Advertisements
Blog do Paulinho

Combater fake news é missão complexa

De O GLOBO

Por FERNANDO GABEIRA

Tarefa Obrigatória

Fake news é uma expressão nova, tida como o maior perigo para as eleições e a democracia em geral. A tradução é “notícia falsa”. Não pode ser qualificada como uma simples mentira. A palavra mentira é mais genérica, envolve todas as relações humanas, inclusive as amorosas. Mentiras que calam na alma, fazendo sofrer (…)/Mentira, cansei de ilusões.

Será uma tarefa complexa combater as fake news. Uma de suas características é a velocidade. Mark Twain dizia que, enquanto a mentira corre o mundo, a verdade está apenas amarrando o cordão do sapato.

Grandes fake news entraram para a História. Uma delas são os célebres Protocolos dos Sábios de Sião, um plano atribuído aos judeus para dominar o mundo. Outra, aqui no Brasil, na década dos 1950, foi a Carta Brandi, que estaria preparando uma rebelião armada das esquerdas brasileiras e argentinas.

As fake news de hoje talvez não tenham o mesmo impacto, mas se impõem pela quantidade. A maneira de tratar o tema sem resvalar para o autoritarismo seria dividi-las entre inofensivas e potencialmente criminosas.

Não importa que alguém escreva que a Terra é plana, que a fórmula da água é H3O, ou a Lei da Gravidade uma farsa. O aparato legal não pode perder tempo corrigindo textos de geografia, química ou física. O problema são as fake news que atingem a honra ou questionam, sem provas, a democracia, como dizer que houve fraude nas eleições de 2018.

Há mais de 50 projetos na Câmara tratando do tema. Não tratam apenas da mentira em si, mas também das postagens em massa ou da retirada de falsos perfis.

Durante a pandemia, apareceu também um tipo de fake news que me pareceu perigoso. Não me refiro apenas a falsos remédios, como a cloroquina, pois a internet está carregada de receitas duvidosas para todo tipo de doença. As campanhas que associavam a vacina anticoronavírus à disseminação da aids tinham um potencial de provocar mortes em grande escala.

Mesmo sem um texto legal sobre as fake news, o STF tem se reunido com as plataformas digitais e avançado num acordo de cooperação. O Telegram estava de fora. Atuava no Brasil como se o país fosse um terreno baldio. Simplesmente ignorava nossa estrutura legal.

Muitos o defendem pela liberdade de expressão. É válido. No entanto a liberdade de expressão é mais sólida num Estado Democrático de Direito que na anarquia.

Sou ligeiramente cético quanto a uma vitória sobre as fake news. Mas creio que o esforço valha a pena. Às vezes, jogamos para empatar ou mesmo perder de pouco. Mas temos de jogar.

O ideal seria reduzi-las ao louvor de seus líderes. Volta e meia aparece uma falsa capa de jornal estrangeiro glorificando Bolsonaro. Ele mesmo sugeriu que sua visita a Moscou, por coincidência ou não, levou Putin a tirar tropas da Ucrânia.

Parte de minha vida política aconteceu no reino analógico. As fake news circulavam em milhares de panfletos. No meu caso, diziam que, se eleito, acabaria com o feriado de Nossa Senhora.

Uma política que fala a verdade em tempos de crise é essencial. São momentos em que só se podem oferecer sangue, suor e lágrimas. Mas, quase todo o tempo, usamos a “mentira piedosa”, inofensiva, mas que, em certos momentos, pode aliviar uma dor, atenuar a angústia.

A política brasileira criou um termo exato para a expressão da verdade em momentos inadequados: sincericídio. O ministro da Educação foi um dos últimos a lançar mão desse gesto extremo, ao afirmar num vídeo que Bolsonaro pediu que desse preferência aos pedidos de verbas feitos por dois pastores.

A frase era problemática em si. Tornou-se desesperadora quando se descobriu que os pastores pediam grana e vendiam bíblias.

Em verdade, em verdade, vos digo, apesar de longa a estrada, o Brasil é um país muito estranho.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: