do Recife. O senhor Eládio de Barros Carvalho foi presidente do clube em 14 mandatos.

    Contudo, neste domingo, o Eládio de Barros Carvalho fez jus ao apelido não por sua localização, mas por receber os “aflitos” jogadores do alvinegro carioca, com destaque neste aspecto para o zagueiro André Luís. Este insultou os jogadores do Náutico, o juiz, um dos assistentes, a torcida e, por último, a polícia. Escrevo isto como testemunha ocular dos fatos, afinal, não precisava ser expert em leitura labial para entender o que o André Luiz dizia nas fervorosas discussões com os citados, já que em algumas houve até gestos.

    O estádio comportava naquele momento mais de 17 mil torcedores, quase que em sua totalidade torcendo pelo alvirrubro do bairro dos Aflitos. Entretanto, apesar do jogador chutar uma garrafa de água em direção à torcida (provocando não só os atingidos, mas todos que estavam no estádio, pois pertenciam a uma mesma legião), nada foi arremessado no campo, nenhum torcedor invadiu o gramado e nem agrediu ao jogador em sua passagem pelo setor de arquibancadas em direção à delegacia do próprio estádio.

    Portanto, me surpreende uma parte da imprensa de fora do estado de Pernambuco e até o procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, o senhor Paulo Schmitt, falarem em punição para o
    Clube com interdição do estádio, ou seja, pena para sua apaixonada torcida que, assim, não poderia ver os jogos do seu time. Surpresa sim, porque as imagens provam o desequilíbrio do jogador e mostram suas atitudes desrespeitosas quanto à lei e à autoridade policial. E o policiamento não pode mitigar a sua atuação com o André Luís apenas por ele ser um dos protagonistas do espetáculo, ele é um cidadão como qualquer outro e, por isso, deve respeitar a legislação e a quem compete fazer cumpri-la.

    Bem, é senso comum na região a cordialidade da torcida do Náutico com os visitantes de fora do município do Recife. Qualquer sulista morador da cidade e que conhece os recifenses e os torcedores alvirrubros, não tem medo ou vergonha de ir ao estádio Eládio de Barros Carvalho com a camisa do seu time. E esta torcida, se comportando de sua forma habitual, fez jus à sua fama, permitindo que os policiais fizessem seu trabalho e aguardando o reinício do espetáculo para continuar fazendo os jogadores do time adversário se assustarem, não com desordem e agressões, mas com gritos de guerra e vaias, fazendo valer a fama do “Estádio dos Aflitos” de ser um caldeirão!!

    Milton Flávio Figueiroa, 26 anos, Técnico Administrativo e estudante de Administração de Empresas, torcedor do Clube Náutico Capibaribe.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: